Blog da EZ Commerce

Baixe o Ebook: Guia Completo de como Fazer uma Loja virtual

post-blog-header

O e-commerce, no Brasil, cresce sistematicamente, independentemente do cenário político ou econômico. Hoje, o varejo online já supera o comércio convencional na venda de diversos produtos, como passagens aéreas, pacotes turísticos, aparelhos celulares, livros, eletrodomésticos e equipamentos esportivos.

Esse panorama faz com que empreendedores de vários setores se voltem para o e-commerce e, logo, precisem de apoio nos primeiros passos dessa jornada. Por isso, a EZ Commerce produziu esse guia com todas as informações necessárias para você que quer construir sua loja virtual de acordo com as melhores práticas do mercado e deixá-la pronta para gerar resultados.

CTA

Atender o cliente: diferença entre uma boa plataforma e um problema

Post-blog - Suporte técnico a diferença entre uma boa plataforma e um problema

Uma boa plataforma de e-commerce pode ser reconhecida de longe pelos consumidores e é vivenciada de perto pelos donos de comércio eletrônico. Assim como em uma loja física, a e-loja precisa funcionar diariamente da melhor forma para o cliente e para o seu negócio. Porém, como fazer isso sem que a empresa saia no prejuízo devido a más escolhas durante o processo de definição do plano de negócios e da plataforma?

Quando se pensa em abrir um varejo online, os primeiros desafios são: saber quem é a sua marca no mercado e fazer um planejamento que abrace as particularidades da sua loja e da sua operação. Um dos pontos principais durante a construção da loja no universo digital é a escolha da plataforma, que vai abrigar as características da marca e oferecer recursos que se encaixam com as intenções de negócio da sua empresa.

Todo o esforço de meses e até mesmo de anos pode ir por água abaixo em segundos se o seu comércio não funcionar da forma correta para o consumidor. Por isso, além de investir em qualidade no atendimento e na gestão da marca, é preciso pensar também nas funcionalidades e na estrutura técnica que existe por trás dos grandes cases do e-commerce.

Não importa se as suas expectativas como cliente, que vai utilizar a plataforma de comércio eletrônico para vender produtos ou serviços, são a curto, médio ou longo prazo: você deve investir em uma ferramenta que otimize o seu trabalho e o andamento da sua loja, com um atendimento impecável e de alta qualidade.

Para atender bem o consumidor, invista em uma plataforma que sustente o seu negócio


Para que o consumidor seja bem atendido você precisa do suporte de equipes engajadas nas tarefas diárias de atendimento, logística, administração, entre outros setores, certo? Com a plataforma do seu e-commerce não funciona de maneira diferente. O suporte técnico sustenta as operações do dia a dia e resolve problemas que podem até influenciar na finalização de uma compra. Ou seja, o trabalho dentro de um e-commerce é baseado em três pilares: o que a empresa faz, o que a plataforma de comércio eletrônico oferece para que as ações sejam realizadas e aquilo que o cliente recebe.

Plataforma projetada para o crescimento da loja virtual


O primeiro passo para escolher uma plataforma de e-commerce é saber qual a infraestrutura que compõe a ferramenta. O datacenter da EZ, por exemplo, foi organizado para atender picos de demanda da sua loja, ter redundância de servidores para evitar qualquer falha e foi montado um complexo sistema de segurança para preservar todos os seus dados. No entanto, essas funcionalidades devem ser pensadas para que você cresça no mercado e não precise interromper uma jornada de venda devido ao desconhecimento de algum termo técnico ou de alguma operação na plataforma.

Por isso, todos os serviços do seu e-commerce precisam ser constantemente monitorados, dando tempo para que você se dedique apenas à parte principal: vender. E, vamos combinar, com uma equipe de atendimento ao cliente especialista em comércio eletrônico disponível para resolver qualquer problema surgido ao longo da operação da ferramenta, é muito mais fácil trabalhar. Pensando nisso, a EZ oferece um suporte diário para que o dono do e-commerce resolva suas dúvidas e questões por diversos canais, como: telefone, HelpDesk, e-mail, entre outros.

Fuja do perigo: o que a plataforma pode fazer por você


Vários obstáculos cruzam o caminho do seu e-commerce ao longo do dia. Um produto pode acabar no estoque, uma oferta pode não convencer o cliente ou a forma de pagamento disponibilizada ao consumidor não satisfazer a sua vontade. Mas essas são questões que podem ser resolvidas pela equipe de lojistas do e-commerce.

Porém, existem aqueles problemas técnicos que envolvem os servidores e as conexões da plataforma, que dizem respeito somente à operação da ferramenta e com os quais você lojista não deveria se preocupar. Portanto, para evitar dores de cabeça e momentos de tensão desnecessários na hora de abrir o seu e-commerce, é importante que você conte com uma plataforma que faça os ajustes técnicos e o controle diário das operações da sua loja. Se alguma janela do site não abrir corretamente ou qualquer outro tipo de questão técnica surgir durante a jornada de trabalho, é preciso que a sua equipe continue trabalhando e a infraestrutura que sustenta a sua plataforma resolva toda e qualquer dificuldade que se apresente.

O cliente não está preocupado com os problemas técnicos que você pode vir a enfrentar, pois o que ele deseja é ser bem atendido e encontrar produtos e serviços com um preço acessível. Então, na hora de escolher uma plataforma, opte por aquela que, além de possibilitar a criação do seu e-commerce, envolva questões de gerenciamento e suporte técnico.

O que avaliar para saber se uma plataforma é boa


Uma das grandes vantagens de uma boa plataforma de e-commerce (quando comparada a uma que só traz problemas) é a infraestrutura, que oferece segurança ao trabalho do dono do comércio. No caso da EZ, isso acontece devido ao modelo SaaS (software como serviço) adotado pela plataforma, que funciona a partir da proposta de lidar com toda a parte tecnológica de datacenter, servidores, webfarms e banco de dado.

Nas grandes campanhas, por exemplo, que reúnem diversos consumidores trafegando pela sua loja durante horas, como é o caso da Black Friday, o comerciante não precisa se preocupar com as questões técnicas que podem surgir devido ao grande volume de acessos. O atendimento dado pela EZ mantém o padrão de alta disponibilidade, com redundância de webservers e de outros componentes de rede eliminando qualquer trabalho para o lojista. Ou seja, se uma parte da máquina falhar, o seu e-commerce não precisa parar, pois vai ter outra para deixar tudo online para você.

A infraestrutura é monitorada 24 horas e conta com uma equipe de atendimento altamente capacitada para qualquer ação necessária. A EZ investe fortemente no suporte ao cliente no pré, durante e no pós-atendimento, garantindo que a sua loja virtual esteja sempre online e funcionando na parte operacional.

Além disso, a EZ realiza o Coach EZ Commerce, um treinamento planejado de acordo com o seu segmento, para que os colaboradores da sua equipe saibam operar as ferramentas da plataforma, potencializando suas vendas.

