Blog da EZ Commerce

Entenda como funciona integração Marketplaces

Post-blog-Integração com marketplace entenda como funciona o processo

O fenômeno do e-commerce ainda é recente, mas seus números são impressionantes. Considerando a evolução tecnológica que o mundo viu assombrado nos últimos trinta anos, verificar hoje as facilidades que a internet trouxe parece quase ficção científica.

No entanto, os números são reais e mostram a forma que o comércio on-line ganhou nos últimos anos e a que ainda terá nos próximos. Segundo a E-bit, em 2015 o faturamento total chegou a R$ 43 bilhões e em 2014 foram 51,5 milhões de consumidores que realizaram pelo menos uma compra on-line, havendo uma média de duas compras por consumidor.

A perspectiva é que até 2020 esses números dobrem, o que mostra como a internet — e as compras on-line — já fazem parte do dia a dia das pessoas. Há, é claro, várias vantagens em se comprar on-line. Preços mais competitivos, facilidade na pesquisa e na comparação, receber o produto em casa…

A tecnologia dos aplicativos e das plataformas mobile dos smartphones tiveram uma grande parcela de responsabilidade nesse crescimento, assim como a melhoria na qualidade de conexão. Os fatores são vários, mas o resultado é um: o mercado digital cresceu.

O crescimento dessa forma de comércio foi acompanhado pelo crescimento do número de e-commerces e por plataformas melhores e mais dinâmicas. Dentro disso, tivemos o desenvolvimento dos marketplaces. Resumidamente, os marketplaces são grandes vitrines virtuais, sites com reconhecimento dentro do e-commerce que disponibilizam o espaço para outros e-commerce.

O termo vem do inglês “market”, que significa mercado e “place”, que significa lugar. Ou seja, é um lugar de vendas on-line, como um shopping digital. Se você ainda não está familiarizado com o conceito, veja este artigo que detalha o funcionamento e os principais marketplaces do Brasil.

Para muitos e-commerces pode ser vantajoso entrar em um marketplace, por diversos motivos. No entanto, não basta ter a solicitação aprovada e se associar a um marketplace. É preciso tomar alguns cuidados para realizar uma integração com o marketplace que seja rentável.

Para entender como ocorre esse processo, fizemos este artigo mostrando a importância da presença em marketplaces, como fazer a escolha das lojas parceiras, a gestão de produtos e de preços, a criação de atributos, a integração do estoque, a manutenção dos APIs e, por fim, a necessidade de um sistema de qualidade para uma gestão eficiente.

Confira!


1. A importância da presença em marketplaces


Primeiro, devemos pensar acerca dos motivos que justificam a presença em marketplaces. A resposta pode parecer simples: ter mais visibilidade e acesso a milhões de clientes. No entanto, embora esse seja com certeza um motivo, ele não é o único.

Considere que os principais marketplaces do mercado brasileiro são a B2W — que conta com os sites da Americanas, Submarino e Shoptime —, a CNova — que atua com Ponto Frio, Casas Bahia, Extra e Cdiscount —, Mercado Livre, Netshoes, Enjoei, Tanlup, Elo7, dentre outros.

Esses sites têm milhões de visitantes diários, confiança do mercado e sistemas de proteção e segurança on-line de ponta. A integração com marketplaces tende a ser vantajosa em diversos aspectos. Além da maior visibilidade, utilizar os marketplaces pode ser uma excelente forma de poupar gastos, garantir maior segurança nas transações e aumentar o índice de confiabilidade do seu e-commerce.

Isso porque os marketplaces já possuem uma infraestrutura montada, know-how que pode ser usufruído pelo e-commerce integrado e facilidades de pagamento, com diversas opções para o cliente — o que, na internet, é um grande atrativo.

Outra vantagem que a integração com marketplaces garante é o menor custo com divulgação e marketing. Afinal, como mais pessoas visitam esses sites, a conversão em vendas tende a aumentar e, consequentemente, o custo de aquisição por cliente a diminuir. E se tudo isso não for suficiente para convencê-lo, pense no seguinte: se você não fizer, o seu concorrente fará.

2. Escolha das lojas parceiras


Antes de mais nada, é importante dizer que é possível fazer a integração com diversos marketplaces. Ou seja, não é necessário exclusividade para trabalhar com apenas um deles. Claro que isso exige uma logística gerencial muito maior, mas essa pode ser uma excelente forma de ter ainda mais alcance e vendas.

Dito isso, escolher as lojas parceiras de marketplace é um pouco mais complicado do que se imagina. Afinal, se há tantas vantagens, basta se associar a todas elas, certo? Errado.

Cada loja parceira tem suas peculiaridades, sua forma de cobrança (a maioria cobra comissão sobre a venda, que pode não compensar, a depender do produto em oferta) e, principalmente, seu público-alvo.

Para um e-commerce de acessórios tecnológicos, por exemplo, integrar-se com a Netshoes não compensa. Isso porque a Netshoes é um marketplace voltado para tênis, calçados e artigos esportivos. O público-alvo da Netshoes não é o mesmo da Submarino, que foca na venda de produtos tecnológicos e livros.

O público-alvo é um dos fatores determinantes, mas há outros que precisam ser também levados em consideração. Os marketplaces não são gratuitos. Como toda empresa, eles lucram com o que oferecem. E a forma como essa cobrança se dá em relação aos e-commerces precisa ser colocada na balança.

