Blog da EZ Commerce

Atender o cliente: diferença entre uma boa plataforma e um problema

Post-blog - Suporte técnico a diferença entre uma boa plataforma e um problema

Uma boa plataforma de e-commerce pode ser reconhecida de longe pelos consumidores e é vivenciada de perto pelos donos de comércio eletrônico. Assim como em uma loja física, a e-loja precisa funcionar diariamente da melhor forma para o cliente e para o seu negócio. Porém, como fazer isso sem que a empresa saia no prejuízo devido a más escolhas durante o processo de definição do plano de negócios e da plataforma?

Quando se pensa em abrir um varejo online, os primeiros desafios são: saber quem é a sua marca no mercado e fazer um planejamento que abrace as particularidades da sua loja e da sua operação. Um dos pontos principais durante a construção da loja no universo digital é a escolha da plataforma, que vai abrigar as características da marca e oferecer recursos que se encaixam com as intenções de negócio da sua empresa.

Todo o esforço de meses e até mesmo de anos pode ir por água abaixo em segundos se o seu comércio não funcionar da forma correta para o consumidor. Por isso, além de investir em qualidade no atendimento e na gestão da marca, é preciso pensar também nas funcionalidades e na estrutura técnica que existe por trás dos grandes cases do e-commerce.

Não importa se as suas expectativas como cliente, que vai utilizar a plataforma de comércio eletrônico para vender produtos ou serviços, são a curto, médio ou longo prazo: você deve investir em uma ferramenta que otimize o seu trabalho e o andamento da sua loja, com um atendimento impecável e de alta qualidade.

Para atender bem o consumidor, invista em uma plataforma que sustente o seu negócio


Para que o consumidor seja bem atendido você precisa do suporte de equipes engajadas nas tarefas diárias de atendimento, logística, administração, entre outros setores, certo? Com a plataforma do seu e-commerce não funciona de maneira diferente. O suporte técnico sustenta as operações do dia a dia e resolve problemas que podem até influenciar na finalização de uma compra. Ou seja, o trabalho dentro de um e-commerce é baseado em três pilares: o que a empresa faz, o que a plataforma de comércio eletrônico oferece para que as ações sejam realizadas e aquilo que o cliente recebe.

Plataforma projetada para o crescimento da loja virtual


O primeiro passo para escolher uma plataforma de e-commerce é saber qual a infraestrutura que compõe a ferramenta. O datacenter da EZ, por exemplo, foi organizado para atender picos de demanda da sua loja, ter redundância de servidores para evitar qualquer falha e foi montado um complexo sistema de segurança para preservar todos os seus dados. No entanto, essas funcionalidades devem ser pensadas para que você cresça no mercado e não precise interromper uma jornada de venda devido ao desconhecimento de algum termo técnico ou de alguma operação na plataforma.

Por isso, todos os serviços do seu e-commerce precisam ser constantemente monitorados, dando tempo para que você se dedique apenas à parte principal: vender. E, vamos combinar, com uma equipe de atendimento ao cliente especialista em comércio eletrônico disponível para resolver qualquer problema surgido ao longo da operação da ferramenta, é muito mais fácil trabalhar. Pensando nisso, a EZ oferece um suporte diário para que o dono do e-commerce resolva suas dúvidas e questões por diversos canais, como: telefone, HelpDesk, e-mail, entre outros.

Fuja do perigo: o que a plataforma pode fazer por você


Vários obstáculos cruzam o caminho do seu e-commerce ao longo do dia. Um produto pode acabar no estoque, uma oferta pode não convencer o cliente ou a forma de pagamento disponibilizada ao consumidor não satisfazer a sua vontade. Mas essas são questões que podem ser resolvidas pela equipe de lojistas do e-commerce.