Portanto, entre em contato com a EZ, solicite uma proposta e fique por dentro de tudo aquilo que ela pode fazer por você!

CTA

Opere seu e-commerce de forma fácil com sistemas integrados

Post-blog-Integração de sistemas facilita a operação

Para que o mercado de lojas virtuais funcione e os comerciantes sejam fortes competidores, é necessário o investimento em plataformas de e-commerce que ofereçam tudo aquilo que o negócio precisa. Além de abrigar os produtos e colocá-los à mostra para os consumidores, estas plataformas podem oferecer serviços fundamentais para embasar o crescimento e a gestão da marca, auxiliam o desenvolvimento logístico, as estratégias de conversão e os relatórios gerados nas áreas de finanças e contabilidade e ainda compactuam com uma infraestrutura que suporta grandes campanhas e trabalha com segurança de dados.

Essas possibilidades são potencializadas quando a ferramenta escolhida consegue unificar as funções e facilitar a operação da sua loja a partir da integração dos sistemas, como é o caso da EZ Commerce.  Para isso, o sistema precisa estar ligado a pontos de interação como os sistemas internos ERP e as API’s, que ajudam a gestão do e-commerce, além dos meios de pagamento, dos sistemas de análise de fraude e segurança do usuário e das redes sociais que, ao funcionarem em conjunto, otimizam o trabalho da equipe e aumentam as vendas.

Como a EZ pode ajudar você


Com uma plataforma flexível, que permite a expansão do seu negócio, é possível a conquista dos mais diversos consumidores. Por isso, priorize na hora do planejamento a escolha de uma ferramenta que seja a chave para o sucesso da sua marca, ou seja, aquela que facilita a operação do e-commerce e oferece as melhores condições de trabalho.

No caso da EZ, existem formas eficientes de integração que compõem a operação do e-commerce. A troca de informações do sistema interno para a plataforma, por exemplo, pode acontecer em diferentes fluxos, com o envio das informações do ERP para a plataforma ou, no sentido oposto, com as informações sendo enviadas da plataforma para o ERP. Com a integração via API, é possível ter todas as informações centralizadas no seu ERP, o que evita o desperdício de tempo em certas funções, como o cadastro dos dados de um mesmo produto.

Isso também auxilia na maneira de exercer as tarefas diárias de um e-commerce como alterar preços de roupas ou verificar os estoques e organizar o seu negócio, reduzindo o tempo de execução dos processos internos da loja. Portanto, opte pelo que de melhor o mercado oferece em termos de infraestrutura e saiba que você estará em vantagem com uma plataforma que permite a personalização de acordo com o perfil da empresa.

Automatização de tarefas gera produtividade


Com a integração entre ERP e e-commerce, os processamentos de informações durante o período de compra ficam mais ágeis e a equipe não precisa mais realizar atividades repetitivas e demoradas. Sim, isso vale para todo o processo de compra, ou seja, desde o pedido até o momento da entrega na casa do cliente (influenciando diretamente – e positivamente – na geração de relatórios). O trabalho é otimizado e os problemas que surgirem durante o percurso, como uma falha na hora do pagamento, podem ser resolvidos rapidamente sem que o cliente perca o interesse pelo negócio.

Pedidos organizados convertem vendas


Um e-commerce integrado permite maior organização por parte do lojista que convive diariamente com diversos pedidos de produtos e chamados. Dependendo da ocasião, artigos que estavam parados no estoque podem ser procurados e ter a sua demanda aumentada. Neste caso, é importante que o sistema integrado de estoque da sua plataforma contabilize essas movimentações, permitindo a organização de todos os seus pedidos, produtos e seções a qualquer momento.

Com a EZ você pode fazer isso ou integrar com o seu próprio software de back office por meio das APIs da plataforma, recebendo os pedidos diretamente no seu software de gestão de estoque e, com tudo organizado e automatizado, aquele pedido que foi realizado no site aparece automaticamente no ERP. O único trabalho é clicar e confirmar as etapas.

A plataforma deve ser preparada para receber milhares de acessos, sem quedas, para que nenhum cliente fique na mão durante o processo de compra. Por isso, a EZ oferece a função de monitoramento dos servidores, garantindo total conectividade e backup dos seus dados, fazendo com que as alterações fiquem salvas na plataforma. Assim, é possível manter a loja em ordem, ter a segurança de que todos os procedimentos e modificações ao longo da jornada de trabalho não se percam e auxiliar na conversão de vendas.

Meios de pagamento: seu cliente à vontade para escolher


Escolha dar liberdade ao cliente na hora da finalização da compra e não desperdice todo seu engajamento com a marca.  Nesse momento, é importante deixa-lo à vontade para escolher a melhor forma de pagamento, pois ele só sairá satisfeito se efetivamente conseguir adquirir o produto desejado. Pensando nisso, a plataforma da EZ é integrada com gateways e intermediadores de pagamento, o que possibilita transações diretamente com bancos e operadores de cartão de crédito e facilita tanto o trabalho dos lojistas quanto dos consumidores.

Redes sociais: venda socialmente


Assim como a plataforma da EZ, que oferece soluções responsivas para o seu e-commerce e fica disponível a qualquer momento nos mobiles das pessoas, é interessante que a sua loja esteja conectada às redes de comunicação mais movimentadas do mundo. A EZ, por exemplo, permite que as redes sociais da marca estejam integradas à plataforma, trabalhando com o Facebook, Google+, Twitter, Pinterest, entre outras mídias digitais. Essa medida, além de aproximar a marca ainda mais dos clientes presentes nessas redes mundiais de relacionamento, consegue transformar os consumidores do seu negócio em divulgadores em potencial.

Análise de risco: evite fraudes


Além de todos os benefícios que a EZ oferece ao comerciante (e, consequentemente, ao consumidor), a plataforma é integrada com as principais ferramentas de análise de risco, como ClearSale e FControl. Contando com esses serviços, é possível reduzir ainda mais a chance de fraude nas compras e facilitar o trabalho da equipe, que estará por dentro dos melhores indicadores do mercado.

Agilidade na análise de relatórios


A integração entre ERP e e-commerce traz mais agilidade na hora de analisar os resultados do negócio. Com todas as informações unificadas e organizadas em tempo real, disponíveis no momento que a empresa precisa, é possível tomar qualquer decisão com mais propriedade e de forma mais assertiva. Na EZ, por exemplo, os relatórios são construídos com informações consolidadas e detalhadas, com dados e estatísticas que ajudam a gerar insights e aprendizados sobre o andamento do seu negócio, como quantidade de pedidos por período, cadastro dos clientes, estoque, produtos com estoque baixo, acessos por período e cruzamento de dados.