Muitos também possuem critérios de anúncios, como fotos e número de caracteres que, por vezes, não se enquadra no negócio do e-commerce. Um e-commerce de livros não pode prosperar se o limite da descrição do produto não chega a alcançar a sinopse, por exemplo.

Há, ainda, que se considerar o valor médio e a concorrência dentro do marketplace. Se, abatendo as comissões, a venda não for lucrativa, não é um bom negócio. Outro fator de extrema relevância é verificar a avaliação, reputação e ranking de confiabilidade da loja parceira escolhida na internet.

Isso é medido por sites especializados como o Reclame Aqui e o E-bit, que classificam por notas a satisfação do consumidor final. Isso é importante pois, ao fazer a integração com marketplaces, a sua empresa estará ligando a sua imagem a ele.

É sempre melhor se associar com aqueles que tenham um alto índice de confiança dos clientes, pois isso também representa o nível de procura. Essa pesquisa deve ser cuidadosa e merece atenção redobrada.

A escolha das lojas parceiras, portanto, deve passar por uma averiguação personalizada, levando em conta o valor da comissão cobrada ou a forma de remuneração existente, o desconto nas compras a prazo de crédito ou no cartão de débito, o público ao qual a loja parceira se destina, os critérios para o anúncio — tais como a resolução das fotos, o número de caracteres e as possibilidades de ofertas.

Em última análise, ao escolher uma loja parceira de marketplace, é preciso que esta seja adequada ao e-commerce e que represente uma vantagem financeira efetiva e concorrencial.

2.1 Associação com marketplaces


Considerando que é importante a integração com marketplaces e que foi feita a pesquisa para conhecer as melhores lojas parceiras, cabe procurar as escolhidas para fazer a associação. É importante, nesse ponto, também conhecer e estar ciente das regras de associação que mostram as possibilidades e as limitações.

Há diversas exigências, como tempo mínimo de e-commerce, ticket-médio em determinado valor, notas positivas em sites de avaliação como o E-Bit ou o Reclame Aqui, CNPJ cadastrado — além das condições de recebimento das vendas, valor das comissões, taxa de setup (ingresso) e outros critérios que devem ser conferidos e analisados.

Ou seja, cada uma delas tem contratos e condições distintas que devem ser pesquisadas. Em geral, as exigências são muito razoáveis e até mesmo intuitivas. Mas, no que houver dúvida, o departamento de atendimento é muito bem preparado para auxiliar.

2.2 Separar a documentação


A fim de agilizar a solicitação de associação e não ter surpresas no caminho, o ideal é, no primeiro momento, separar toda a documentação exigida pelas lojas parceiras escolhidas, os dados a serem preenchidos e, com tudo conferido, fazer a solicitação.

Depois desse contato, eles responderão com maiores informações para proceder a integração, como API necessário, atributos dos produtos, etc. Cumpridos os requisitos e aprovada a associação, é começar a vender, certo? Mais ou menos! Na verdade, as complexidades de se trabalhar com marketplaces começam a partir desse ponto.

Saiba mais sobre isso adiante!


3. Gestão de produtos e preços


Uma das consequências da popularização dos marketplaces é o acirramento da concorrência. Afinal, quando diversos varejistas virtuais expõem seus produtos (muitas vezes o mesmo) na mesma vitrine, ganha aquele que tiver o melhor preço ou as melhores condições.

Não só há o acirramento da concorrência, como é preciso levar em consideração a média de preços de um marketplace para a melhor precificação, considerando informações como, por exemplo, o público-alvo e a classe social deste, a disposição de pagar mais ou menos, a forma de pagamento possível, o valor do frete que pode ser cobrado, etc.

Ou seja, se cada marketplace tem um público-alvo, uma forma de vender o produto, um valor de comissão distinto e níveis diferentes de concorrência, é preciso fazer uma gestão de produtos e preços específica para cada um. É esse o momento em que a integração de marketplaces por uma plataforma integrada começa a se fazer imprescindível.

É preciso precificar e acompanhar em tempo real as vendas realizadas, programar promoções, agendar anúncios, disponibilizar produtos… Isso para cada uma das lojas parceiras, levando em consideração suas peculiaridades.

Fazer essa gestão de preços e produtos é essencial para que se tenha sucesso no uso dos marketplaces como local de venda. E ela pode ser muito mais simples quando é automatizada.

3.1 Integração de estoque


Uma outra importante questão é a integração do estoque, algo que nem todos os varejistas virtuais se preocupam como deveriam. Não há forma mais garantida de perder confiabilidade do que vender um produto indisponível.

E quando não há uma centralização do estoque, é comum vender em dois ou mais marketplaces um produto e não tê-lo para entrega a todos os clientes — o que demonstra falta de profissionalismo e pode, inclusive, levar ao fim da associação com os marketplaces.

A gestão de estoque precisa ser uma preocupação prioritária para quem trabalha com vendas. No caso do e-commerce, isso é ainda mais importante. Ou seja, quando se trabalha com mais de uma loja parceira, além do próprio e-commerce, é absolutamente necessário ter uma integração do estoque, que permita trabalhar conjuntamente as vendas efetuadas em tempo real.

A integração com marketplaces passa por esse controle, que precisa ser muito bem planejado. Isso possibilita uma melhor experiência do cliente, garantia de vendas e organização. Por isso, é essencial escolher uma plataforma que tenha essa funcionalidade — como a Octopus, por exemplo.

