Blog da EZ Commerce

Saiba o que são os Marketplaces e como vender através deles!

capa-octopusMarketplaces

Se você está pensando em começar seu negócio de vendas online, ou se é dono de um e-commerce e deseja ampliar o seu negócio dando mais visibilidade aos seus produtos, deve considerar o investimento na venda por Marketplaces

Através desse modelo de vendas, que vem conquistando cada vez mais os lojistas, o consumidor também tem sua compra facilitada ao encontrar, em um único lugar, diversas marcas e produtos do seu interesse. Tanto que mais de 60% das vendas no e-commerce já são realizadas através desse formato.

Mas afinal, o que é Marketplace?

Ao falar em Marketplace, estamos nos referindo a um shopping virtual que recebe, todos os dias, milhares de consumidores. Trata-se de uma plataforma de exposição de produtos, uma vitrine digital, que interessa cada vez mais às empresas e, o que é mais importante, também aos consumidores, que encontram num mesmo local, produtos variados de diversas lojas.

Vantagens para o lojista e para o consumidor

Estar ainda mais exposto na internet marcando presença entre marcas reconhecidas é uma das vantagens para quem deseja investir em um Marketplace. Essa maior visibilidade traz a oportunidade de gerar maiores lucros, além da chance de iniciar um relacionamento positivo com os mais diversos perfis de clientes. Outra vantagem é um melhor custo-benefício, principalmente para os pequenos e médios negócios, uma vez que manter uma loja independente no meio digital exige um bom investimento inicial da marca para manter sua competitividade, como campanhas e promoções para atrair clientes. Já nos Marketplaces, os compradores estão circulando diariamente, prontos a serem conquistados com um diferencial que sua loja apresente.

Para o cliente, a vantagem é poder comparar produtos, preços, ofertas e condições num só lugar, e fazer o pagamento em uma única transação, com comodidade e rapidez.

Seu produto conectado a milhares de consumidores

A tecnologia é um aspecto importante a se considerar para bem gerenciar sua presença nos mais diversos Marketplaces. Existem diversas soluções no mercado que possibilitam realizar vendas em Marketplaces ou integrar uma loja virtual com essas plataformas ao mesmo tempo, para assim gerenciar essas vendas de forma personalizada em um único painel.

O objetivo dessas soluções de integração à Marketplaces é de descomplicar a vida do lojista online, ajudando-o a vender ainda mais, e ainda permitindo integração os melhores ERPs e CRMs, no caso de varejistas. Tudo isso devido a administração dedicada dentro da plataforma, sem ter necessidade de softwares adicionais. É possível poupar tempo de cadastro, manter o estoque atualizado e integrado e gerenciar preços, notas fiscais, código de rastreio, status e outros indicadores em um único sistema.

Exemplos de Marketplace

Um exemplo clássico de marketplace é o Mercado Livre. Ali, milhares de consumidores compram (e vendem) os artigos mais variados diariamente, ofertados por outras pessoas ou empresas. Netshoes, Buscapé, B2W e Lojas Americanas também são marketplaces bem conhecidos, que oferecem enorme variedade de marcas e produtos disputados por milhares de consumidores que por lá trafegam, tudo no mesmo lugar.

Conheça o Octopus!

O Octopus é uma solução para Marketplaces criado exatamente para facilitar essa conexão entre todos os atores do ecossistema do comércio eletrônico. Completamente diferente e superior a outras soluções do mercado, e com um conceito inovador de um protocolo de dados (Modelo Canonical), o sistema possibilita receber dados no formato do sistema origem (seja ERP, plataforma de e-commerce ou marketplace), e traduzi-los para um modelo padrão, adaptando-os em seguida para o modelo destino. Dessa forma o sistema atua como um intermediário, fazendo com que qualquer participante possa conversar entre si, sem estar diretamente conectado.


cta-octopus

 

Diretor da EZ Commerce é indicado a Melhor Profissional de E-commerce no Prêmio ABComm 2017

premio-abcomm-2017-luizdias

Luiz Dias está entre os finalistas em votação aberta até 31 de março no site da entidade

Desde que surgiu, a EZ Commerce procura se diferenciar da concorrência ao acompanhar o empreendedor desde o primeiro passo de sua caminhada rumo à criação de uma loja virtual bonita, funcional, lucrativa e respeitosa às boas práticas do mercado. Desta forma, a plataforma que vem sendo reconhecida nos últimos anos volta a ficar em destaque na premiação realizada pela Associação Brasileira de Comércio Eletrônico – ABComm em 2017 para as principais empresas e profissionais do setor.

Além de concorrer como “Melhor Plataforma”, o diretor de E-Commerce da EZ, Luiz Dias, é finalista da categoria “Melhor profissional de e-commerce”. O executivo foi um dos mais votados entre as 3,6 mil indicações de cases e profissionais que a entidade recebeu em seu site e nas redes sociais entre os dias 6 de fevereiro e 12 de março deste ano. A votação final é aberta e pode ser realizada na página da ABComm até 31 de março.

“Este é um reconhecimento do trabalho realizado pela EZ Commerce, uma das empresas que mais crescem no país, e do Grupo DCG, que vem se tornando um dos líderes no fornecimento de tecnologia e consultoria para o comércio eletrônico brasileiro” , comemora Luiz.

Ele é responsável pela área Sucesso Online da EZ Commerce, que reúne um time de especialistas em varejo online e tecnologia para ajudar os lojistas a alcançar bons resultados operando de acordo com as melhores práticas. Além de consultoria, a área promove cursos, workshops, palestras e treinamento de clientes e canais.

Com experiência de uma década no comércio eletrônico, Dias tem passagens pela Gimba.com, Centauro, Paquetá Esportes e Connect Parts. Também realizou consultorias para outras diversas lojas virtuais, como Bombril, Zelo, Track And Field, Corpo Ideal Suplementos, Cia dos Livros, Estrela 10, Arsenal Car, Lojas Lebes, Maze Skate Shop e My Shop Brasil. Além de palestrante nos principais eventos do setor, é professor da E-Commerce School e idealizador e organizador do E-Commerce Santos.

premio-abcomm-2017-cta-luiz

7 Motivos para migrar sua loja virtual para EZ Commerce

migre-sua-loja-para-ez

A sua plataforma de e-commerce parou no tempo e não permite ou fomenta o aumento do ticket médio? Não perca tempo, acredite que é possível vender mais migrando para uma plataforma que oferece o melhor custo benefício.

Saber qual a melhor plataforma de e-commerce para o seu negócio é essencial para atrair clientes e aumentar as vendas online. Além de proporcionar melhores condições de trabalho para sua equipe, uma ferramenta eficiente converte mais vendas. Por isso, ao investir em uma plataforma de e-commerce procure se informar sobre tudo que ela pode oferecer de funcionalidades e escolha aquela que vai contribuir com a ampliação das vendas e das conversões. Fique atento, qualquer erro pode diminuir suas vendas.

Pensando em tudo isso, preparamos 7 dicas poderosas para potencializar as vendas da sua loja virtual migrando para EZ Commerce:

1 – SEM CUSTO DE SETUP

Com setup ZERO, a EZ Commerce ativa sua loja com acompanhamento de um Analista de Ativação e você só paga durante o período que consumir, seguindo a tendência das maiores empresas de tecnologia do mundo, tudo isso sem repassar a responsabilidade do seu projeto para terceiros.

A vantagem é que você recupera o investimento do início do projeto, sem terceirização de responsabilidades. Oferecemos um ecossistema completo de soluções com serviços qualificados e acompanhamento constante.

2 – SEM PERCENTUAL SOBRE AS VENDAS

Na EZ Commerce você sabe exatamente o quanto vai pagar, não cobramos percentual sobre as vendas, sem surpresas no final do mês. Após finalizarmos a implantação do projeto, continuamos com suporte total ao seu negócio.

Nossos planos fixos foram projetados para um crescimento sustentável da sua empresa. Conheça os serviços em que nossos analistas de ativação auxiliam e na concorrência você é obrigado a contratar em outras empresas:


tabela-servicos

3 – IMPLATAÇÃO ACOMPANHADA

A EZ Commerce ativa sua loja com acompanhamento de um Analista de Ativação e você só paga durante o período que consumir, seguindo a tendência das maiores empresas de tecnologia do mundo, mas sem repassar a responsabilidade do seu projeto para terceiros.