A integração pode ajudar de diversas formas a sua loja, por isso contate a EZ e priorize um trabalho organizado que otimiza o tempo de gestão do seu negócio. Entre em contato conosco e saiba mais sobre a plataforma! Acesse www.ezcommerce.com.br

CTA

Relatórios precisam ser fáceis e acessíveis

Post-blog-Relatório fácil e acessível gera insights positivos para a marca

Relatório fácil e acessível gera insights positivos para a marca


Para acompanhar o andamento de um e-commerce e ter uma visão geral do que acontece na sua e-loja é necessário apostar em plataformas com recursos completos e avançados no quesito gerenciamento. As informações e dados que a empresa gera não podem ser esquecidos ou deixados de lado. Eles demonstram todo o engajamento da equipe de atendimento, mostram se as ações planejadas realmente foram eficazes e revelam se a empresa atingiu o objetivo de captar clientes fieis a marca. Por isso, relatórios eficientes, acessíveis e fáceis de serem compreendidos devem fazer parte da plataforma de e-commerce escolhida para efetivamente auxiliar nas estratégias de venda do seu negócio.

As estatísticas não podem ser encaradas apenas como números. O controle de cada um dos setores e o registro das atividades realizadas ajudam você a gerir a loja da melhor maneira e a gerar insights positivos para a empresa, como conhecer a fundo os clientes, saber o que está funcionando de acordo com o planejamento inicial (e o que pode ou deve ser modificado) e entender a maneira como a sua loja se comporta no mercado. Dessa forma, o que foi feito não se perde e a empresa pode realizar novas ações a partir dos resultados obtidos nos relatórios.

O que a plataforma precisa ter para manter o cliente ativo e gerar bons relatórios


Técnicas avançadas de pesquisa: Para que o cliente não desista da compra e os relatórios reportem o nível de engajamento esperado do consumidor com a marca, invista em técnicas avançadas de pesquisa. Quando o consumidor acessa o seu e-commerce, não é interessante para a sua loja que ele encontre obstáculos até chegar ao produto desejado. Por isso, ao usar a ferramenta de busca, ele deve encontrar facilmente o que procura.

Pensando em ajudar o cliente na jornada de compra, as opções de busca dos produtos precisam deixar ela à vontade, com recursos como pesquisa fonética que corrige rapidamente a palavra escrita pelo cliente e uma pesquisa com sugestões instantâneas que possibilita ao consumidor encontrar o que procura sem precisar terminar a digitação. Outra característica desejável é a opção de o cliente filtrar a busca para encontrar os produtos por cor, tamanho, marca e outros atributos, simplificando o processo de escolha, além de ter os artigos, preços e estoque sincronizados, com clusters de pesquisas totalmente integrados com a plataforma, como acontece com a EZ Commerce.

Integrar a plataforma a um sistema de gestão (ERP): O objetivo é reduzir as chances de erro nos relatórios. Para isso, a empresa funciona de maneira organizada e tem todas as informações em um único software. Com um sistema de planejamento de recursos da empresa (um ERP integrado à plataforma), é possível centralizar o acompanhamento de todos os processos envolvidos na gestão da sua loja virtual, facilitando a hora de gerar os resultados da empresa.

Principais vantagens dos relatórios completos


Relacionamento entre cliente e empresa: Com relatórios completos, acessíveis e fáceis de serem manuseados dentro da plataforma, é possível otimizar a gestão do relacionamento entre cliente e empresa. De acordo com dados do primeiro semestre de 2016 divulgados pelo 34º WebShoppers, relatório especializado em informações do comércio eletrônico no Brasil, houve aumento de 31% em consumidores virtuais ativos, que realizaram pelo menos uma compra no período. Ou seja, somente no primeiro semestre deste ano, cresceu o número de pessoas trafegando pelo comércio online em busca de produtos podendo conhecer a sua loja e se tornar um cliente da marca.

Mas para saber quem são esses consumidores, quais são as suas intenções de compra e em qual segmento eles se encaixam, é preciso trabalhar com relatórios como o da EZ, que fornecem ao dono do e-commerce a quantidade de pedidos por período (dia, mês e ano), armazena o cadastro dos clientes, tem o controle do estoque e dos produtos que estão com estoque baixo, do número de acessos por período (dia, mês e ano) e de realizar o cruzamento de dados fazendo a relação entre acesso e pedido. Assim, aquele consumidor, cada vez mais engajado no processo de compra, passa a fazer parte das estratégias do seu plano de negócio e o que poderia ser apenas um apanhado de dados, agora faz sentido para a marca.

Registro de interações: O controle e o registro das interações dos clientes com a marca são muito importantes para que as empresas consigam avaliar os pontos positivos e negativos das ações, além de possibilitar o desenvolvimento de estratégias que facilitem o trabalho da equipe de atendimento, otimizando também a jornada de compra do consumidor, que pode ficar mais satisfeito com a sua marca.

Ao utilizar a plataforma da EZ, por exemplo, você conhece o comportamento dos clientes também pela análise de cliques e pedidos e, com isso, pode recomendar produtos de acordo com o histórico de cada um ao saber o que a pessoa comprou, o que ela viu dentro da sua loja, quais foram os produtos mais acessados, os mais vendidos, etc. O relatório faz todo esse registro e permite que você acompanhe o histórico de cada um, seja no processo de compra ou no atendimento solicitado. Com isso, é possível entender melhor o cliente e reconhecer os pontos críticos do seu negócio.

Segmentação: A partir do resultado dos relatórios, você pode segmentar os consumidores por perfil e público e desenvolver ações pontuais (e mais assertivas). Com o sistema de gestão ERP, por exemplo, é possível gerenciar melhor as campanhas segmentadas, como as de frete grátis por localidade ou aqueles descontos que ficam cada vez melhores à medida que o cliente compra mais de determinado produto, marca ou seção, que são possíveis quando se utiliza a plataforma da EZ, exigindo menos esforços e gerando maiores taxas de conversão. A interação entre ERP e e-commerce, então, oferece agilidade na hora de analisar os resultados dessas ações.

Identificação de compras não concluídas: Ao acompanhar os carrinhos de compras abandonados e identificar aqueles produtos que foram deixados para trás, é possível identificar quais são as falhas do planejamento de venda desses produtos e causas do abandono, como preço alto, serviço de pagamento oferecido pela plataforma, entre outros motivos. A partir disso, você pode pensar em mudanças estratégicas para o seu negócio.

Esses benefícios auxiliam tanto o seu e-commerce quanto o cliente, que terá uma melhor experiência de compra. Portanto, invista em uma plataforma como a da EZ, que oferece a chance para o seu negócio virtual sair na frente da concorrência sem muitos esforços, com relatórios completos, que geram insights positivos para a marca vender cada vez mais.

Quer saber mais? Acesse www.ezcommerce.com.br CTA

Entenda o que é o funil de vendas e a jornada do cliente

Post-blog-Entenda o que é o funil de vendas e a jornada do cliente

O avanço das soluções tecnológicas e a popularização do acesso à internet abriram inúmeras portas para quem deseja trabalhar com e-commerce. Hoje em dia, existem milhares de lojas on-line espalhadas na grande rede, algumas voltadas para um determinado segmento, outras, empresas que aglomeram vários itens e serviços em um mesmo espaço virtual.

Para que as empresas consigam ampliar sua presença na web, é indispensável que exista muito planejamento. Afinal, a concorrência é crescente, e é necessário superá-la, a fim de atrair mais clientes e conseguir bons resultados.