Além disso, o estoque tem um custo para o e-commerce que precisa ser levado em consideração. A otimização do estoque passa pela análise do volume de vendas. A integração e gestão do estoque, portanto, precisa desse relatório para as projeções de produção e lucro.

3.2 Gestão de negócio


O gerenciamento completo de todas as etapas da venda e pós-venda formam a gestão de negócio. Essa é uma avaliação e projeção com base nos dados colhidos do estoque, vendas, aquisição de produtos, taxas de conversão, custo por cliente e outros indicadores.

Aqui entra a necessidade da habilidade do gestor e também de um bom ERP que possa colher e processar esses dados de forma integrada. A gestão de negócio deve saber como a empresa está indo e o que pode ser feito para crescer.

Nesse caso, ela é útil para saber se a integração com marketplaces está sendo benéfica. A geração dos indicadores pode ser automatizada, mas a forma de trabalhar com eles e de interpretá-los depende exclusivamente do empreendedor.

3.3 Cotação de Frete


Uma pesquisa feita pelo Econsultancy mostrou que grande parte dos motivos pelos quais os potenciais consumidores desistem de uma compra tem relação com o frete. Não importa o que você vende, se esse produto é físico, ele precisa chegar às mãos do consumidor por um sistema de frete. E o valor e a agilidade do frete influem diretamente na decisão de compra.

Por isso, é muito importante que o varejista tenha sempre noção da cotação do frete nos diversos marketplaces, para facilitar a definição sobre quanto cobrará. Isso possibilita, em promoções, dar mais opções de frete, como dos Correios — carta registrada, PAC, E-sedex (criado especificamente para produtos de e-commerce), sedex normal, etc — ou também empresas de logísticas.

Uma plataforma de integração com marketplaces que forneça essas informações é uma ferramenta muito útil para o varejista virtual.

4. Criação de atributos


Ao fazer a integração com marketplaces, é preciso adequar-se às diretrizes destes. Muitas vezes, eles exigem determinados atributos do produto à venda, como o EAN (Número de Artigo Internacional, ou código de barras, como é mais conhecido) ou o Brand (marca).

Nem todos os ERP do mercado possuem a funcionalidade da criação de novos atributos. Sendo uma parte essencial da descrição do produto ou da forma de venda, os atributos precisam ser inseridos. E o ideal é que seja fácil e simples fazê-lo, por meio da plataforma de integração. Essa é uma das funcionalidades que você poderá encontrar no Octopus, facilitando ainda mais o processo de integração.

5. Manutenção das APIs necessárias


Toda a mágica da integração com marketplaces passa pelas APIs, que são, de uma forma simples, a cola digital que permite que as plataformas se liguem ao sistema da loja parceira. A API é um código que é disponibilizado pelo marketplace para que o varejista possa acessar e integrar seus produtos e permitir a comunicação virtual.

A API dos Marketplaces está em constante evolução para garantir cada vez mais segurança ao varejista, ao marketplace e ao consumidor final. O seu desenvolvimento, no entanto, implica em mudanças que devem ser acompanhadas pela plataforma escolhida.

A manutenção das APIs necessárias é um fator determinante nessa escolha, ao garantir uma melhor integração. Como as APIs são um código digital, é trabalho de profissionais lidar com elas. Por isso, optar por um sistema de integração de qualidade e confiança é a melhor forma de trabalhar com as principais lojas parceiras do mercado.

6. Marketing e campanhas personalizadas


Nenhuma marca sobrevive sem marketing. É cada dia mais importante ter o produto em evidência e criar maneiras de fidelizar os clientes. O marketing, especialmente o digital, passou por diversas revoluções e, hoje, entende-se a necessidade de personalizar e atingir um bom relacionamento com o consumidor.

Para isso, é preciso saber os meios de comunicação pelos quais se alcançará o público-alvo. Ao se associar a uma loja parceira, a sua empresa faz uso dela como vitrine e ponte para alcançar esse público. Ainda que dois marketplaces trabalhem com o mesmo produto, o público-alvo pode ser diferente, com base no gênero, idade ou classe social.

Por isso é importante ter campanhas personalizadas para cada um deles. Uma das vantagens do uso do marketplace é justamente a diminuição do custo com marketing. Mas isso só funcionará se a campanha personalizada tiver qualidade.

7. A importância de um sistema de qualidade


A palavra de ordem ao se tratar de comércio on-line é segurança. Essa é a principal preocupação do consumidor final. Não estamos apenas falando em segurança de dados — matéria de suma importância — mas segurança de que o produto que está ele adquirindo será entregue e tenha qualidade.

Para isso, é preciso que o varejista on-line seja cuidadoso com sua gestão de preços, produtos e estoque, conheça o público-alvo de cada uma das lojas parceiras, garanta que o consumidor tenha as informações necessárias sobre o produto, efetive corretamente as compras e envie o produto no prazo estabelecido.

Ao trabalhar com o próprio e-commerce e com marketplaces, todas as informações precisam ser centralizadas e acompanhadas, com geração de relatórios confiáveis e gestão eficaz. É a partir desses dados que poderão ser feitas as diversas projeções que servirão para a ampliação ou para a reestruturação da empresa.