O Analista de Ativação é o profissional que acompanha seu projeto nos primeiros passos da operação, com ele você vai configurar:


implantacao


4 – MIGRAÇÃO DO SEO

Uma das etapas mais importantes da migração é o redirecionamento 301 das URLs das páginas da antiga plataforma para a nova plataforma sem perder relevância da sua loja no Google.

Por meio desse redirecionamento conseguimos manter a relevância e o posicionamento nos buscadores, redirecionando também os links já indexados de forma eficiente auxiliando a organização e a localização de um arquivo numa base de dados. Qualquer falha durante a implantação desta etapa poderá zerar o tráfego dos mecanismos de buscas integrados com seu e-commerce, gerando imensurável prejuízo para sua loja virtual.

Então, opte pela agilidade e segurança dos especialistas da EZ Commerce que faz isso por você.

5 – SUPORTE 24×7

Uma das grandes vantagens da plataforma EZ Commerce é a infraestrutura, que oferece segurança ao lojista virtual. A plataforma é monitorada 24 horas e conta com uma equipe de atendimento altamente capacitada para qualquer ação necessária. A EZ investe fortemente no suporte ao cliente no pré, durante e no pós-atendimento, garantindo que a sua loja virtual esteja sempre online vendendo muito.

Além disso, a EZ realiza o Coach EZ Commerce, um treinamento planejado de acordo com o seu segmento, para que os colaboradores da sua equipe saibam operar as ferramentas da plataforma, potencializando suas vendas.

6 – MOBILE

Os dispositivos móveis são considerados os principais meios de acesso à internet no Brasil, e a participação dos smartfones no e-commerce será de 41% nos próximos 5 anos, segundo a pesquisa realizado pelo Google, o comercio eletrônico deve dobrar sua participação no faturamento do varejo até 2021.

De olho nas tendências do mercado virtual, a EZ Commerce disponibiliza a versão mobile da plataforma onde o lojista tem a possibilidade de desenvolver estratégias específicas adaptadas aos smartphones. O lojista poderá alterar sua vitrine de produtos cadastrando banners exclusivos, seus consumidores poderão navegar à vontade em sua loja na versão mobile da EZ que garante total qualidade e usabilidade, aumentando assim suas chances de conversão.

7 – INTEGRAÇÃO COM OS PRINCIPAIS MARKETPLACES

Conecte à sua loja virtual com milhões de consumidores através do Octopus, conector desenvolvido pelos especialistas da EZ Commerce recebeu a premiação Mercado Livre por melhor integração com o Marketplace.

Você cria anúncios uma única vez e o Octopus publica automaticamente em todos os marketplaces da sua escolha como, por exemplo, Americanas, Casas Bahia, Extra e outras vitrines, poupando tempo de cadastro dos produtos, tudo isso de forma rápida e fácil, sem complicações!

É um modelo inovador de negócios semelhante a um shopping da internet. O consumidor encontra produtos de diferentes lojas no mesmo site, compara preços e efetua o pagamento em uma única transação, gerando comodidade e confiança.

Gostou das dicas? Quer saber mais sobre migração da plataforma e como a EZ pode facilitar esse processo para você? Entre em contato e invista sempre em melhorias que aumentem as conversões da sua loja!

CTA-migresualoja

cases-de-migracao-02

Saiba tudo sobre funil de vendas no e-commerce



Atrair clientes é o que toda empresa deseja. E ter por perto aqueles que realmente se interessam pela sua marca (e têm fortes intenções de compra) pode ser o grande diferencial para o negócio.

Para converter uma venda, muitas vezes é preciso utilizar diversos recursos diferentes que envolvem estratégias de marketing, o próprio atendimento ao cliente e, claro, a qualidade do produto. Mas nem sempre essas condições se mostram favoráveis à sua loja e, por isso, é importante que o seu funil de vendas esteja funcionando de forma equilibrada, para que as suas vendas cresçam gerando conversões e lucros.

O caminho que o cliente percorre para finalizar uma compra pode ser longo e envolver diversas ações. E você precisa entender que não basta (principalmente para o faturamento do seu e-commerce) o tempo ou o grau de envolvimento do consumidor com a marca se essas ações não forem convertidas em vendas. E é aí que surge o questionamento: como fazer com que o consumidor se torne um cliente, fiel à empresa, e realize compras ?

A resposta pode ser mais simples do que você imagina: aposte na construção de um funil de vendas estratégico e eficiente. Para que isso aconteça é preciso que a sua empresa se envolva com diversos fatores determinantes para o sucesso do seu negócio. O primeiro deles é conhecer a jornada de compra do cliente, que, em geral, é constituída por quatro etapas:

1. Aprendizado e descoberta: o comprador ainda não sabe muito bem o que deseja e é preciso despertar o interesse dele por algum assunto e fazer com que perceba que tem um problema ou uma boa oportunidade de negócio.

2. Reconhecimento do problema (e da necessidade de adquirir algo para solucioná-lo): nesta etapa o comprador identifica que tem um problema/oportunidade de negócio e começa a pesquisar mais sobre esse problema e sobre possíveis soluções.

3. Consideração da solução: depois de identificar algumas possíveis soluções para resolver aquele problema, o consumidor começa a avaliar essas alternativas. Nesta etapa, é importante também conseguir criar um senso de urgência grande junto ao comprador (oferecer os produtos, fazer com que os artigos da loja sejam encontrados e vistos pelo consumidor). Caso contrário, ele pode apenas identificar que tem uma solução para o problema dele, mas não se empenhar tanto assim em resolvê-lo.

4. Decisão de compra: aqui o comprador decide qual das opções é melhor para seu contexto. É importante nesta etapa ressaltar os diferenciais competitivos de cada uma das soluções.

Ao conhecer a sua jornada de compra é possível garantir que as etapas de venda aconteçam de maneira correta e a empresa invista tempo nos prospects certos para a marca. Depois, para ter ainda mais sucesso, é preciso que a empresa ofereça as informações necessárias para convencer o cliente da sua necessidade de compra.

O funil de vendas pode fazer mais por você


Trabalhar com um funil de vendas possibilita que as áreas de marketing e vendas atuem de forma alinhada, gerando eficiência na conquista de clientes. A plataforma da EZ Commerce, por exemplo, oferece diversos recursos para que esses setores exerçam suas atividades de forma efetiva no mercado de e-commerce (e auxiliem a estratégia do funil de vendas da empresa). A plataforma permite, por exemplo, que você conheça melhor o cliente reunindo informações sobre ele, os produtos comprados, as formas de pagamento utilizadas e a entrega preferida, em uma interface prática e intuitiva.

A estratégia de seguir o cliente desde o momento em que ele toma conhecimento dos produtos vendidos pela sua loja até a finalização da compra parece interessante, certo? Portanto, continue conosco, aprenda como usar o funil de vendas e saiba quais são as ferramentas que podem ajudar nesse processo.

A essência de tudo é induzir os consumidores a comprarem os seus produtos. E é certo que cada um deles passará pelas quatro etapas destacadas acima. Ou seja, pelos quatro níveis do funil de vendas, que separam aqueles consumidores visitantes (que não estão interessados em contatar a empresa e não sabem que tipo de empresa desejam contatar), dos leads (pessoas que já conhecem a sua empresa e desejam descobrir qual a melhor solução para o seu problema), da oportunidade (momento em que podem ser abordados pelo time de vendas), daqueles clientes já fidelizados (e convertidos).

Quando as quatro etapas do funil são pensadas para funcionarem de maneira integrada, o processo de transformação de leads em clientes é muito mais rápido. E agora que você já conhece os possíveis perfis de consumidores é preciso realizar o melhor planejamento para a sua marca conquistar esses consumidores.

Entenda como aplicar o funil:


Para aplicar o funil de vendas é preciso, primeiramente, realizar um plano de marketing digital que envolva a análise de mercado, o público-alvo e as pessoas que visitam a sua loja, pesquisa de palavras-chave, valor de investimento da campanha, ferramentas e canais disponíveis para publicação. Depois, é importante acompanhar os seus consumidores em potencial, visualizando todas as etapas do funil. Com essas informações em mãos, as equipes de marketing e vendas conseguem agir de maneira precisa com a construção de campanhas, promoções e outras ofertas diferenciadas.

Para facilitar o armazenamento desses dados e facilitar o fluxo de informações do seu funil de vendas (do primeiro ao último nível) é possível utilizar uma ferramenta como um Customer Relationship Management (CRM), no Brasil chamado de Gestão de Relacionamento com o Cliente, onde você gerencia e analisa as interações com os seus consumidores, antecipa suas necessidades, otimiza a rentabilidade, aumenta as vendas e a assertividade de suas campanhas de captação de novos clientes.