Por meio da ideia de funil de vendas e com o conceito de jornada do cliente, é possível fazer com que os e-consumidores se interessem cada vez mais pelos seus produtos, até se tornarem consumidores fiéis da marca. Quer saber o que é e como utilizar o funil de vendas e a jornada do cliente a seu favor? Então continue a leitura deste post!

O que é o funil de vendas?


Você quer mesmo bons resultados? Então deverá acompanhar o seu cliente durante todo o processo, desde o momento em que ele conhece o seu produto até o instante da compra. O funil de vendas é um modelo estratégico que faz parte do inbound marketing, pelo qual se pode identificar o ponto exato em que o consumidor está dentro do processo de relacionamento com a empresa e a compra do produto.

O sales pipeline, como também é conhecido em inglês, evidencia as etapas da venda de produtos para os clientes. Conhecendo as fases e o comportamento que as pessoas exibem em cada uma, fica muito mais fácil planejar a relação com elas e guiá-las até o fechamento do pedido.

O funil de vendas pode servir como suporte, um excelente auxílio para o usuário durante a compra. O processo bem elaborado deve fazer com que os consumidores sintam a facilidade e o contentamento de comprar os produtos na sua loja virtual.

Para entender exatamente como o modelo de funil de vendas trabalha, vale a pena considerar como funciona a jornada de compra.

O que é a jornada de compra do consumidor?


Antes do consumidor se decidir pela compra, ele passa pela chamada jornada do cliente. Essa trajetória consiste nos passos básicos pelos quais o cliente em potencial deve seguir, de forma que perceba a necessidade ou as vantagens na obtenção de um produto ou serviço para sua vida.

Ela funciona perfeitamente com um determinado perfil ou nicho de consumidores. Isso ocorre porque a tendência é que as pessoas possuam as mesmas características básicas nos instantes que antecedem uma compra.

A jornada do cliente é composta por 4 etapas:


Etapa 1: aprendizado e descoberta


Em um primeiro momento, o consumidor ainda não descobriu ou não enxergou a necessidade de um produto. Também pode não ter percebido uma oportunidade de negócio. Na primeira etapa da jornada, é preciso despertar, naquele consumidor, o interesse por determinado assunto. Dessa forma, será mais fácil guiá-lo até o produto final.

Etapa 2: reconhecimento do problema


Após algumas influências de aprendizado e descoberta, o consumidor percebe que ele precisa solucionar um problema que até então não sabia que era tão grande ou não compreendia que existia. Ele começa a perceber que aquela demanda possui algumas soluções simples. Nessa etapa, surge um interesse maior da parte do comprador em potencial, fazendo com que ele pesquise mais sobre o assunto.

Etapa 3: consideração da solução


Sabendo que ele possui um problema e precisa resolvê-lo, o consumidor começa a considerar a solução ideal para sua demanda. Depois de algumas pesquisas on-line, é natural ter se deparado com inúmeras soluções viáveis. É aqui que a empresa encerra a educação do cliente, mostrando que apresenta o melhor recurso para o problema.

Assim, a ideia é que, na terceira etapa, o consumidor já saiba que possui um problema e qual é a sua devida solução. Se não houver uma relação apropriada com ele, o consumidor não vai buscar o produto que você colocou no mercado e a história do seu potencial cliente vai acabar aqui.

Etapa 4: decisão de compra


Quando o consumidor chega à quarta etapa da jornada de compra, significa que está bastante interessado em adquirir a solução que a empresa apresenta. O ideal é mostrar as vantagens competitivas em relação ao mercado para conseguir conquistar esse consumidor.

Quais são as etapas do funil de vendas?


O funil de vendas é uma técnica valiosa para acompanhar os consumidores até a compra final. Conhecendo a jornada do cliente, esse processo fica muito mais intenso e verificável, de modo a permitir que os possíveis clientes se tornem mais qualificados e as chances de compra sejam potencializadas.

Em outras palavras: de nada adianta trabalhar o consumidor dentro de um funil de vendas se você ainda não conhece bem a sua jornada de compra.

Conhecendo a jornada do cliente no seu e-commerce, é hora de entender como funciona cada etapa do funil de vendas:

Topo do funil


O topo do funil é a parte em que os consumidores em potencial ainda não sabem que precisam dos seus produtos ou serviços. Essa etapa tem como termo-chave a ideia de “conscientização”.

Aqui, a pessoa ainda não é considerada um cliente. Afinal, nem reconhece que precisa dos seus produtos. A função dessa etapa do funil é fazer com que o consumidor tenha o seu interesse despertado sobre os seus negócios.

É no topo do funil que os e-commerces de sucesso conseguem atrair novos clientes futuros, ou seja, essa é a estratégia para gerar mais leads. Por esse motivo, trabalhe com o conteúdo e outras técnicas que despertem o interesse do seu futuro consumidor e que sirvam como ponte para seus produtos.

Meio no funil


Quando o consumidor acaba criando algum interesse pelo que é oferecido, ele avança para o meio do funil. Nessa etapa, é bem provável que ele já tenha percebido que tem um problema e que precisa de uma solução.

Esse é o momento em que ele fica na dúvida se compra ou não o produto. Quando não possui estímulos suficientes, acaba desistindo da compra e para de avançar ao longo do funil. Porém, quando recebe as informações adequadas, o desejo de comprar o produto aumenta.

Fundo do funil


É quando o consumidor tem o interesse real de comprar seu produto ou serviço, mas ainda pode escolher outra empresa que tenha o mesmo item à venda.

É importante, então, que você se utilize dos seus diferenciais competitivos para conseguir fisgar de vez a confiança desse consumidor e fazer com que, finalmente, ele concretize a aquisição — no seu e-commerce, e não na loja do concorrente.

Em resumo, as três etapas do funil de vendas fazem com que o consumidor tenha interesse pelos seus produtos ou serviços e efetivem a compra. Para que o método tenha êxito, é preciso trabalhar com seus leads qualificados.

Algumas dicas podem ajudar muito na hora de fisgar ainda mais a atenção dos seus clientes em potencial. Uma delas é o uso apropriado de CTAs. Sabe o que é isso? Entenda o que é CTA e como usá-lo para aumentar suas vendas clicando aqui!

CTA

Como o layout de e-commerce influencia no resultado das vendas?

Post-blog-Como o layout de e-commerce influencia no resultado das vendas

Um dos maiores desafios de quem possui um e-commerce e deseja aperfeiçoar e expandir sua loja é conseguir acompanhar o dinamismo da evolução digital. Muitos são os fatores essenciais que, juntos, otimizam sua plataforma — e, consequentemente, aumentam suas vendas. Um dos principais diz respeito à estrutura visual da sua loja. Por isso, neste post, abordaremos o layout de e-commerce, seja a sua loja própria ou parte de um marketplace.