Portanto, ter um bom ERP de gestão do e-commerce — que se comunique uma plataforma de integração com marketplaces — é de suma importância para qualquer empreendedor do ramo. O serviço profissional e o uso da tecnologia de ponta são aliados que representam um investimento na qualidade do serviço.

Para isso, deve-se procurar uma plataforma de e-commerce que contará com uma infraestrutura profissional, equipe de apoio disponível 24 horas, capacidade de atender à loja virtual mesmo nos picos de demanda, servidores que evitem falhas — com protocolos de redundância e preservação de dados, backup constante, alta conectividade e tempo de resposta otimizado.

Mais do que isso, é preciso adotar uma plataforma que torne desnecessária a preocupação com todos os termos tecnológicos citados acima, pois ela oferecerá a confiança necessária para garantir o crescimento e a eficácia da sua loja virtual.

8. Conclusão


A Era Digital mudou as relações de consumo e de comércio — e os marketplaces chegaram para ficar. A concentração das vendas em vitrines virtuais é uma tendência do mercado digital, que tende a crescer ainda mais nos próximos anos.

Há diversas vantagens atreladas à sua utilização — maior visibilidade, confiabilidade, segurança digital e número de clientes potenciais, diminuição com os custos de aquisição de cliente e marketing, continuar como competidor no mercado.

As opções de lojas parceiras são diversas e cada uma tem suas peculiaridades, público-alvo, valor de comissão ou cobrança. A integração com marketplaces deve ser planejada considerando esses fatores para que seja vantajosa. Os requisitos de associação variam de uma para outra e é importante ter a documentação pronta para agilizar o processo.

Também é importante tomar cuidados essenciais com a gestão de produto, preço e estoque, pois isso assegurará a confiabilidade e a competitividade do e-commerce. Para isso, é essencial uma plataforma de integração que tenha funcionalidades que permitam a integração do estoque e controle sobre as ofertas em cada marketplace.

Além disso, ela deverá facilitar e tornar intuitivas as questões técnicas, como a criação de atributos ou manutenção de APIs, relatórios de indicadores, personalização de vendas nos diferentes marketplaces, integração ampla e tempo de resposta curto.

A integração com marketplaces pode ser uma grande vantagem de mercado, aumentando seu potencial de vendas, sua abrangência, seu público e sua conversão. Para isso, é preciso muito trabalho, condições de gerar e interpretar os indicadores, saber analisar as flutuações mercadológicas, compreender a necessidade de cada público-alvo e agir rápido. O tempo da internet é virtualmente zero e cada oportunidade perdida por um é encontrada por outro.

Levando tudo isso em consideração, é necessário contar com um sistema de qualidade. Você já conhece o Octopus? Ele Conecta a sua loja virtual com milhões de consumidores. Para saber mais, acesse: www.octopus.place

cta2

Marketplace: uma grande oportunidade para os lojistas virtuais


Pos-blog-marketplace uma grande oportunidade para os lojistas virtuais


Já pensou que aquele modelo clássico de vendas ‘um lojista para muitos compradores’ pode se transformar em algo como ‘vários lojistas vendendo mercadorias para ainda mais compradores’? Esse é o modelo do marketplace, onde pequenos comerciantes utilizam a “vitrine” de grandes sites como o Mercado Livre, por exemplo, para anunciar e vender seus produtos.

Basicamente, o marketplace segue o princípio do shopping center, ou seja, um local que reúne várias lojas de diversos segmentos (ou de apenas um), em um espaço único, seguro e mais acessível. A diferença entre o shopping digital e o físico é que, online, ele pode ser usado tanto por lojistas já estabelecidos quanto por vendedores individuais.

NÚMEROS: os principais marketplaces brasileiros – Mercado Livre, Lojas Americanas, Submarino, Shoptime – expõem seus produtos para 40 milhões de potenciais clientes por mês.

Benefícios


Para quem deseja gerir seu próprio negócio, o marketplace pode ser um facilitador. O site parceiro se responsabiliza pela geração de tráfego, cuidando da propaganda, da publicidade, das promoções, e concentra o trabalho da equipe no atendimento. Além disso, facilita a operação no que se refere ao front end, com o layout e a disposição dos produtos, e também na parte do back end, com o processamento dos pagamentos e pedidos.

Já você só precisa se encarregar do estoque e da logística de entrega. A remuneração do marketplace se dá por meio de comissão após realizada a venda. A vantagem deste modelo está em não precisar investir qualquer valor até que a transação ocorra, ou seja, somente quando o pedido for efetuado. Com isso, você pode explorar ao máximo o potencial do e-commerce sem assumir riscos e evitando problemas para o seu negócio.

Diferencial


O diferencial em adotar essa prática está no aumento do número de clientes devido à exposição dos seus produtos num ambiente com maior tráfego de consumidores. Segundo dados do Big Data, 1% das lojas online no comércio eletrônico brasileiro tem mais de 1 milhão de visitas por mês.

Para você ter noção deste fluxo, no Brasil, o maior exemplo de marketplace é o Mercado Livre. Com 110 milhões de usuários cadastrados, é uma das 50 páginas mais visualizadas do mundo. Segundo informações do relatório de junho de 2015 da comScore Inc., o site foi acessado por 27,1 milhões de visitantes únicos somente naquele mês.