Porém, existem aqueles problemas técnicos que envolvem os servidores e as conexões da plataforma, que dizem respeito somente à operação da ferramenta e com os quais você lojista não deveria se preocupar. Portanto, para evitar dores de cabeça e momentos de tensão desnecessários na hora de abrir o seu e-commerce, é importante que você conte com uma plataforma que faça os ajustes técnicos e o controle diário das operações da sua loja. Se alguma janela do site não abrir corretamente ou qualquer outro tipo de questão técnica surgir durante a jornada de trabalho, é preciso que a sua equipe continue trabalhando e a infraestrutura que sustenta a sua plataforma resolva toda e qualquer dificuldade que se apresente.

O cliente não está preocupado com os problemas técnicos que você pode vir a enfrentar, pois o que ele deseja é ser bem atendido e encontrar produtos e serviços com um preço acessível. Então, na hora de escolher uma plataforma, opte por aquela que, além de possibilitar a criação do seu e-commerce, envolva questões de gerenciamento e suporte técnico.

O que avaliar para saber se uma plataforma é boa


Uma das grandes vantagens de uma boa plataforma de e-commerce (quando comparada a uma que só traz problemas) é a infraestrutura, que oferece segurança ao trabalho do dono do comércio. No caso da EZ, isso acontece devido ao modelo SaaS (software como serviço) adotado pela plataforma, que funciona a partir da proposta de lidar com toda a parte tecnológica de datacenter, servidores, webfarms e banco de dado.

Nas grandes campanhas, por exemplo, que reúnem diversos consumidores trafegando pela sua loja durante horas, como é o caso da Black Friday, o comerciante não precisa se preocupar com as questões técnicas que podem surgir devido ao grande volume de acessos. O atendimento dado pela EZ mantém o padrão de alta disponibilidade, com redundância de webservers e de outros componentes de rede eliminando qualquer trabalho para o lojista. Ou seja, se uma parte da máquina falhar, o seu e-commerce não precisa parar, pois vai ter outra para deixar tudo online para você.

A infraestrutura é monitorada 24 horas e conta com uma equipe de atendimento altamente capacitada para qualquer ação necessária. A EZ investe fortemente no suporte ao cliente no pré, durante e no pós-atendimento, garantindo que a sua loja virtual esteja sempre online e funcionando na parte operacional.

Além disso, a EZ realiza o Coach EZ Commerce, um treinamento planejado de acordo com o seu segmento, para que os colaboradores da sua equipe saibam operar as ferramentas da plataforma, potencializando suas vendas.

Portanto, entre em contato com a EZ, solicite uma proposta e fique por dentro de tudo aquilo que ela pode fazer por você!

CTA

Promoções: o motor por trás da sua loja virtual

Post-blog-Promoções o motor por trás da sua loja virtual

Para garantir o sucesso do seu e-commerce, é preciso ir além da qualidade dos produtos e do atendimento. Por trás de boas peças de roupas, equipamentos resistentes com ótimo funcionamento e condições de pagamento que fidelizam a jornada de compra do consumidor, existe um motor que impulsiona as vendas: as promoções – e os descontos. Elas chamam a atenção do cliente, funcionam como atração para novos consumidores e aumentam as vendas do seu negócio.

A aposta pode ser variada. Campanhas de frete grátis, cupons de desconto, kits de produtos, entre outras opções que compõem o leque de possibilidades que plataformas modernas e eficientes de e-commerce oferecem aos lojistas. Essas ações fortalecem a relação entre empresa e cliente e estimulam o interesse dos consumidores em realizar compras virtuais. São utilizadas pelas empresas como estratégias para gerar leads, engajamento, conversões e maiores lucros, além de serem uma forma diferente de interagir com o público e criar novos vínculos.

Potencializar vendas: uma plataforma completa


As ações precisam ser vantajosas tanto para o bolso da sua empresa quanto para o bolso do cliente. No momento do planejamento, é importante considerar as questões financeiras que envolvem os descontos. Monte um plano de negócio verificando, em primeiro lugar, as opções que a plataforma de e-commerce oferece para que a promoção seja realmente eficaz. E, em segundo lugar, a proposta deve estar de acordo com o objetivo e as condições da empresa.