O layout da sua loja diz respeito ao design empregado nela, e isso vai muito além da aparência ou de um visual atraente — implica também em uma elevada experiência do usuário, como usabilidade, acessibilidade, adaptabilidade a diversos dispositivos, entre outros. Entenda mais sobre o assunto:

O layout de e-commerce: pontos a destacar


Vamos analisar alguns pontos muito relevantes a respeito do aprimoramento do layout do seu e-commerce, com o intuito de otimizar sua loja e, consequentemente, turbinar o seu faturamento. Confira!

Organização da sua vitrine


Não é difícil fazer a analogia: imagine-se entrando em uma loja, por exemplo, de roupas. O estabelecimento não tem foco em um público-alvo definido. As gôndolas estão bagunçadas, com diversas peças de roupas espalhadas por todo canto. Você nem mesmo consegue achar onde ficam os provadores. Dá vontade de sair correndo, certo?

Agora, imagine o oposto: uma loja que possui total organização, as peças separadas por tipo, material, cor ou da melhor maneira para organizar uma loja de roupas. O importante é entender que, com sua loja virtual, é a mesmíssima coisa.

Aliás, podemos afirmar que é até mais importante, pois é muito mais fácil se evadir de um site do que de uma loja física. E a última coisa que você quer é perder um cliente porque seu e-commerce mais parece uma panela de ovos mexidos, certo?

O layout é essencial para manter essa organização. E quanto maior a diversificação de produtos, maior a necessidade de manter as coisas em ordem, de maneira limpa e de extrema facilidade de acesso.

Sendo assim, separe seus produtos por categorias. Por exemplo: se você tem uma loja virtual de perfumes, pode separar em: importados masculinos, importados femininos, nacionais masculinos, nacionais femininos, entre outros.

Aparência


O design da sua loja é essencial para o sucesso do negócio. O primeiro item que seus possíveis clientes notarão ao chegarem ao seu portal é a aparência dele. O visual precisa atraí-los, caso contrário, nem se darão ao trabalho de olhar os seus produtos.

Nesse ponto, conta muito a combinação de cores, os vídeos e as imagens — que devem ser bem produzidos e de excelente qualidade gráfica —, além do uso de uma tipografia que esteja relacionada ao perfil da sua loja, associada a uma copy decente.

Uma dica: em épocas de grandes eventos ou promoções, como o Natal ou a Black Friday, procure adaptar seu layout de acordo com a data comemorativa. É importante, também, estar preparado para os desafios típicos dessas ocasiões, que costumam aumentar bastante as vendas.

Usabilidade


Também não adianta muito ter um visual bacana, com uma disposição dos produtos bem organizada, se o seu site é um tanto quanto complicado de se usar. Esse é um dos principais fatores do layout que pode espantar ou manter clientes: a usabilidade.

Usuários gostam de navegar pelos sites utilizando poucos cliques, especialmente quando estão realizando uma compra, pois a demora ou a dificuldade em concluir o processo os fazem desistir com muita facilidade.

Tenha certeza de manter o acesso ao carrinho de maneira dinâmica e eficiente, e que a conclusão de uma compra seja fácil e prática para o cliente.

Outro quesito fundamental é investir em chamadas para ação (CTA, ou call to action) atrativas para aumentar suas vendas.

Acessibilidade web


Tornar o seu e-commerce acessível a todos significa que você pode investir em uma forma de torná-lo usável para pessoas com deficiências diversas (visual, motora, auditiva, cognitiva, etc.).

Existem muitas formas de se fazer isso, tanto que a acessibilidade web tornou-se um campo próprio de estudo dentro da área de tecnologia virtual.

Esse é um tópico complexo, mas, apenas para trazer alguns exemplos de tecnologias disponíveis para a acessibilidade que poderiam ser unidas ao layout de e-commerce, podemos ressaltar: softwares de leitura da tela (bastante úteis para deficientes visuais), softwares de ampliação de tela (também para deficientes visuais), softwares para reconhecimento de voz (excelente para quem tem problemas motores ou dificuldades para usar as mãos), entre muitos outros.

Design responsivo


O design responsivo é aquele layout que se adapta automaticamente a qualquer dispositivo pelo qual o usuário esteja acessando sua loja.

Em uma época em que os computadores de mesa e até os laptops deram lugar, em boa parte, ao uso de tablets e smartphones, é praticamente um “suicídio” mercadológico um e-commerce não possuir um layout responsivo.

As pessoas acessam a internet, na maior parte do tempo, pelos seus smartphones, e cresce exponencialmente o número de usuários que antes faziam compras apenas pelo computador e passaram a usar o telefone para o mesmo fim.

O layout de e-commerce: aumentando as taxas de conversão


Aprimorar o layout da sua loja virtual tem como principal finalidade atrair novos clientes ou manter a fidelidade dos antigos.

O layout deve ser um dos tópicos mais importantes do seu plano de otimização de taxa de conversão (CRO, ou conversion rate optimization). Sem um layout rigorosamente adequado, o seu e-commerce está fadado ao fracasso. Basta que um único concorrente possua uma loja mais bem elaborada e pronto!

O conjunto do layout (design, usabilidade e dinamicidade) deve estar sempre associado a uma boa estratégia de marketing e, lógico, a uma boa copy. Tudo isso deve ser criteriosamente pensado e planejado para que seu negócio prospere e aumente as conversões de vendas cada vez mais.

Uma última dica é estar sempre antenado às novidades tecnológicas e também ficar de olho nos seus principais concorrentes, de forma a acompanhar o que eles estão fazendo. Afinal, assim como você, eles também querem aumentar as vendas e se sobressair.

E então, percebeu a importância de um bom layout de e-commerce? Não perca nossas atualizações e outras dicas quentes sobre o mundo do comércio virtual. Siga-nos nas redes sociais: Facebook, Twitter, LinkedIn e YouTube.

cta2

Nova loja publicada: SHOPLOKO

Topof

A EXPERIÊNCIA EZ


A EZ Commerce está sempre atenta as tendências do mercado. Focada em inovar com qualidade estamos constantemente refinando pesquisas e implantando novos recursos. A loja Shoploko é uma empresa jovem e moderna que surge para assegurar a melhor experiência de compra para o cliente e contou com toda expertise da EZ Commerce para lançar sua loja, veja lguns recursos utilizados:

icone3

Mac


A loja Shoploko trabalha na venda e distribuição de produtos de telefonia, eletroportáteis, informática, games, cosméticos, entre outros, o Shoploko tornou-se referência quando o assunto é qualidade e segurança dos produtos que comercializa.

cta2

6 indicadores de desempenho que sua loja virtual precisa acompanhar

Post-blog-6 indicadores de desempenho que sua loja virtual precisa acompanhar

Os indicadores de desempenho (KPI, ou Key Performance Indicators) ajudam o empreendedor a identificar o progresso das suas vendas, da sua estratégia de marketing e das metas de atendimento ao cliente.

Um KPI é uma métrica que depende dos objetivos que você possui em relação à sua loja e mostra se o seu negócio está ou não caminhando na direção certa desses objetivos.