Exigências na parceria


Mas não basta querer para ingressar em um marketplace. Você precisa, primeiramente, apresentar uma série de documentos que variam de empresa para empresa. Os mais comuns são o alvará de funcionamento, cartão de CNPJ atualizado, nota fiscal de compra do produto, CND de tributos, inscrição estadual.

Após a entrega da documentação, seu cadastro passará por um processo de aprovação, uma espécie de filtro que pode ser bem rigoroso, com possibilidade de negociar até a comissão sobre as vendas.

Depois de aprovados, os varejistas devem prestar atenção na descrição de um item que não pode ter certos caracteres especiais, bem como links ou citação de marcas registradas sem autorização; nas fotos, que devem ter uma resolução mínima; em não replicar o que já foi feito na sua loja virtual para o site das grandes redes e organizar a ideia do anúncio de outra forma para atrair os diferentes consumidores.

Integração


Para quem definir como estratégia estar em vários marketplaces ao mesmo tempo, é preciso estar atento para as regras de seus diferentes parceiros, assim como as variações de preço no mercado. Outro detalhe é que, como já dissemos, é importante ter anúncios específicos para cada site, mas é de bom tom manter um preço único para uma maior confiança do cliente.

Nesses casos, sugerimos a utilização de uma ferramenta para integração, para que você exponha seus produtos para muito mais usuários, ao mesmo tempo em que ganha tempo na gestão de diversos cadastros. Na DCG temos o Octopus, uma plataforma que permite o gerenciamento de diversos marketplaces em um único local.

Totalmente integrável ao EZ Commerce e ao Core, ele faz o controle de cada um dos sistemas, altera o que for demandado, realiza relatórios especiais individualizados, campanhas personalizadas, com a administração direto na plataforma. O Octopus também possibilita que a gestão de catálogos seja independente, assim, você pode definir a melhor estratégia comercial de acordo com o perfil do marketplace e seus consumidores, anunciando produtos específicos para cada um deles.

Para saber mais sobre o Octopus acesse: octopus.place

Se você é cliente EZ, veja como incluir o Octopus entre suas soluções: ezcommerce.com.br/marketplaces


CTA

EZ COMMERCE INAUGURA ESCRITÓRIO EM SÃO PAULO

nova sede

No final de 2015 a EZ Commerce deixou de ser uma empresa independente e passou a fazer parte do Criatec 2, um grupo de investimentos focado em empreendimentos de tecnologia vinculado ao BNDES, uma das instituições mais respeitadas em âmbito nacional.

O grupo aumenta nosso índice de qualificação, uma vez que o investimento é vinculado à uma série de requisitos e entregas, o que vai garantir uma evolução ainda mais acelerada de todos os nossos serviços.

Uma destas novidades começa em setembro, com a nova célula em São Paulo. A partir deste período, além da sede em Porto Alegre-RS, que conta com +90 colaboradores, uma nova equipe está sendo formado apenas para atender a capital econômica do Brasil, São Paulo.

Em uma nova estrutura de 180m² com andar exclusivo da EZ Commerce, teremos:

nova sede2

Com uma equipe formada por profissionais de diversas áreas, vamos atuar com foco e força total em São Paulo.

Nas próximas semanas você vai receber novidades e nosso novo endereço.

MARKETPLACES: Veja 5 dicas para vender nos shopping centers virtuais

post-facebook-5dicas-marketplaces


Por Henrique Mengue*

Os marketplaces se tornaram grandes shoppings na Internet. Atualmente, atuar nesses ambientes é vital para uma loja virtual se manter competitiva, agregar visibilidade à marca e conquistar novos clientes. Para os pequenos lojistas, a principal vantagem é poder economizar em investimentos com anúncios, adwords e newsletter para atrair público, pagando apenas uma comissão por cada venda realizada.

Se você é lojista e ainda não se integrou a um marketplace, veja a seguir cinco dicas valiosas para começar a vender nos shoppings centers virtuais e para saber mais informações acesse www.octopus.place. Vamos as dicas:

1º Converse com os marketplaces


Atualmente, há diversos marketplaces no mercado: com ou sem produtos próprios, gerais ou segmentados. Todos eles contam com canais para cadastro de novos “sellers”, como os vendedores integrados são chamados lá dentro, mas cada um tem suas características. Por isso, é fundamental pesquisar quais são mais adequados ao tipo de negócio e entrar contato com cada um para conhecer as taxas e as regras. Como o lojista só paga a comissão se vender, é possível testar todos e analisar os que trazem melhores resultados.

2º Selecione os produtos para colocar na vitrine


Ao definir em quais marketplaces atuar, chega a hora de escolher os produtos para colocar à venda. A dica é procurar aumentar o mix de produtos do marketplace, fugindo do que todo mundo vende e oferecendo itens mais raros, em falta entre os concorrentes, ou que permitam baixar o preço para torná-los mais competitivos.

3º Organize a operação


Todo o processo de compra deve ser planejado com os mínimos cuidados, desde a embalagem e expedição dos produtos ao atendimento ao cliente. Embora a venda seja realizada pelo marketplace, a entrega e o relacionamento pós-venda ficam sob responsabilidade da loja vendedora. Se tudo correr bem, é possível fidelizá-lo e garantir novas vendas diretas nas próximas vezes.

4º Contrate uma plataforma para gestão


Existem no mercado ferramentas que ajudam o empreendedor a administrar a venda em dezenas de marketplaces, tudo centralizado em um único painel, que exibe uma visão geral de produtos e clientes, números de vendas realizadas, estoque e outras informações fundamentais para a operação.