Logo após, você pode realizar uma mensuração de resultados e verificar o desempenho do seu negócio ao utilizar a estratégia do funil de vendas. Se ele estiver baixo, é possível fazer ajustes. Se ele estiver alto, siga em frente conquistando consumidores oferecendo o melhor da sua loja virtual.

Gostou? Contate a EZ Commerce e conheça os melhores recursos para criar estratégias de marketing e vendas.

cta-blog-funil-vendas

E-commerce na crise: entenda porque vale a pena investir

post-blog-ecommercenacrise

Não é novidade para ninguém que o cenário econômico brasileiro já enfrentou dias melhores que os atuais. Juros altos, retração e projeções bastante pessimistas são alguns dos fatores que vem causando grandes prejuízos em diversos setores e fazendo empreendedores pensarem duas vezes antes de qualquer empreitada.

Entretanto, um segmento em específico insiste em “não seguir a maré” e demonstra, ano a ano, ser praticamente imune a crises: o e-commerce.

Protagonista de números exemplares mesmo frente a uma das maiores crises já enfrentadas pelo Brasil, o segmento não para de crescer, e as projeções para 2017 evidenciam por que investir no e-commerce na crise pode ser uma medida bastante efetiva para os negócios: estima-se um crescimento de até 15%, o que, segundo a ABComm, resultará em um faturamento de aproximadamente 60 bilhões.

Confira no artigo de hoje uma visão completa sobre o segmento aqui no Brasil e por que investir em e-commerce na crise pode ser uma grande oportunidade para empreendedores impulsionarem os seus negócios!

O e-commerce no Brasil


O segmento do e-commerce já se tornou o “queridinho” entre os empreendedores e investidores aqui no país. Atingimos um ápice em que são poucos os tipos de negócios que não podem ser portabilizados para a web, sendo ela o primeiro destino escolhido por grande parte das pessoas na hora de empreender.

São vários os motivos que tornam o e-commerce brasileiro tão atrativo: facilidade, praticidade operacional, oportunidades com baixo investimento e possibilidades de negócio estão entre os principais deles. Além disso, os incríveis números que retratam o seu crescimento ao longo dos anos justificam o porquê de haver tanto interesse em vender pela internet.

Os números do comércio eletrônico brasileiro


O crescimento dos números que retratam a evolução do segmento é, sem sombra de dúvidas, o fator que mais atrai negócios. Podemos citar, com destaque e orgulho, o faturamento de 2016: o segmento gerou um montante de 53,4 bilhões, evolução notável em relação ao ano anterior — e, principalmente, aos tímidos 500 milhões faturados lá em 2001, quando as lojas virtuais começaram a dar seus primeiros passos por aqui.

Graças à popularização da internet, do mobile e-commerce, da comodidade de comprar pela web e da gradativa desconstrução do falso paradigma de que “comprar on-line não é seguro”, a quantidade de consumidores que aderiram ao e-commerce também é notável: o segmento fechou 2014 com mais de 60 milhões de adeptos.

O segmento encerrou o ano de 2016 com um crescimento de 11% em relação a 2015. O faturamento saltou de 41,3 bilhões para 53,4 bilhões e o ticket médio aumentou 10%, tendo chegado a R$ 463 por compra. Tais resultados, em parte, são méritos do mobile commerce: mais de 35% do total da população já usa Smartphones.

O crescimento e as tendências que chegam com 2017


Seguindo a tradição — e o histórico exemplar do segmento —, o ano de 2017 conta com projeções pra lá de animadoras para quem pretende investir em uma loja on-line.

A compra por meio de dispositivos móveis — a tendência mobile e-commerce — deve crescer 50% e, segundo os estudos mais otimistas, superar a quantidade de compras feitas por computadores até 2021.

Em termos de números, o crescimento de faturamento previsto é de até 15% e deve chegar à casa dos 63 bilhões. Entretanto, considerando o histórico de “extrapolação de projeções” do segmento, é provável que o crescimento será ainda mais acentuado.

Setores que mais crescem no varejo on-line


Embora o sol do e-commerce esteja nascendo para todos, alguns dos setores apresentam um crescimento mais acentuado do que outros. No primeiro semestre de 2016, a categoria que mais vendeu foi Celulares e Smartphones, com 26% das vendas, seguida de Moda e Acessórios femininos e masculinos, com 19% e 15% respectivamente; a Perfumaria abocanhou 12% e, por fim, como terceira macrocategoria mais vendida, vem o Esporte e Lazer, com 11% das vendas.

Para o ano de 2017 e além, as pesquisas vêm apontando alguns setores como ótimos nichos para empreender, tendo em vista o grande potencial de mercado versus a pouca exploração ainda existente sobre eles:

– Fitness Food


A preocupação com a qualidade de vida vem crescendo de forma constante ao redor do globo. As pessoas estão mais atentas ao que comem e muitas estão trocando a velha e boa “Junk Food” por alimentos mais saudáveis, o que vem criando algo que pode ser considerado um novo mercado.

Embora já haja uma exploração considerável desse setor, é possível encontrar alguns nichos que podem e devem ser explorados, como cardápios e produtos personalizados, alimentos completamente orgânicos/integrais, sem glúten, lactose etc.

– Pet


O mercado para animais de estimação está em grande expansão no Brasil. Conforme aponta pesquisa do IBGE, 62% das residências — cerca de 40,4 milhões de casas — conta com ao menos um gato ou cachorro, evidenciando o poder de expansão que o segmento representa, afinal, estamos falando de milhões de clientes em potencial.

– Peças automotivas


No primeiro semestre de 2016, o segmento apresentou crescimento de 75% em relação ao mesmo período do ano anterior, crescimento esse que, gerado pela alta demanda, demonstra a ótima empreitada que pode ser investir no setor.

– Itens/brindes personalizados


Dificilmente você não ouviu falar do Netflix, e, se ouviu, deve estar a par do sucesso que os famigerados “seriados” estão fazendo globo afora. São milhões os fãs das centenas de séries disponíveis nos acervos digitais, o que representa um grande mercado a ser explorado.

Pôsteres, camisetas, chaveiros, quadros, canecas e totens são alguns dos itens que podem ser personalizados com temas de séries e filmes. São milhões de fãs, logo, milhões de clientes em potencial para esse nicho de negócio.

Comportamento do consumidor na web


O perfil dos consumidores vem mudando drasticamente ao longo dos anos. Novas tendências, conhecimento e afinidade com a web e com dispositivos tecnológicos e a proximidade cada vez maior com as marcas vem mudando a forma como as pessoas pensam, avaliam e compram produtos pela internet.

A democratização da internet e diversificação das fontes e meios de informação vêm trazendo muito conhecimento relevante aos usuários, o que, além de gerar proximidade entre as pessoas e a web, ajuda a desconstruir o falso paradigma de que não é seguro comprar on-line.

O nível de exigência do consumidor moderno


O perfil do consumidor on-line de hoje em dia evoluiu muito. Ele é mais qualificado e exigente, e avalia com cautela cada compra. Conforme aponta o estudo realizado pelo Sebrae, 75% dos consumidores brasileiros que compra on-line já tem graduação.

Segundo pesquisa realizada pela iProspect, 39% dos consumidores brasileiros estão pouco propensos a averiguar anúncios de empresas que não conhecem — o que mostra a importância do engajamento entre marca e consumidor.

De acordo com uma pesquisa levantada pelo Paypal em 2015, os principais quesitos que os brasileiros levam em conta na hora de comprar on-line — aqui e no exterior — é o frete grátis, preços baixos, segurança no pagamento e a qualidade dos produtos.

Tais fatores de alta relevância para os internautas são avaliados com base nas pesquisas realizadas pela grande maioria deles, tanto em outros sites quanto em redes sociais e blogs, sendo que a opinião de outros usuários sobre um determinado produto/marca tem influência de, pelo menos, 77% para quem compra pela web.

Estamos lidando com consumidores bastante exigentes e arrojados, que pesquisam, avaliam e consideram diversas informações e fatores — bem como sua própria afinidade com a marca — antes de tomar uma decisão de compra.

Os principais custos para estruturar uma loja virtual


“Quanto custa montar uma loja virtual?”. Essa deve ser uma das mais recorrentes perguntas de quem pretende montar ou expandir sua plataforma de vendas, e tal indagação é compreensível.