Parece complicado? Não se preocupe, vamos ajudá-lo. Trouxemos alguns indicadores de desempenho que julgamos essenciais para sua loja virtual. Acompanhe!

1. Valor médio por pedido


O valor médio por pedido (VMP) pode ser considerado um indicador fundamental para empreendedores do varejo on-line, porque a receita da sua loja será diretamente proporcional a ele.

Basicamente, o VMP é calculado como a razão entre a soma de todos os valores de vendas concretizadas (receita bruta) pela quantidade de pedidos feitos (e não de produtos).

Por exemplo, digamos que no último mês sua loja concretizou a venda de 192 pedidos no carrinho, gerando um total de R$ 7.987. O VMP será de R$ 41,60. Essa métrica é importante, porque diz a quantia média de produtos que um cliente compra por pedido.

Por essa razão, para aumentar essa média, é necessário trabalhar uma estratégia para que o cliente adicione mais itens ao seu pedido em cada compra. Por exemplo, fazendo indicação de outros produtos relacionados ao que ele já colocou no carrinho, colocando frete grátis para compras a partir de determinado valor, entre outros.

2. ROI


Sigla bastante conhecida de quem trabalha no ramo de e-commerce, ou de qualquer outro negócio, o ROI (Return On Investment) diz respeito ao valor que você recebe de volta em comparação com o que você investiu no seu negócio.

É por meio do ROI que você saberá se o seu negócio está tendo um bom retorno financeiro ou não. Isto é, muita gente fala apenas em faturamento, não levando em conta a quantia que foi investida para se chegar àquele faturamento.

Vamos considerar dois casos como exemplo:

  1. A loja X teve um faturamento de dois milhões de reais no último ano, tendo um total de um milhão de reais investido no mesmo período. O ROI da loja X é de 200%.

  2. A loja Y teve um faturamento de um milhão de reais no último ano, porém investiu apenas cem mil reais nesse mesmo período. O ROI da loja Y foi de 1.000%.

Percebeu que, apesar de a loja X ter tido o dobro de faturamento, quando consideramos a quantia investida, a loja Y teve um retorno cinco vezes maior?

3. Taxa de conversão


Outra métrica considerada essencial para o seu negócio, a taxa de conversão diz respeito à efetividade da sua loja em fechar negócios. Para se chegar aos números desse indicador, basta encontrar a razão entre o número de vendas e o número de visitantes da sua loja em determinado período e depois multiplicar o resultado por 100, para se chegar ao valor em porcentagem.

Veja um exemplo básico: digamos que sua loja recebeu a visita de 10 mil pessoas entre dia 1º e dia 20 do mês passado. Nessa mesma faixa de tempo, sua loja teve um total de 150 vendas. A taxa de conversão do seu e-commerce nesses 20 dias foi de 1,5%.

A partir desse parâmetro, você descobrirá se foi uma taxa esperada ou se está abaixo do ideal, ou ainda, para a sua felicidade, se está acima do que foi estabelecido. Tudo isso de acordo com o seu negócio e seu plano de marketing.

4. Taxa de rejeição


Tão importante quanto à taxa de conversão é saber a taxa de rejeição que seu negócio está tendo. A taxa de rejeição diz respeito ao percentual de visitantes que abandonam seu site imediatamente, provavelmente, porque a eles não encontraram na sua loja aquilo que estão procurando, ou seu site lhes parece complicado de usar, ou mesmo, porque seja irritante, cansativo ou outro fator negativo qualquer.

Para se chegar à taxa de rejeição, basta dividir o total de visitantes que abandonam seu site imediatamente pelo número total de visitantes. Depois basta multiplicar o resultado por 100 para chegar ao valor em porcentagem.

Se sua loja, página de vendas ou mesmo landing pages estiverem com uma alta taxa de rejeição, chegou a hora de rever alguns fatores cruciais para o bom desenvolvimento do seu negócio, tais como: o bom design, uma copy atraente e sem erros, ênfase nos benefícios para o cliente, foco no público-alvo certo (dentro de um nicho adequado), usabilidade, entre outros.

5. Taxa de abandono de carrinho


Quando um visitante chega a colocar um item no carrinho, mas não conclui a compra, isto é, abandona no meio do caminho, podem existir diversos motivos para isso. Alguns deles dizem respeito ao próprio cliente, que muitas vezes se arrepende, porque percebe que aquele gasto prejudicará suas finanças do mês ou por qualquer outro motivo relacionado à razão/emoção dele.

Outros motivos dizem respeito à maneira como você está conduzindo o seu negócio e investindo na sua loja, por exemplo: péssima usabilidade, excesso de dados a preencher para finalizar a compra, poucas opções de pagamentos, dificuldades para seguir o caminho até o checkout, entre outros.

A base de cálculo dessa taxa segue o padrão das demais: a razão entre o número de pessoas que não completam o checkout pelo número total de pessoas que iniciaram o checkout, cujo resultado será multiplicado por 100 para se chegar ao valor percentual.

Nota: se sua taxa de abandono de carrinho estiver acima de 65%, é hora de repensar o seu funil e analisar as suas estratégias.

6. Custo por aquisição


Entre todos os indicadores de desempenho, o custo por aquisição (CPA) é o que mais se relaciona aos seus gastos com as estratégias de marketing direto. Isto porque ele diz exatamente quais das suas campanhas de marketing que melhor conduziram a vendas e quais deixaram a desejar, gerando um gasto grande para um retorno muito baixo.

Essa métrica é de suma importância para rever as estratégias de marketing do seu negócio. Para calculá-la, basta pegar o custo total de todas as ações de marketing feitas por uma campanha e dividir pelo número total de conversões.

Não confunda o CPA com o ROI, pois este último se refere ao investimento total do seu negócio (incluindo toda a estrutura), enquanto o CPA diz quanto você precisa gastar para conseguir clientes pagantes. Na realidade, o CPA em boa parte ajuda a determinar o seu ROI. Pois se uma campanha, mesmo que traga bastante visitantes, gerar poucas vendas, ela não pode ser considerada bem-sucedida.

Existem dezenas de outras métricas que devem ser levadas em consideração, sendo estas apenas algumas das principais. Dependendo do seu negócio, você terá que analisar algumas que são peculiares ao seu empreendimento. E de que forma podemos medir esses indicadores de desempenho?

Há no mercado inúmeras ferramentas para isso. Mas nenhuma é tão conhecida como o Google Analytics. Gratuita e com alto índice de confiabilidade, essa ferramenta permite medir grande parte desses KPIs.

Mensurar seus resultados não é só para satisfazer a sua curiosidade de números. Quer saber como os indicadores de desempenho ajudam o seu negócio a obter sucesso? Então confira este post sobre a importância de mensurar de resultados!