5º Cuide da reputação


A loja deve garantir um serviço impecável. Para isso, é fundamental se atentar aos prazos de entrega, qualidade da embalagem e atendimento pós venda. Os produtos ficam acessíveis a milhares ou até milhões de consumidores, portanto vender e não conseguir entregar pode causar prejuízos irreversíveis à marca. Os marketplaces criam rankings e priorizam vendedores que possuem as melhores notas de reputação.


*Henrique Mengue é CEO do Digital Commerce Group – DCG, empresa detentora da plataforma para lojas virtuais EZ Commerce, vencedora do Prêmio MercadoLivre 2015 na categoria “Melhores práticas em e-commerce”, e recém-lançada Octopus, especializada em marketplaces.

img_octopus

Venda seus produtos pela Netshoes

Web

Somos a primeira plataforma a integrar com a gigante Netshoes

Agora através da EZ Commerce é possível integrar todos os seus produtos na Netshoes com poucos cliques! Gerencie tudo em um único painel: administre seus anúncios, receba as suas vendas, controle seu estoque e muito mais.

Lançada em 2007, a Netshoes é hoje o maior e-commerce de artigos esportivos do mundo, oferecendo mais de 40 mil artigos esportivos, em mais de 25 categorias com mais de 54 milhões de visitantes únicos por mês.

Acúmulo de Vantagens

Anuncie em um dos marketplaces que mais cresce no varejo nacional! Seus produtos ganham mais exposição e oportunidade de vendas no segmento dos artigos esportivos.

Antecipação de Recebíveis: Seu cliente paga parcelado e você recebe a vista.

Visibilidade: seus produtos expostos para milhares de clientes todos os dias.

Credibilidade: Sua loja vinculada a uma das marcas de maior prestígio do Brasil.

Agilidade: Velocidade na integração e nos processos de gerenciamento, tudo com um único painel.

Web

Vender em Marketplaces: saiba quais são as vantagens

Web

O marketplace é como se fosse um shopping virtual. Essa nova modalidade de comércio eletrônico agrupa em um único site diversos lojistas e os seus respectivos produtos. Pela facilidade de se vender neles e pelo respeito que já possuem junto aos consumidores e ao mercado, os marketplaces ganham cada vez mais destaque e espaço dia após dia na internet.

Eles apresentam para os pequenos e médios e-commerces a possibilidade de se destacarem mais no varejo online ao exporem os produtos desses lojistas. Para entender os benefícios e as vantagens que você ganha ao vender os seus produtos em marketplaces, veja agora mesmo os pontos que destacamos abaixo.

Mais visibilidade ao expor no marketplace

Para os gestores dos pequenos e médios e-commerces, nem sempre é fácil se destacar no cenário do varejo online onde os grandes players já dominam e possuem maior visibilidade em relação aos menores. Ao expor os seus produtos em uma vitrine com maior visibilidade, as chances de aumentar as vendas sobem e a sua marca passa a figurar entre os maiores.

Baixo investimento para iniciar a operação

Para que você inicie as vendas dos seus produtos em um marketplace, basta negociar a comissão sobre as vendas e integrar a sua plataforma de e-commerce com a dele. A partir daí, o marketplace oferece para o lojista uma vitrine pronta para que os seus produtos sejam expostos.

Alto retorno se comparado ao investimento

Se compararmos a taxa de investimento que é feita em áreas como o marketing, a mídia e a tecnologia para que seja possível alcançar a audiência de um marketplace já consolidado, podemos afirmar que para o lojista menor vender o seu produto em uma vitrine maior possui uma margem de lucro que é alta e bastante atraente. Ou seja, é mais barato vender diretamente no marketplace do que tentar montar uma estrutura parecida para competir com ele.

Aumento no total das vendas

A partir do momento que os seus produtos ganham uma maior visibilidade no e-commerce, as chances das suas vendas aumentarem são reais. Pelo marketplace passam diversos novos visitantes e potenciais compradores para os seus produtos.

Produtos ganham mais relevância nos buscadores

Com os seus produtos em destaque, eles passam a ser mais procurados nos buscadores e isso aumenta o ranking tanto do marketplace quanto dos próprios itens. Assim, eles passam a ser mais facilmente encontrados.

Público e portfólio mais diversificados

Por reunirem uma diversidade imensa de produtos, os marketplaces acabam sendo um ponto de encontro virtual de muitos tipos de públicos. Isso faz com que os produtos possam ser objetos de desejo não somente de um nicho, mas de outros mais. Além disso, o público que acessa os marketplaces é mais numeroso e isso significa uma maior possibilidade no aumento das vendas.

Crescimento no negócio de nicho

A partir do momento em que um nicho passa a crescer demais, outras demandas podem surgir com isso. A segmentação de nichos já estabelecidos cria a necessidade de novos produtos e você poderá apostar nisso para aumentar as suas vendas.

Consumidor mais confiante para fazer compras online

Com os casos cada vez mais frequentes de fraude no e-commerce, os consumidores preferem fazer compras nas lojas que já conhecem do que nas lojas menores e ainda desconhecidas do grande público. Ao vender os seus produtos em um marketplace, você contorna essa situação de insegurança e tem uma excelente oportunidade para apresentar os seus produtos por meio de uma vitrine já reconhecida e bem aceita no mercado.