São diversos os fatores que impactam no custo final da estruturação de uma loja virtual, ou seja, não há como responder essa pergunta sem analisar cada caso em específico.

Podemos, no entanto, lhe assegurar uma coisa: abrir uma loja virtual não exige um investimento de capital gigantesco — como abrir uma loja física, por exemplo —, mas também não é um processo “inteiramente gratuito” como pregam diversos conteúdos na internet.

Nem de graça e nem tão caro: um custo para cada negócio


Bom, como você deve saber, uma loja virtual engloba diversos aspectos estruturais e operacionais, ou seja, além de toda a estrutura computacional, logística, pessoal etc., é necessário atentar-se aos processos administrativos: registrar a empresa, adquirir CNPJ, I.E, realizar vinculação com a Receita, Secretaria da Fazenda, Junta Comercial, dentre outras coisas.

Partiremos do pressuposto de que você já possui uma empresa registrada e não precisará arcar com custos administrativos como licenças, alvarás e etc., somente pretende imergir no varejo digital ou mesmo expandir a sua loja virtual já existente.

Dentre os itens necessários a se atentar na hora de estruturar uma loja virtual, podemos citar os seguintes como principais:

– Plataforma de vendas


A plataforma é, basicamente, o coração do seu e-commerce. É ela quem vai ser responsável por coordenar todo o processo “por trás das cortinas” — isto é, suas vendas, seu estoque, seus produtos, cupons etc. É a sua loja virtual propriamente dita.

Existem tanto opções open-source — que você não pagará para usar, mas pagará para customizar de acordo com o seu negócio — quanto lojas prontas — que você pagará mensalidades fixas, de acordo com seu faturamento etc.

As mensalidades também variam: desde modestos R$ 120 mensais até consideráveis R$ 500 mil. Ou seja, será necessário avaliar o tamanho do seu negócio e as demandas que ele atenderá, para somente então definir a plataforma ideal para você.

– Gateway de pagamento


Os gateways de pagamento são sistemas paralelos à plataforma de vendas responsáveis por conectá-la à empresa responsável pelo cartão de crédito (Cielo, GetNet etc.). O custo de configuração fica em torno de R$ 1.500 e o valor por cada transação realizada na sua loja costuma permear os R$ 0,73.

– Gateway de frete


O gateway de frete, tal como o de pagamento, é responsável por integrar a sua plataforma com os sistemas de transporte: correio e transportadoras, por exemplo.

Quando o cliente informar o CEP de destino, o sistema elenca automaticamente os transportadores disponíveis, com prazos e custos variados, ficando a critério do cliente escolher o que desejar.

– Segurança


Sabe aqueles selos e certificados que você vê no rodapé das suas lojas virtuais de confiança? Pois é, eles são certificados digitais que visam repelir fraudes para longe da sua plataforma.

A blindagem fica na categoria das mais caras: pode variar de R$ 3.600 a R$ 12.000 por ano, mas é importante, pois realiza auditorias periódicas no site e simula invasões para encontrar e sanar vulnerabilidades. Encontra-se, entretanto, blindagens mais baratas com serviços mais modestos, por cerca de R$ 780 ao ano.

Há também a possibilidade (ou necessidade, preferencialmente) de contratar um sistema antifraude, que tem um propósito semelhante à blindagem e possui custo de configuração de cerca de R$ 900 + custo por transação, que permeia R$ 0,80 para análises eletrônicas, e entre R$ 3,50 e R$ 12 para análises feitas manualmente por um profissional, em casos mais sérios e específicos.

Por último, temos o certificado digital: esse é o responsável por criptografar os dados da conexão entre o cliente e a sua plataforma, assegurando a integridade das informações. Seu custo anual varia de R$ 1.1500 a R$ 3.000.

– Marketing


Assim como a logística, esse serviço dependerá das inúmeras variáveis relacionadas à sua estratégia. Alguns especialistas apontam que cerca de 7% do seu faturamento deve ser destinado ao Marketing, mas isso também varia.

Aqui, temos marketing de conteúdo, SEO, Google Analytics/Adwords, propagandas e anúncios, dentre diversas outras estratégias. Geralmente, contratar uma agência costuma sair mais em conta do que contratar ou desempenhar os serviços separadamente.

– Logística


Esse é um ponto-chave, um pilar, tida por muitos como a “espinha dorsal” da operação, sendo motivo de orgulho para muitos e-commerces e de ruína para outros.

A logística é de extrema importância e, de novo, os custos variam muito e vão depender da estrutura que o tamanho da sua operação necessita.

Há e-commerces que possuem sistema de transporte próprio, há quem possua gateways de pagamento e contrato com diversas empresas de transporte, e há quem utilize somente os correios.

Independentemente da sua estratégia, não se esqueça de dar a devida atenção à logística-reversa, afinal, nunca se sabe quando um cliente não gostará de um produto e optará por devolvê-lo. Então, não deixe que isso seja uma surpresa. Planeje-se!

Marketing econômico e proativo


Embora tão vasta quanto o mundo físico, na web, tudo pode ser melhor planejado para que seja mais assertivo, e o marketing faz parte desse leque.

Passividade é uma palavra que, com certeza, não retrata a forma como o marketing funciona por aqui. No âmbito físico, por exemplo, uma loja instala estandes, produz folders e aguarda os clientes passarem e visualizarem os materiais — ou seja, são ações passivas.

Na web, você pode direcionar inteligentemente as suas estratégias de marketing, prospectar e controlar o seu próprio público.

Com as ferramentas analíticas disponíveis, você pode identificar padrões de preferência dos seus consumidores, analisar mídias sociais e blogs a fim de descobrir quais são suas dores e necessidades e, por fim, desenvolver as campanhas de marketing certas, para os públicos certos, e coordená-las nos locais e momentos certos.

Técnicas importantes para gerar mais negócios na sua loja virtual


Elaborar um planejamento financeiro, estruturar o seu modelo de negócios, identificar o seu público e colocar a sua loja no ar são alguns dos passos que compõem a longa caminhada na vida de um negócio — afinal, tudo muda, principalmente o mercado e os consumidores.

Dessa forma, é importante se atentar para alguns processos que devem ser executados constantemente. Confira algumas dicas a seguir:

– Estar atento ao mercado


Dar a devida atenção às reviravoltas do mercado é uma prática essencial para assegurar a sobrevivência e a saúde financeira do seu e-commerce na crise.

Novas tendências, metodologias e tecnologias surgem constantemente, e estar atento a isso lhe permitirá otimizar os seus processos operacionais e agregar qualidade e eficácia à sua operação como um todo.

– Prestar atenção no que os consumidores estão falando


Essa é outra grande facilidade do marketing digital. É nas mídias sociais e blogs que residem algumas das informações mais valiosas para o seu negócio: a opinião dos consumidores.

As pessoas, seja de forma implícita ou explícita, expressam constantemente as suas opiniões sobre produtos e marcas, suas necessidades não atendidas, suas dores e preferências etc.

Por meio de ações de social media, você pode estreitar ao extremo o relacionamento da sua empresa com seus leads e clientes, desenvolvendo soluções assertivas para cada perfil e consolidando a sua marca frente a eles.

– Manter sua loja virtual o mais user-friendly possível


Imagine-se tentando comprar um produto pelo smartphone em uma loja virtual com a interface não adaptada a dispositivos móveis — e, não bastando isso, com o layout desorganizado e poluído. Complicado, né? Os consumidores pensam da mesma forma.

Muito mais do que ter um site bonito, um layout user-friendly deve ser elegante, porém, simples, prático e com elementos essenciais sempre acessíveis, como botões de call to action: os botões “Comprar”, “Ir para o carrinho”, “Contato” Calcular Frete”, dentre outros. Propagandas e banners na medida certa também são um ponto importantíssimo.

Além disso, é crucial adaptar-se à tendência mobile. Cada vez mais, as pessoas estão utilizando dispositivos móveis para comprar on-line, e possuir uma interface que se adapte a qualquer dispositivo só tem vantagens: facilita o processo de compra do cliente, te ranqueia melhor nos resultados de busca do Google, aumenta as suas vendas, dentre outros.

– Investir no CRM


Prezar pelo bom atendimento e relacionamento com seus clientes — ainda mais em tempos de crise — pode ser um grande diferencial para a sua empresa frente aos seus concorrentes. Afinal, não é nada incomum nos depararmos com reclamações de usuários acerca SACs que não ajudam em nada.