Gostou das dicas que falamos neste post para acompanhar o desempenho da sua loja virtual? Então assine a nossa newsletter e receba todos os nossos conteúdos diretamente no seu e-mail!

cta2

Aprenda em 6 dicas como aumentar as vendas no dia das crianças

Post-blog-Aprenda em 6 dicas como aumentar as vendas no dia das crianças

O Dia das Crianças é uma oportunidade gigantesca para que diversos negócios aumentem suas vendas. Com grande potencial de lucro, essa data pode ser aproveitada para a criação de estratégias de marketing que acertem em cheio o seu público-alvo.

Tendo isso em vista, selecionamos, neste post, algumas dicas para expandir seus lucros nessa época do ano e aumentar as vendas do seu negócio. Confira!

1. Utilize fotos no seu e-commerce


Além da beleza estética, a utilização de fotos significa uma poderosa arma na hora de aumentar as vendas (e a conversão) da sua loja. Com as imagens, o cliente tem uma primeira visão do produto e, assim, as chances de finalizar a compra aumentam muito.

Hoje em dia, muitas lojas virtuais preferem fotografar suas próprias mercadorias, e para isso, precisam ter ou alugar um equipamento adequado (câmera profissional, luz e cenários). É preciso que a foto esteja em boa qualidade e que ela atraia o consumidor. Para isso, pode-se usar programas como o Photoshop ou o Fireworks na hora de consertar pequenas imperfeições.

Disponibilizar algumas fotos de cada mercadoria, assim como a função zoom, permite que o cliente não tenha dúvidas sobre o que está comprando. Tenha em mente que muitas compras na web são feitas de forma espontânea, e que uma foto boa do seu produto pode ser extremamente atraente para alguém que está apenas navegando pela internet.

Dentro do site, é importante que haja um padrão de tamanho das imagens e alinhamento, fazendo com que a tela do internauta seja uniforme. Quanto mais agradável for a navegação para os visitantes, maiores serão as chances de fechar negócio!

2. Aprenda a usar as redes sociais a seu favor


As mídias sociais vieram para ficar e, hoje em dia, é praticamente impossível uma empresa nova se firmar no mercado sem elas. O novo marketing boca a boca agora é on-line: se você quiser aumentar as vendas, será inevitável aproveitar essa tecnologia.

Em datas comemorativas, as mídias sociais são importantes aliadas para divulgar os itens e as iniciativas de mercado da empresa.

Instrumentos como Facebook, Twitter e Instagram estão revolucionando a relação empresa-cliente, tornando-a cada vez mais próxima. Utilize essas redes a seu favor: valorize uma interação mais pessoal com os usuários em vez do tratamento impessoal e polido. Muitas marcas utilizam emojis e gírias para cativar seus clientes mais jovens. Se for esse o seu caso, atente-se para a ideia!

Além disso, redes como Twitter e Facebook têm sido mais aproveitadas para promoções e sorteios de uma marca. No Twitter, pode-se formular campanhas de sorteios para quem der RT (retweet) na sua ação. Enquanto isso, na página de Facebook da empresa, poste uma campanha solicitando que seus fãs compartilhem determinada imagem ou use alguma hashtag específica — é uma ótima tática para espalhar o nome da sua marca pelas redes.

Outras ferramentas como Pinterest e Snapchat também vêm sendo cada vez mais usadas na hora de deixar sua marca registrada no coração da clientela. O Pinterest, que possui a opção de “pinar” uma foto, é uma rede particularmente rentável, já que tem cerca de 50 milhões de usuários pelo mundo e trabalha de uma maneira mais temporal: é viável recuar a conteúdos publicados meses antes, sem a dificuldade trazida pelo Facebook. Já no Snapchat, o ideal é mostrar as novidades da marca ou os produtos disponibilizados por tempo determinado.

Porém, é conveniente ter cuidado com aquilo que você publica: trace uma boa estratégia de marketing antes de publicar seus conteúdos. Da mesma maneira que propagam ideias a seu favor, as redes sociais podem se tornar uma tremenda dor de cabeça se não forem bem utilizadas, já que o julgamento dentro delas é rápido — e, muitas vezes, viral.

3. Elabore boas ideias de call to action (CTA)


Um CTA — ou a famosa “chamada a ação” — visa estimular o usuário a finalizar a compra no seu site ou cumprir alguma coisa que você deseja que ele faça. Para isso, disponibilize, no seu e-commerce, informações sobre a empresa e sobre as transações, bem como ofertas e cupons de desconto.

Em datas comemorativas, utilize banners mais vívidos e deixe em destaque no e-commerce a ação (CTA) destinada ao período. Dê certo sentido de urgência à sua mensagem: utilize termos como “por tempo limitado” ou “apenas nesta semana” — isso incentiva que os clientes efetuem a compra por impulso ou mais rapidamente.

4. Crie boas campanhas de e-mail marketing


O e-mail marketing alavanca (e muito) as vendas de um site. Para tê-lo, disponibilize na sua página na internet uma aba em que clientes interessados nas novidades da marca possam se cadastrar. Para tornar a ideia mais atraente ao internauta, ofereça descontos ou brindes para aqueles que efetuarem o cadastro.

As campanhas de e-mail marketing agem como uma forma direta de comunicação entre a empresa e o usuário, e devem ser bem exploradas. Mostre que você valoriza seu contato on-line, compartilhando novos produtos em primeira mão ou oferecendo esquemas de pontos e recompensas no site.

Em datas sazonais, como o Dia das Crianças, a ideia é capaz de atrair muitos clientes! Na primeira semana de outubro, dispare o e-mail com as novidades e promoções que a marca vai oferecer naquela época do ano. Apresente ofertas exclusivas para os clientes da sua lista de cadastro — assim, as chances de compra e fidelização aumentam!

5. Estude seu histórico de vendas para o período


Se você já tiver feito ações de mercado em anos anteriores, é importante analisá-las e descobrir o que funcionou e o que não obteve sucesso com seu público-alvo. Dessa forma, pode-se aprender com seus próprios erros e acertos e, assim, aprimorar suas técnicas.

Fique de olho, também, nas campanhas da concorrência: elas podem ser uma importante fonte de inspiração. Preste atenção na linguagem empregada e na forma como os produtos são abordados nas campanhas alheias.

6. Segmente seu público


Uma ótima dica para quem deseja vender em uma época específica do ano é segmentar a audiência — ou seja, fazer o recorte de quem é o público-alvo para determinada ação e, por meio de estratégias de marketing, avaliar meios de atingi-lo diretamente.

Para a ocasião do Dia das Crianças, a divisão de clientes por idade é uma boa ideia. Mas não se esqueça de que os decisores das compras são os pais das crianças. Portanto, raciocine sobre táticas diferenciadas para usar com cada tipo de cliente.

Procure também se colocar no lugar do cliente que acabou de chegar ao seu site: como ele pesquisaria um presente para o Dia das Crianças? Crie bons filtros de palavras sugeridas, as quais possam estimulá-lo a navegar pelo e-commerce — e separe os produtos também por faixa etária.

Gostou das dicas que foram observadas neste post para aumentar as vendas? Então continue a ler outros posts do blog e saiba como potencializar seu negócio com nossas dicas!

cta2

O que é CTA e como usá-lo para aumentar suas vendas?