Aliás, os grandes varejistas online são os maiores beneficiários da confiança do consumidor, que por vezes preferem pagar mais em suas lojas do que menos em e-commerces menores e que não sabem se são confiáveis. O ambiente do marketplace proporciona essa confiança para o consumidor e assim a sua marca também passa a usufruir desse benefício.

Infraestrutura sólida do marketplace

A criação e a manutenção de uma loja online são mais complicadas para um lojista que está começando a empreender no ambiente virtual. Todo o processo que envolve a criação, a gestão e a manutenção de um e-commerce precisam ser resolvidos antes que a operação da loja de fato comece. Ao vender os seus produtos em um marketplace, você já aproveita da estrutura do parceiro para iniciar com alguns passos a frente.

Apoio e suporte técnico especializado

A estrutura já consolidada do marketplace permite que ele dê o apoio e o suporte técnico especializado, que são necessários para o bom funcionamento do e-commerce como um todo. Ter times que façam essas atividades custa um alto investimento e com o apoio deles é possível enfrentar altas demandas de compras, altos volumes de vendas e principalmente, ajudar os consumidores a sanarem suas dúvidas e problemas com pagamentos.

A logística pode se tornar um processo mais simples

Dependendo do nível de parceria com o marketplace onde você pretende vender o seu produto, ele pode fornecer uma equipe que te ajudará a gerenciar melhor as entregas para que elas não sejam feitas com atraso. Essa parceria é feita, pois a venda envolve tanto a sua imagem quanto à do próprio marketplace, por isso, para ele também é importante que você cumpra as metas e os prazos.

Parceiro para conectar-se aos marketplaces

A plataforma de e-commerce da EZ Commerce é a mais conectada com os marketplaces. Ela pode integrar a sua loja com mais de 16 vitrines virtuais já consolidadas. Além disso, a plataforma da EZ Commerce foi eleita como a melhor plataforma do país integrada ao MercadoLivre no ano de 2015.

Nessa plataforma, tudo funciona de forma simples e rápida. Basta cadastrar os seus produtos e por meio dela selecionar quais serão anunciados em cada uma das vitrines. Com uma gestão de catálogos independente, você define a estratégia comercial dos seus produtos de acordo com cada perfil de consumidor e de cada marketplace, oferecendo assim soluções específicas para cada tipo de público.

Agora que você já conhece as vantagens dos marketplaces, assine a nossa newsletter e receba no seu e-mail as novidades da EZ Commerce.

Venda na Netshoes, Dafiti e muito mais

Web

A EZ Commerce é uma plataforma completa e especializada em conectar a sua loja com os Marketplaces. Foi eleita a melhor plataforma do país integrada ao MercadoLivre e agora chega com mais novidades para você.

Buscando inovar e trazer o que há de melhor no mercado estamos integrando com novos marketplaces: Tricae, Mobly, Kanui, Dafiti e Netshoes. Em breve você poderá conectar sua loja em mais de 15 marketplaces direto com a EZ Commerce.

Web

Milhões de compradores leais

Os Marketplaces oferecem ao lojista uma alta exposição de seus produtos, pois eles recebem milhares de visitas diárias de clientes com real intenção de compra, o que aumenta exponencialmente o potencial de venda dos lojistas.

Solicite um orçamento ou fale com um dos nossos especialistas para conversarmos sobre o seu projeto.

Já Começou a Vender Através dos Marketplaces?

Web

Entenda melhor sobre a tendência dos marketplaces

Há alguns anos, os temas mais discutidos entre lojistas, plataformas, agências e demais profissionais da área era sobre Otimização de Campanhas para lojas virtuais. Onde tentavam desvendar formas para gerar mais receita equilibrando os investimentos na divulgação, desafiar a criatividade e saúde financeira das operações e enfrentar a concorrência, que em determinados grupos concentra 20% de todas as compras online realizadas no Brasil.

Web

logo_mktplaces

Os consumidores procuram cada vez mais comprar com facilidade, encontrando tudo em um só lugar. Não é à toa que as compras através dos marketplaces tem ganhado cada vez mais adeptos.

Com o tempo, boa parte destas questões foram suprimidas pelos Marketplaces. Talvez não fosse prioridade focar mais em canais de divulgação do que em otimização das campanhas. Menos ainda, se preocupar com a concorrência, afinal ela mesma estava abrindo as portas e oferecendo uma valiosa opção de divulgação, exigindo uma contrapartida muito simples: Um percentual sobre a venda. Algo direto, sem cálculos imensos ou fatores que pudessem gerar uma transação muito complexa.

A partir deste momento surge um formato de divulgação pós pago, seguro e com antecipação de recebíveis, onde o lojista paga apenas se obtiver resultado. Isto é, algo muito desejado quando comparado a campanhas em sistemas de busca ou comparação de preços, onde o clique (independentemente de qualquer efetivação) já demandava investimento, mesmo que centavos.

Vimos um crescimento potencial, mais notório, em 2013, especialmente com o amadurecimento do Black Friday, onde players maiores e mais conhecidos passaram a investir até mesmo em anúncios de televisão, fugindo da exclusiva estratégia online.