Utilize também a sua preciosa newsletter para entender como anda a satisfação do cliente com a sua empresa. Contate-o periodicamente, questione-o sobre a experiência dele sobre os serviços e produtos que você vendeu e peça a opinião dele sobre o que pode ser melhorado. Isso demonstra preocupação com o cliente e pode ser uma ótima medida para fidelizá-lo.

– Fazer dos pontos fracos do mercado as suas premissas


Setores de relacionamento que não se relacionam, pedidos cujo prazo de entrega não é atendido, dúvidas e questionamentos que não são solucionados ou sequer avaliados, dentre outros: são diversos os motivos protagonistas das reclamações de muitos consumidores na web.

O consumidor moderno está mais cauteloso do que nunca, e tenha certeza de que, se o seu e-commerce falhou em alguns dos pontos citados acima, seu erro provavelmente será retratado na web pelo cliente anterior, e quem cogitar a possibilidade de comprar com você vai pesquisar muito bem antes de o fazer.

Em tempos de crise, os consumidores estão com suas preferências muito mais instáveis e suscetíveis a remodelações — ou seja: é tempo de encantar. Identifique as falhas dos concorrentes e as corrija dentro do seu próprio negócio. Faça os clientes te amarem justamente pelo ponto que os desagrada na concorrência.

Crise? Crie!


A crise põe uma nuvem nebulosa acima de todos, mas cabe a você decidir se vai se molhar ou não. São nas mais intensas e abruptas circunstâncias que uma rocha se torna um diamante e, no mercado do e-commerce, essa analogia se aplica também.

Optar pela mesmice dificilmente te trará o cliente do vizinho, dessa forma, é preciso estudá-lo, analisar o mercado e entender as dores do seu cliente, pois só isso lhe permitirá criar soluções diferenciadas, remodelar seu e-commerce, inovar e encher os olhos do seu público.

Em tempos de crise, o e-commerce é ainda mais competitivo do que em um cenário tradicional, e o investimento precisa ser ainda mais alto — e, como você sabe, quanto maior e mais assertivo o investimento, maior será o prêmio. Por isso, “saia da caixinha” sempre que possível e faça do seu e-commerce na crise uma empresa cada vez mais revolucionária.

Está pensando em migrar o seu negócio para a internet ou até mesmo começar algo novo por lá? Entre em contato e saiba como: www.ezcommerce.com.br

Conheça 8 dicas para melhorar o layout do seu e-commerce

post-blog-Conheça 8 dicas para melhorar o layout do seu e-commerce

“Beleza não é tudo. É preciso ter conteúdo também”

Você provavelmente já ouviu ou leu em algum lugar essa frase, certo? Pois saiba que ela, independentemente do contexto no qual seja usada, retrata a mais pura verdade, inclusive e especialmente dentro do segmento do e-commerce!

Embora seja um fator “de entrada”, o layout do e-commerce é uma característica muito importante da sua loja virtual. Ele será o primeiro contato do cliente com a sua loja, e como “a primeira impressão é a que fica”, é essencial transmitir elegância, seriedade e, posteriormente, esbanjar praticidade e performance.

Confira neste artigo algumas dicas para tornar o layout do seu e-commerce um verdadeiro Don Juan do varejo on-line!

1. Renda-se ao flat design


Tendência relativamente recente e em constante adoção, o flat design defende que a interface com o usuário deve prezar pela funcionalidade em detrimento da beleza. Porém, a filosofia de layout uniu incrivelmente as duas esferas, transformando o flat design em um poderoso e funcional conceito de layout.

Basicamente, ele é isento de qualquer tipo de borda, gradiente ou animação desnecessária, prezando por cores e elementos sólidos — o que, além de conferir um layout que transmite elegância, robustez e simplicidade, facilita muito na hora de desenvolver as funcionalidades das páginas.

2. Dê destaque a elementos importantes


Por mais que o seu layout seja simples e direto, alguns elementos ainda são mais importantes do que outros e você deve diferenciá-los bem, evidenciando mais notoriamente alguns deles.

Elementos importantes dentro da página, como os botões de call to action (“Comprar”, “Carrinho”, “Calcular Frete” etc.), a barra de busca e as sessões de contato e relacionamento devem receber destaque na página para facilitar a navegação do usuário.

3. Dose banners e propagandas


Se o lead já está dentro do seu site é porque ele recebeu uma indicação ou foi alvo de uma estratégia de marketing bem-sucedida, e é bem possível que ele já tenha algum plano e que provavelmente tem em mente o que quer comprar.

Tendo isso em vista, entendemos que não seria muito bacana recebê-lo dentro da loja virtual com um carnaval de janelas pop-up, propagandas e banners, certo? Então procure abstrair e focar somente no que é essencial, mantendo a fluidez no layout do e-commerce e apresentando ao cliente somente o necessário.

Dica: invista em sistemas de automação de rastreamento. Eles permitem que você possa mapear automaticamente o trajeto do usuário dentro da loja virtual, identificando os produtos que o interessaram e utilizando as áreas de propaganda de forma inteligente.

4. Seja Mobile-First


Outra forte tendência para 2017, o Mobile First surgiu da necessidade de adaptar os websites para serem acessados por dispositivos mobile. Afinal, cada vez mais as pessoas acessam sites e compram produtos por meio de dispositivos móveis.

Dessa forma, é crucial para a sua loja virtual ter um design responsivo, ou seja, ter o layout do e-commerce adaptado para os dispositivos móveis, para que quando for acessado por um, seja exibido de forma amigável e precisa, sem elementos fora do lugar ou desalinhados.

5. Incorpore o espírito das datas comemorativas


As datas comemorativas como Dia das Mães, Dia dos Namorados, Natal e Black Friday costumam ser responsáveis por pelo menos um terço do montante total que o e-commerce movimenta por ano. Ou seja, é importante ser bastante produtivo durante essas datas.

Tenha um planejamento no longo prazo para cada uma das datas comemorativas, de forma que você possa elaborar campanhas de marketing efetivas, bem como criar landing pages, isto é, páginas totalmente personalizadas de acordo com cada data comemorativa. Sim, estamos falando de coelhos e ovos de páscoa, papais noéis, trenós, renas e tudo mais!

6. Capriche na apresentação dos produtos


Ok, muitas das vezes em que vamos comprar algo já sabemos como é o produto ou pesquisamos por ele em lojas físicas. Entretanto, não é unânime. Não há nada mais angustiante do que querer comprar um produto mas não saber exatamente como ele é ou quais são as suas características.

Invista forte na apresentação dos seus itens, produzindo uma boa fotografia — imagens claras, de qualidade e sob diversos ângulos —, bem como acrescentando descrições completas sobre as suas funcionalidades.

Tenha certeza que você vai tirar todas as dúvidas do cliente sobre o que ele está comprando. A única forma de converter é dar a ele a certeza do que está adquirindo!

7. Tenha um filtro avançado


Muitas vezes os clientes sabem qual é o tipo ou a categoria do produto que querem comprar, mas não sabem exatamente qual comprar. Uma pessoa pode querer um tênis de corrida azul, construído em tecido de pano simples, que custe até R$ 150, mas não ter nenhuma marca ou modelo em mente. E se não houver uma forma de filtrar por meio dessas características, como fica?

Se o cliente tiver recebido recomendações sobre o seu e-commerce, pode ser que ele insista em filtrar por palavra-chave. Caso contrário, ele vai desistir da compra. Dessa forma, é essencial que você implemente um filtro funcional junto à barra de busca, que permita ao cliente detalhar o tipo de produto que ele está procurando.

8. Planeje o layout do e-commerce


Desenvolver um layout é um processo trabalhoso, complexo e caro. É essencial que você tenha em mente o formato que você quer, do contrário, pode ter gastos desnecessários com remodelagens e readaptações.

Considere utilizar um wireframe, que se trata de um esqueleto básico de como será o seu site. Utilizar essa técnica evita que você esqueça algum elemento na hora de providenciar o desenvolvimento do layout e ajuda a consolidar o formato ideal para a sua loja virtual.

O layout das lojas virtuais vem recebendo cada vez mais atenção ao longo das mudanças de mercado que ocorrem dentro do segmento do e-commerce, tendo em vista o fato de que as pessoas têm cada vez menos tempo em decorrência da rotina corrida.

Assim, é necessário facilitar ao máximo a navegação dos clientes dentro da sua loja virtual, de modo a evitar que qualquer dificuldade de encontrar algum produto ou função venha a fazer o seu lead desistir de comprar.