Post-blog-O que é CTA e como usá-lo para aumentar suas vendas

Sua loja on-line possui excelentes produtos, um belo design e oferece uma ótima experiência e usabilidade para o cliente. Então, por que não há grandes resultados nas taxas de conversão e, muito menos, nas vendas? A resposta para essa questão é bastante simples, mas de grande importância para qualquer loja que queira aumentar sua conversão: o CTA! Você sabe o que é CTA e por que ele pode ser a solução para o sucesso do seu e-commerce? Ainda não?

Se você não sabe exatamente por onde começar, não se preocupe. Em nosso post de hoje, iremos nos aprofundar um pouco mais sobre esse assunto e mostrar como otimizar esse recurso para obter melhores conversões e aumentar as vendas da sua loja on-line.

Ficou interessado? Então siga em frente e boa leitura!

Para começar, o que é CTA?


CTA é uma sigla oriunda do termo “Call To Action” ou, em tradução literal, “Chamada para Ação”.

De certa forma, os CTAs são os maiores responsáveis para dar aquele empurrãozinho final para convencer um usuário indeciso a clicar em um botão ou acessar um link, seja ele de compra, de navegação ou apenas para se inscrever e receber alguma oferta. Ou seja, é uma pequena chamada para que esse usuário — que pode ser um cliente, lead ou apenas um visitante — interaja com sua loja virtual, logo após ter entrado em contato com seu conteúdo.

Compreender o que é CTA é algo bem simples. Por definição, o Call To Action age como uma instrução para o visitante; instrução essa que gera uma resposta imediata. Normalmente, os verbos são usados no modo imperativo, com chamadas simples e não muito longas.

Por que o CTA é tão importante?


O Call To Action é importante porque ajuda a garantir maior conversão de leads, direcionando-os para as suas landing pages — também conhecidas como páginas de destino ou entrada, ou seja: é nelas que visitante chega quando clica em um link patrocinado, em um banner ou em resultados de busca.

É justamente o CTA o responsável por conduzir esses visitantes para as landing pages definidas, o que evita que eles abandonem sua página.

Outro fator relevante a ser considerado nos CTAs é que eles induzem o visitante a permanecer por mais tempo navegando pelo seu site e, dessa forma, se familiarizar com ele e, por fim, executar a ação esperada.

Mas há uma observação que devemos deixar bem clara aqui nesse tópico: Sempre dê ao cliente aquilo que prometeu na sua chamada. Não o decepcione trocando “gato por lebre”, pois isso pode, simplesmente, levar todos os seus esforços de conversão por água abaixo.

Que estratégias no uso de CTAs aumentam a conversão?


Foque nas necessidades dos seus visitantes


O foco principal dos seus CTAs deve estar em seus visitantes. Observe seu comportamento de navegação, analise o seu perfil, veja o que eles mais procuram, quais páginas geram mais interesses, entre outros.

Após essa análise, comece a pensar nos seus CTAs planejando como estruturá-los para gerar as taxas de conversão esperadas. É justamente nesse ponto que a análise dos dados dos visitantes é importante, pois é preciso observar em que estágio do funil de vendas eles se encontram para que um CTA seja efetivo.

Por exemplo, suponha que seu visitante ainda esteja no topo do funil. Lançar um CTA, logo de cara, para induzi-lo a comprar o seu produto não é uma das melhores estratégias, pois, nessa etapa, ele ainda se encontra no estágio de conscientização. Portanto, os CTAs devem ser voltados para atração e servir de isca para suas landing pages.

Da mesma forma, os CTAs para o meio e fundo do funil de vendas devem direcionar a conteúdos relevantes para os visitantes que se encontram nesses estágios da jornada.

Analise as cores que mais favorecem a conversão


Você sabia que as cores utilizadas nos botões dos seus CTAs também influenciam — e muito! — na taxa de cliques? Pois é! A composição de cores das suas páginas e dos seus botões deve estar em harmonia, passar um visual limpo, claro e objetivo. Poluição visual aqui é proibida!

Segundo a Quicksprout, as cores são extremamente importantes para persuadir um visitante. Veja os dados levantados por ela:

  • Os anúncios coloridos atraem 26% mais do que os anúncios em preto e branco.

  • As mulheres preferem as cores verde, azul e roxo, enquanto a maioria dos homens é atraída pelas cores verde, azul e preto.

  • Em contrapartida, as mulheres rejeitam mais as cores cinza, laranja e castanho; já os homens não gostam do roxo, laranja e castanho.

  • A cor vinho foi a mais relacionada ao requinte, enquanto o preto está ligado a algo sofisticado.

  • A cor laranja foi associada a preços justos e baixos.

  • As cores que mais desagradaram foram: castanho, que remete à sensação de contrariedade e desgosto; e cinza, que lembra tristeza e solidão.

Realize testes A/B


Um dos testes mais aplicados por quem trabalha com marketing digital é o chamado teste A/B. Essa estratégia consiste colocar em teste duas versões de uma mesma página, apenas com algumas diferenças sutis entre elas e, após um determinado tempo, verificar — por meio de certas métricas — qual mostrou mais eficiência em aumentar a conversão.

No nosso caso, como estamos falando de Call To Action, o ideal é utilizar duas páginas de conversão bem parecidas e testar alguns CTAs. É possível testar a cor dos botões, os textos, imagens, links e todos os demais itens que podem compor o elemento.

Após descobrir qual botão está performando melhor ou qual texto foi mais eficiente, é só colocar para funcionar. Essa técnica que não tem erro. Teste e veja os resultados!

Incite um sentido de urgência


Uma excelente estratégia de marketing é utilizar CTAs que provoquem um sentido de urgência. Os verbos no imperativo impelem o visitante a clicar no CTA. Esse é um fator psicológico que desperta e convence melhor o usuário.

Confira alguns exemplos:

  • “Corra agora! Nossa promoção só é válida neste mês.”

  • “Compre já! Só restam 100 unidades disponíveis.”

  • “Adquira já o seu! Nossa oferta é válida somente esta semana.”

Geralmente, esses CTAs funcionam muito bem, fazendo com que o visitante clique, mesmo que por impulso, por medo de perder a grande chance que você está oferecendo.

Crie CTAs inteligentes para suas promoções


E, para finalizar nosso artigo sobre o que é CTA, não poderíamos deixar de citar as famosas promoções, afinal: quem é que não gosta de uma, não é mesmo?

Dependendo do canal de comunicação utilizado para divulgar sua loja virtual, como as redes sociais, por exemplo, essa estratégia funciona muito bem. Mas, para isso, é necessário atrair sua audiência oferecendo algo. Utilizar, no seu CTA, palavras como “free”, “grátis” ou “promoção” seguida de uma seta bem chamativa é uma isca mais do que eficiente para aumentar sua taxa de conversão.

E, para encerrar, vamos ao nosso CTA?

Você agora está pronto para utilizar e testar CTAs na sua página! Para ficar por dentro de outros conteúdos como este, curta a nossapágina no Facebook!

CTA