Neste período, ao abrir as portas para que produtos de outros lojistas pudessem ser vendidos, players maiores passaram a conquistar “novos estoques” sem necessidade de comprá-los e os anunciantes (lojistas teoricamente menos conhecidos) ganharam uma vitrine potencial. Que além do resultado quase garantido (sem demanda de investimento prévio), estavam vinculando suas marcas aos maiores portais da internet, ou seja, uma relação Ganha x Ganha quase intocável.

É vantagem para meu negócio vender nos marketplaces?

Não é novidade, que grande parte das operações de e-commerce fecha no primeiro ano, especialmente por uma questão de expectativa. A definição de fornecedores, soluções tecnológicas, equipe, logística, projeção financeira e demais imposições para o início de uma operação, nem sempre são acertadas logo no início, gerando um jogo de equilíbrio permanente.

Depois que tudo isso é resolvido, ao se deparar com um formato de mídia que exige de 12% a 20% sobre o valor de uma venda, o lojista precisa remanejar a estratégia para que a venda nos marketplaces não se torne prejudicial.

A venda de um único item deve mensurar uma série de custos vinculados a toda operação, transformando até mesmo frete e antecipação de recebíveis em serviços que equilibram as contas, uma vez que as vendas por si só não fazem isso quando pensadas (em um primeiro momento) para a competitividade.

Analise o preço do produto e descubra!

O processo mais rápido é avaliar se o volume mais antecipação de recebíveis, sem risco de chargeback (benefícios oferecidos nesta modalidade) podem compensar esse tipo de divulgação, ao menos no médio prazo.Vender nos marketplaces pode ser muito distante da realidade de muitos lojistas, se esta conta ficar em aberto precisa ser fechada com a compensação dos benefícios (sem investimento prévio, antecipação de recebíveis, sem chargeback e volume). Se isto ocorrer, você começa a se encaixar no perfil de vendedores para essa tendência do mercado atual.

Alguns clientes da EZ Commerce trabalham com 1MM de faturamento mensal e, possuem 80% desta receita advinda de marketplaces. Isto não significa, ou sequer garante, que a saúde financeira da loja vá melhorar significativamente. Afinal, estamos falando de uma comissão que afeta de forma considerável a margem do produto, mas permite que milhares de novos consumidores conheçam sua marca e possam retornar a seu site em um segundo momento.

Esta é a hora de ficar atento e tentar conquistar estes novos consumidores com um serviço de entrega excelente, com incentivos para a próxima compra, mas desta vez diretamente na sua operação.Isso mostra que pode compensar, e muito, você tentar fechar esta conta e olhar o lado positivo dos marketplaces. Em resumo:

Web

Conte com a EZ Commerce para te ajudar em todo planejamento da sua loja virtual.

Além da tecnologia, podemos atuar na definição de suas estratégias. A EZ Consulting – programa de consultoria – é formado por profissionais experientes e possui em seu histórico a atuação em grandes operações do varejo nacional, auxiliando lojistas no momento de sua implantação e no aumento constante de seu desempenho.

Web

Venda seus produtos pelo Buscapé

Web

O Buscapé é líder global em comparação de preços de produtos e disponibiliza para seus consumidores várias ferramentas para auxiliar no processo e experiência de compra.

Visando facilitar e melhorar cada vez mais esse processo o Buscapé disponibiliza que as compras sejam feitas diretamente no site ou aplicativo próprio com um clique, sem necessidade de novos cadastros, trazendo uma série de benefícios tanto para os lojistas quanto para os clientes.

A EZ COMMERCE TEM NOVA INTEGRAÇÃO COM BUSCAPÉ: ANUNCIE E PAGUE APENAS QUANDO VENDER.

Venda seus produtos no Buscapé e aproveite a vitrine com mais de 1,1 milhões de usuários diários com real intenção de compra.

Quais os benefícios de integrar com o Buscapé?

Web

E MAIS… CONHEÇA O BOTÃO COMPRAR AGORA

O botão Comprar Agora permite ao usuário comprar diretamente através do próprio site do Buscapé. Assim o cliente pode adquirir o produto da loja que preferir sem redirecionamentos e com o processo de compra simplificado e seguro, o que aumenta a conversão.

40% de todo o tráfego do Buscapé já é mobile, e o botão comprar agora dá a chance ao consumidor de fazer seu pedido em apenas um clique, na palma de sua onde estiver.

VEJA A EXPERIÊNCIA DE OUTROS CLIENTES

“A integração da plataforma EZ com o buscapé teve muitos pontos positivos: A integração de todo catálogo foi feita de forma rápida e obtivemos captação de pedidos logo após a carga dos itens.

O botão comprar trouxe um diferencial bem competitivo com mais de 90% dos pedidos aprovados, além do fator de poder cadastrar todos os itens da loja e só pagar pelas vendas captadas.”

Adriano Aguion
Proprietário da loja Rythmoon

Venda seus produtos no Google Shopping

Web

Conquiste novos clientes e venda mais!

A EZ Commerce possui soluções completas para comércio eletrônico. Com atualização constante, a plataforma evolui de acordo com as tendências do mercado. Você já conhece o Google Shopping? Ele funciona como um comparador de preço online e permite que o cliente compre diretamente em sua loja virtual.

Através da plataforma EZ Commerce, em apenas alguns cliques você anuncia seus produtos no maior buscador do mundo. A integração funciona de forma fácil e rápida!

Vantagens:

Web

Entre em contato com os nossos executivos e tire suas dúvidas.