Gostou das nossas dicas sobre o layout do e-commerce? Então compartilhe este conteúdo com seus amigos nas redes sociais!

Entenda a importância de uma plataforma de e-commerce personalizável

post-blog-Entenda a importância de uma plataforma de e-commerce personalizável

Se compararmos o cenário de comércio virtual no Brasil com o restante do mundo veremos que ainda estamos engatinhando nesse setor. Apesar disso, já existem diversas lojas atuando dessa maneira, o que pode deixar alguém confuso na hora de escolher o melhor caminho para abrir uma loja virtual.

Atualmente, é possível escolher entre um leque grande de possibilidades para a criação da sua loja. Desde a plataforma de e-commerce mais simples, de modelos prontos, até aquelas 100% customizadas de acordo com sua demanda.

Em um primeiro momento pode parecer uma boa ideia buscar soluções mais baratas e ir direto nos modelos prontos. Mas ter um e-commerce personalizável traz uma série de vantagens, das quais vamos tratar com detalhes neste artigo. Confira!

Personalidade


Já pensou na possibilidade de destacar a exclusividade da sua marca já na loja virtual? Valorizar a identidade visual da sua empresa perante um mar de possibilidades é essencial para chamar a atenção dos clientes!

Consumidores compram uma marca específica buscando justamente essa exclusividade. Um bom exemplo disso é a Apple, que trabalha muito bem o conceito de vender a própria marca acima até mesmo dos seus produtos.

Utilizar uma plataforma de e-commerce personalizável é uma maneira simples de valorizar seu negócio. A partir dela você pode alterar uma infinidade de variáveis, como o posicionamento da logomarca, paleta de cores, disposição e organização dos produtos. Tudo isso e muito mais, da maneira que você achar melhor.

Isso quer dizer que com um e-commerce customizado você tem a possibilidade de inserir todas as características que identificam sua empresa. Você tem a liberdade de reproduzir, no ambiente virtual, toda a experiência de compra do seu cliente na loja física. Não é maravilhoso?

Visibilidade


Um ponto crucial ao trabalharmos com qualquer segmento no mercado virtual é a visibilidade nos motores de busca. Para o consumidor encontrar seu e-commerce, provavelmente deverá buscar no Google por um produto específico que sua loja ofereça.

Isso quer dizer que você precisa se destacar nos resultados do Google se quer atrair mais clientes. Pense bem na última pesquisa que você fez. Precisou passar da primeira página para encontrar o que procurava?

Por isso é importante pensar em como seu cliente vai encontrá-lo. Plataformas de e-commerce prontas e com baixa customização dificilmente oferecem boas estratégias de SEO. Isso dificulta uma boa posição no ranking de resultados do Google e faz com que, consequentemente, menos clientes encontrem sua loja.

Ao escolher uma plataforma personalizável, certifique-se de que ela possui o maior número possível de ferramentas de SEO. Poder inserir palavras-chave em cada item disponível na sua loja é o mínimo que uma plataforma decente precisa oferecer.

Com a constante atualização dos motores de busca é essencial poder contar com uma plataforma que dê suporte para que sua loja esteja sempre acompanhando as novidades oferecidas pelo Google.

Com uma boa estratégia de SEO, você poderá economizar em publicidade paga, impulsionamentos em redes sociais, entre outros, pois seu e-commerce vai aparecer com mais frequência nas buscas. E o mais importante, tudo isso de maneira orgânica.

Opções para o consumidor


Um ponto mais técnico, mas não menos importante na escolha de uma plataforma de e-commerce é o leque de opções para o consumidor. Algumas opções de plataformas prontas não oferecem, por exemplo, o pagamento combinado (boleto + cartão).

Isso pode afastar muitos clientes que buscam mais comodidade na hora de fazer suas compras. Comodidade é, inclusive, a palavra de ordem quando falamos de vendas on-line.

Cada vez mais o consumidor espera facilidades na hora de fechar suas compras. Ter a possibilidade de personalizar opções de pagamento e entrega, por exemplo, pode ser o fator decisivo para um cliente escolher a sua loja virtual e não a do seu concorrente.

Segurança


Plataformas personalizáveis são, sem dúvidas, mais caras que os modelos prontos. Elas exigem um bom investimento de implantação e manutenção. Mas você já parou pra pensar qual é o retorno desse investimento?

Todo ano na época da Black Friday vemos listas que apontam quais são as lojas mais confiáveis e seguras para realizar suas compras. E você sabia que a grande maioria é composta por negócios que optam por plataformas personalizáveis?

Além de oferecer segurança para o cliente poder navegar, inserir dados financeiros e realizar pagamentos, é essencial que sua plataforma possua um servidor seguro para seu negócio. O que acontece nas opções mais baratas e simples é justamente o contrário.

Pelo fato de várias lojas compartilharem o mesmo servidor, muitas vezes ficam passíveis de ataques e invasões. E a última coisa que você quer é alguém mal-intencionado usando seu e-commerce como alvo, não é mesmo?

Invista em uma plataforma que vai garantir segurança e suporte para seu e-commerce. Ter um negócio que envolve transações monetárias no ambiente virtual requer responsabilidade e cuidado com seu público e com seu empreendimento. E esse tipo de investimento nunca é demais.

Mobile


Qualquer site que não está adaptado ao universo mobile já sai atrás da concorrência. Quando falamos de e-commerce então, isso é ainda mais preocupante.

Naturalmente, plataformas de e-commerce possuem um tempo de permanência do usuário maior do que a maioria dos sites, pois dificilmente o cliente deixará de explorar outros produtos além daquele que ele estava procurando. E hoje, mais do que nunca, o acesso à internet é majoritariamente feito por celulares e tablets.

Assim, investir numa plataforma de e-commerce personalizável que seja mobile friendly é essencial para diminuir as taxas de rejeição ao seu site. E como muitas lojas virtuais ainda não apresentam essa facilidade de acesso mobile, adaptar seu negócio a essa realidade é garantia de destaque.

Mesmo que vários setores da economia brasileira venham apresentando resultados nada animadores, o cenário das compras on-line se mostra promissor. Se você está inserido nesse segmento, nada melhor do que aproveitar o bom ambiente e investir de maneira inteligente, pensando no desenvolvimento do seu negócio.

Procure investir em uma plataforma personalizável que tenha credibilidade no mercado. Busque um serviço flexível, completo e que se adapte ao seu modelo de negócio. O mais importante é encontrar uma plataforma que te atenda, sempre agregando valor.

Conseguiu entender a importância de uma plataforma de e-commerce personalizável? Então assine a nossa newsletter e fique por dentro de outros conteúdos como este!

8 passos para aumentar as visitas da sua loja virtual

post-blog-8 passos

Da mesma maneira que as pessoas estão ficando mais confiantes e seguras para realizar suas transações no ambiente virtual, o número de empresas que migram ou ampliam seus negócios para a internet não para de crescer. Diante desse contexto, a concorrência está se acirrando, o que faz com que os empreendedores precisem conhecer alguns passos para aumentar as visitas da loja virtual.

O lado bom dessa história é que, com algumas técnicas relativamente simples, é possível ter uma melhora substancial nos resultados da sua página, mesmo que você não possa destinar muitos recursos financeiros para mudanças.

E então, ficou interessado? Quer conhecer algumas dicas importantes para aprimorar o desempenho do seu e-commerce? Então confira o conteúdo que preparamos para você!

1. Utilize práticas de SEO


Uma das estratégias mais eficientes para aumentar as visitas da loja virtual é utilizar práticas de SEO. Isso ocorre porque, nos dias de hoje, qualquer pessoa usa buscadores como o Google para procurar informações, e sem as técnicas de Search Engine Optimization, seu site dificilmente conseguirá uma boa colocação.

Esse é um trabalho contínuo, que deve começar na a concepção e seguir em cada atualização de produtos e suas descrições. A principal ação é apostar em keywords (palavras-chave), que devem ser as mais procuradas pelo público-alvo no seu segmento. Mire em palavras com um grande número de pesquisas e que sejam relevantes na sua área.

2. Aposte na geração de conteúdo


A produção de conteúdo não apenas contribui para o SEO da sua loja virtual como também atrai o público e gera muito mais credibilidade para o seu empreendimento. Quando você investe em artigos relevantes, com temas expressivos e que chamem a atenção dos seus clientes, o número de visitantes naturalmente aumenta.

Uma boa alternativa é criar um blog, pois ele tem uma estrutura mais flexível e é uma excelente ferramenta para atrair mais tráfego. Por meio dele você consegue uma interação mais diversificada e amplia a chegada de usuários novos e antigos. Um post agrega valor à sua marca e aumenta as chances de compartilhamento.

3. Otimize as suas imagens


A utilização de fotos de excelente qualidade é indispensável para uma loja virtual que anseie pelo sucesso. É por meio das imagens que os clientes vão identificar os produtos nos seus mínimos detalhes e poderão ter o seu interesse de consumo despertado ou não. Dentro desse contexto, você não pode errar.

Quando for fotografar as suas mercadorias, é crucial que você não abra mão de estar atento a algumas questões importantes, como o dimensionamento, a apresentação do produto com detalhamento e a colocação em um fundo branco. Todos esses pontos são diferenciais para o internauta que está em busca do produto oferecido e aumenta a relevância para os mecanismos de busca.

4. Invista na produção de vídeos


Os vídeos, por sua vez, parecem não contribuir significativamente para as estratégias de SEO e para o posicionamento do site nos buscadores, mas isso não significa que não sejam extremamente importantes para a sua empresa.

A utilização deles é interessante para a atração de mais visitantes na sua loja virtual. Também são perfeitos para mostrar com mais precisão os detalhes do produto ou os artigos de uma forma mais dinâmica, aumentando a taxa de conversão.

5. Tenha um site responsivo


Nos dias de hoje, com a popularização das redes de conexão à internet e o barateamento de alguns gadgets, sabemos que boa parte das pessoas utiliza a internet por meio dos seus tablets e smartphones. Dentro desse contexto, ter um site que se adapte a telas menores é um dos passos importantes para aumentar as visitas da loja virtual.

O conteúdo responsivo se adapta ao dispositivo automaticamente, de forma que as imagens, os textos e os vídeos não fiquem discrepantes ou demorem para carregar. Quando isso não acontece, as chances do usuário simplesmente fechar a guia e buscar um concorrente são imensas.

6. Marque presença nas redes sociais


Em tempos nos quais as redes sociais são verdadeiras protagonistas na vida pessoal e virtual de boa parte das pessoas, é fácil perceber que os empreendimentos que não marcarem uma boa presença nessas mídias terão dificuldades em conseguir um bom desempenho. É essencial, portanto, vincular suas estratégias de marketing a essa questão.

Os sites do gênero levam seus produtos a um grande número de pessoas, que podem se transformar não apenas em clientes em potencial, mas em verdadeiros divulgadores da sua marca — pois sabemos que muita gente utiliza seus perfis para divulgar itens favoritos e para elogiar ou criticar empresas.

Como se não bastasse, o Facebook, o Twitter, o Google Plus, o Instagram e outras redes sociais estão ganhando cada vez mais importância nos projetos mais arrojados de SEO. As menções trazem relevância e autoridade ao negócio, bem como mais tráfego gerado pelos links publicados espontaneamente. Lembre-se: sempre que possível, compartilhe o link para sua loja.

7. Conheça as possibilidades do Pinterest


Falando em redes sociais, ter uma boa estratégia exclusiva para o Pinterest também é bastante interessante para aumentar as visitas da loja virtual. Essa mídia gera uma excelente oportunidade de aumentar a visibilidade do seu site nos buscadores.

O Pinterest permite que você capriche nas descrições dos seus distintos painéis e isso possibilita que você utilize palavras-chave relevantes para o seu empreendimento. Outro ponto é que sempre que um usuário clicar no botão Pin it inserido nos seus produtos, no seu site ou no seu blog, será gerado um link compartilhado para essa página, ajudando no SEO.

8. Realize campanhas de e-mail marketing


Por fim, as campanhas de e-mail marketing representam ótima tática para aumentar as visitas da loja virtual. Muitos especialistas chegaram a dizer que essa estratégia estaria com os dias contados, mas o fato é que ela continua sendo extremamente eficaz e possui um excelente custo-benefício.

Um mailing bem-feito pode gerar tráfego de qualidade para o seu site. Você pode montar a sua própria base de contatos ou, se julgar mais vantajoso, contar com a ajuda de alguma agência de mídias que já tenha uma rede pronta e segmentada em consonância com seu público-alvo.

E agora, pronto para aumentar as visitas da loja virtual? Gostou desse conteúdo? Então confira também este artigo sobre 7 vantagens da automação de marketing para o e-commerce!

Checkout simplificado tem grande importância para as vendas no e-commerce

img

Diversos fatores são responsáveis pelo sucesso de um e-commerce, como a logística e a facilidade de navegação na plataforma da loja virtual, entre outros processos que devem ser aprimorados constantemente.

E, com esse foco em otimizar os pontos mais gerais em relação à experiência do cliente dentro da loja virtual, muitos gestores acabam esquecendo de se concentrar em um dos fatores que, embora mais específico e pertencente aos estágios finais da decisão de compra, é um dos mais importantes: o checkout.

De suma importância para a efetivação da compra, o checkout é a última etapa que antecede a almejada conversão, e se o processo não for simples para o cliente, o que era uma conversão iminente pode ir por água abaixo. Confira agora porque simplificar este processo é tão importante para aumentar as conversões do seu e-commerce.

Se você tem uma loja virtual e se pergunta como pode começar a otimizar o checkout, considere prioridade o tempo do cliente. O sistema do site precisa deixar claro quais etapas esse potencial comprador precisará transcorrer para, enfim, finalizar a compra.

Uma medida interessante para isso é implementar indicadores de sessão dentro do sistema, permitindo que, dado o início do checkout, o cliente tenha a noção de qual etapa ele se encontra, como carrinho de compras, cadastro de endereço de entrega e pagamento, sempre evitando redundâncias. Direcionar o cliente para o carrinho cada vez que ele coloca um produto lá não é uma prática convidativa para que ele finalize a compra.

A fluidez no processo é fundamental, a partir do momento que a chance de desistência é iminente. Em uma geração na qual tudo precisa ser ágil e prático em virtude da rotina cada vez mais corrida, um dos recursos dos quais os seus clientes menos dispõe é tempo, e eles não vão gastá-lo em um checkout embaraçoso. Eles sabem que eventualmente terão que informar o endereço de entrega, cadastrar informações pessoais, residenciais e tudo mais, mas nem sempre está disposto.

Diante disso, é extremamente importante que a loja priorize as informações a serem cadastradas antes de efetivar a compra, requisitando somente o necessário para não engessar o processo, como o CPF, e-mail, e endereço de entrega, deixando as preferências de e-mail marketing e informações menos pertinentes para um segundo momento, durante o pós-venda.

A questão da navegabilidade é outro ponto que merece atenção. A dificuldade de localização de elementos e botões importantes dentro e-commerce pode desmotivar o cliente a finalizar a compra, mesmo que diversos outros fatores já o tenham atraído.

Os famosos Calls to Action – chamadas para ação – são elementos fundamentais em todo o conjunto de etapas do processo de vendas, tendo forte influência na tomada de decisões do comprador. Elementos importantes do checkout, como os botões de acesso ao carrinho, de cálculo de fretes, de adicionar cupom e de finalizar compra devem ter destaque na interface.

Aprimorando a experiência móvel


Esses elementos citados são ainda mais relevantes para os usuários de smartphones e tablets. Vivemos em uma era de mobilidade, onde as pessoas anseiam por praticidade em tudo o que faz parte das atividades da rotina comum, e comprar online é uma destas atividades. Se uma plataforma de vendas online dificulta a navegação cujo acesso se dá por computadores, imagine então se o acesso for oriundo de um smartphone.

Além de manter a interface precisa e enxuta, tornar o layout da loja virtual responsivo – ou seja – acessível a qualquer tipo de dispositivo – é crucial. Perante um acesso móvel, a tela em que serão exibidos os elementos do layout é muito menor, e caso não haja um mecanismo que adapte estes elementos, a interface vai virar um verdadeiro ‘carnaval’. Isto, portanto, dificultará imensamente a navegabilidade do cliente, aumentando consideravelmente as chances de que a venda não seja concretizada.

Pode acontecer, também, que o cliente queira consultar algum dado fornecido por ele em uma etapa anterior. Portanto, deixá-los todos à mostra e acessíveis também são um diferencial que ajuda no processo de checkout.

Um bom trabalho e planejamento de UX (user experience – experiência do usuário) pode ser mantido na mesma interface em que o cliente está cadastrando mais dados, tudo de forma harmônica e sem atrapalhar o prosseguimento do processo.

Por fim, o conjunto de possibilidades que o e-commerce oferece na hora do checkout, como formas de pagamento, custos e prazos de entrega, atualização de rastreamento, também exerce um grande fator de decisão na hora de concluir a compra.

Ferramentas relativamente novas e em constante adoção por parte de vários e-commerces, os gateways de software integram o ERP da loja virtual com os sistemas dos transportadores, permitindo ao cliente escolher o frete que melhor atenda às suas necessidades em relação a custo e prazo de entrega.

Facilitar a compra é crucial para evitar insatisfações por parte dos clientes e manter o número de conversões sempre em alta.

Henrique Mengue

CEO da EZ Commerce, plataforma de comércio eletrônico vencedora do Prêmio MercadoLivre de Empreendedorismo 2015, na categoria “Melhores Práticas em Tecnologia” – www.ezcommerce.com.br

CTA

Como escolher os meios de pagamento em lojas virtuais?

Post-blog-Como escolher os meios de pagamento em lojas virtuais

Taxa de conversão. No fim das contas, o objetivo principal das estratégias de marketing digital é aumentar as vendas no e-commerce. Nesse caso, não se pode descuidar de um só detalhe, e as formas de pagamento em lojas virtuais entram nessa lista de critérios. Isso porque a limitação delas influencia, consideravelmente, na conduta do consumidor.

Quer saber mais a respeito de como escolher da melhor forma os meios de pagamento em lojas virtuais? Então continue a leitura e confira!

1. Entenda a importância da oferta


Se a estrutura de seu comércio eletrônico oferece imagens de qualidade, descrição detalhada dos produtos e checkout inteligente, então tenha a certeza de que você segue no fluxo correto. Mesmo assim, é importante manter a atenção nas opções de pagamento, pois, se essas forem limitadas, o risco de os processos serem afetados é grande.

Quando você disponibiliza para o público outras alternativas, além do cartão de crédito, nas entrelinhas, a informação passada é a de que o seu negócio está preparado para atender quem quer que seja. Afinal de contas, trata-se de uma atitude que facilita a vida do comprador, agiliza o pagamento e ainda soma pontos na experiência do cliente. Ou seja, isso também tem a ver com conversão.

2. Conheça as alternativas de pagamento


No que diz respeito às formas de pagamento em lojas virtuais, é possível encontrar diversas alternativas, como cartão de crédito, boleto bancário, depósito em conta, débito on-line e intermediadores. O cartão de crédito ainda é o “queridinho” dos consumidores, já que em mais de 70% dos casos ele é o escolhido para finalizar uma compra.

Apesar disso, o boleto bancário surge na segunda posição, por suprir as expectativas de clientes que ainda desconfiam das transações de compra e venda on-line, não contam com limite necessário ou não possuem cartão de crédito.

Nos últimos meses, o débito on-line vem se destacando na terceira posição, pois o cliente tem a chance de concretizar a compra por meio de transferências entre contas. Algumas lojas até oferecem o depósito bancário como alternativa. Agora, se você quer disponibilizar uma melhor estrutura de pagamento, os intermediadores também não ficam atrás.

3. Avalie os prós e contras de cada uma delas


Quando se trata de e-commerce, o abandono do carrinho é um tema que exige cuidado. E as formas de pagamento podem impactar, sobremaneira, nas escolhas dos clientes. Vejamos os benefícios e desvantagens de cada uma das alternativas de pagamento:

Cartão de crédito


Se você quer vender mais, então esse é o tipo de oferta que não pode faltar. Afinal, esse modelo ainda é o número um quando se trata de compra, sobretudo em lojas virtuais. Como informado, o cartão de crédito facilita, agiliza e ainda melhora a experiência do cliente em seu site. Além disso, o pagamento pode ser parcelado, não é preciso pagar taxa como no boleto bancário, a compensação é automática, e o risco de desistência é bem menor.

Os benefícios são tentadores, mas os empecilhos também existem. A facilidade encontrada pelo cliente na hora de pagar não é a mesma quando você contrata esse tipo de serviço, pois o processo, além de lento, é burocrático. Outro ponto que pesa se concentra no repasse do dinheiro, uma vez que as operadoras levam de 15 a 30 dias para te entregar o valor pago pelo cliente.

O CNPJ é uma condição obrigatória. Ou seja, se você quer contratar uma operadora, não pode simplesmente informar o CPF. E a integração da plataforma com uma intermediadora implica na contratação de um módulo ou gateway de pagamento.

Boleto bancário


Esse é um método que não deve ser descartado, pelo menos por enquanto, pois oferece mais segurança, principalmente para aquele cliente mais desconfiado. Apesar da taxa adicional, o custo não chega a ser exorbitante. Além disso, com o boleto, o cliente recebe desconto e empresas de qualquer porte podem contar com esse sistema. Ou seja, algo bem atrativo.

No entanto, a constatação referente ao pagamento acaba sendo um “gol contra”, pois leva de dois a cinco dias úteis para a confirmação. Mas o problema vem antes disso, porque o cliente pode simplesmente não imprimir o boleto e desistir da compra no dia seguinte.

Débito on-line


Cada vez mais comum, as transferências entre contas vêm ganhando adeptos, pois a compensação também é rápida e automática. O consumidor não precisa se preocupar em ter que imprimir um boleto e você não corre tanto risco de o cliente desistir. Ou seja, é como o efeito que o cartão de crédito costuma produzir: comodidade, conforto, agilidade e facilidade.

Com o débito on-line, o desconto nas compras acaba sendo maior quando comparado com o do boleto e isso também se torna um ponto de atração. Sem contar que a tarifa paga ao banco, por cada concretização de venda, é interessante: varia entre R$ 0,30 e R$ 0,50, contra R$ 1, aproximadamente, da taxa gerada por boleto bancário.

Mas como nem tudo são flores, essa metodologia também leva a desconfianças. Não é todo mundo que curte a ideia de transferir dinheiro para contas de lojas virtuais.

Depósito bancário


Essa é outra alternativa que você pode oferecer, pois o desconto nas compras é considerável e não é preciso imprimir nada. Basta anotar o número da conta e agência a fim de efetuar o pagamento. Daí, o consumidor pode tanto escolher realizar a transferência (débito on-line), depositar no caixa eletrônico ou direto com o atendente do banco. Mas, aí, entram em cena os parâmetros negativos semelhantes aos do boleto bancário.

Intermediadores


Nesse caso, você contrata uma plataforma especializada para desempenhar esse tipo de atividade, sem a necessidade de CNPJ. Além disso, o checkout é inteligente e a responsabilidade de compras efetuadas com cartões clonados ou roubados cai na conta do intermediador. Por isso, empresas desse tipo contam com um sistema de detecção de fraudes.

Os intermediadores acabam sendo interessantes para os clientes que têm o hábito de comprar pela internet, pois, na maioria das vezes, eles já possuem um cadastro nessas operadoras. Ou seja, facilita a transação de compra e venda. Isso sem contar que muitas delas não cobram taxa de adesão.

A desvantagem está no percentual cobrado por esses moderadores, que nem sempre é fixo e a variação pode superar 8%, dependendo da plataforma. Vale ressaltar que, se você optar por receber o valor à vista, de uma compra parcelada, a taxação é maior. E a liberação do pagamento ocorre no prazo entre 15 e 30 dias.

4. Considere o easy checkout no pagamento de lojas virtuais


Hoje em dia, as pessoas são “bombardeadas” com informações de todos os lados. E você vai concordar que nem sempre é possível filtrar tudo isso, certo? Então, por que complicar, justamente, no fechamento da venda?

O easy checkout é um método inteligente que te ajuda no alinhamento dos processos, proporcionado uma condição de site mais responsivo, seguro e capaz de gerar uma melhor experiência com o cliente.

O que esse sistema faz? Resumidamente, ele entrega os dados essenciais, de uma forma dinâmica e competente. Tudo referente ao cadastro, finalização da venda, atualização de dados, identificação automática, entre outros benefícios, entra nesse pacote.

Ampliar a cartela de opções é uma tarefa que exige atenção, porque você precisa atender às necessidades do público, levando em consideração as vantagens e desvantagens de cada uma dessas formas de pagamento em lojas virtuais. Por isso, saber tirar proveito dessas alternativas é o que há. Mesmo que, para isso, seja preciso assumir alguns riscos.

Quer melhorar os processos de seu comércio eletrônico, deixando tudo mais enxuto e eficaz? Veja como o easy checkout pode ajudar!

CTA