A partir disso, nossa dica é: ofereça apenas aquilo que está dentro do seu orçamento, pois algo que poderia render bons frutos para o negócio pode acabar não dando certo, deixando prejuízos no caixa da empresa. Conheça as melhores formas de conquistar os mais variados perfis de clientes com promoções que não vão deixar você na mão. Para isso, invista em uma ferramenta que tem as melhores opções para o seu negócio e potencialize as suas vendas.

Hotsites: campanhas diferenciadas


A missão está em proporcionar uma boa experiência aos clientes. Por isso, organize campanhas diferenciadas aplicando todo o conhecimento sobre o seu negócio. A EZ auxilia você a operar neste sentido ao possibilitar a criação de hotsites. Basta juntar um pouco de criatividade e lançar promoções que chamam a atenção do consumidor. Com um visual bonito e agradável é possível evidenciar alguns elementos estimulando a compra, como o valor do desconto e o produto em banners que chegam ao cliente logo que ele abre o site da sua marca.

Campanha de frete grátis: fator decisivo de compra


Na maior parte das vezes, lojas diferentes que pertencem ao mesmo segmento colocam os preços dos produtos quase com o mesmo valor. Nestes casos, a competição entre as empresas fica bastante acirrada e os consumidores acabam comprando algumas vezes na sua loja, outras vezes em uma loja diferente (mas que oferece artigos parecidos) sem criar laços ou fidelizar-se à marca. Portanto, pense em outra estratégia de vendas que atraia o consumidor e desperte nele mais interesse em comprar na sua loja do no que na do vizinho, como oferecer o frete grátis. A EZ, por exemplo, oferece o recurso de campanha de frete por localidade. Assim, você pode ofertar o frete grátis para as regiões mais próximas do seu centro de distribuição e deixar o cliente ainda mais satisfeito com a compra.

Cupons de desconto: a paixão do consumidor


Uma das principais táticas promocionais é a distribuição de cupons. Eles são usados por empresas dos mais variados ramos e, se bem aplicados, aumentam consideravelmente a sua taxa de conversão. São oferecidos em situações específicas como períodos sazonais, datas comemorativas ou por nichos de acordo com o mercado. Servem tanto para captação de novos clientes como para aumentar o engajamento daqueles que já são amantes da sua marca. Portanto, mostre que você conhece mais sobre o mercado e os gostos dos clientes e faça ofertas estratégicas por meio dos cupons de desconto.

Descontos progressivos ou por quantidade: aumente o ticket médio


Quem não gosta de ganhar um desconto, certo? Com certeza, os clientes ao receberem uma proposta promocional sentem ainda mais vontade de comprar os produtos da sua loja. Pensando nisso, a EZ permite que a loja associe descontos que ficam cada vez melhores conforme o cliente compra mais de determinado produto, marca ou seção. A plataforma permite que você personalize descontos progressivos ou por quantidade, conforme as condições da sua empresa, propondo ofertas especiais para os clientes e aumentando o ticket médio da sua empresa. O cliente, nesse momento, além de ficar feliz com o desconto, pode ficar ainda mais contente por saber que a marca também conhece o seu gosto.

Kits de produtos: garanta maiores vendas


Uma das estratégias usadas pelas empresas que vendem cosméticos e acessórios femininos, por exemplo, é a oferta por kit. O recurso faz com que a empresa consiga vender maior número de produtos, eliminando aqueles que estavam parados no estoque, e otimiza a compra do cliente, que poderia levar apenas um produto da sua loja. Essa opção é bastante conhecida nas datas sazonais como o Natal, dia das mães ou dos pais.

Para facilitar a criação dos kits, a EZ conta com o recurso Compre Junto, onde é possível oferecer a compra de um kit com dois produtos a um preço melhor do que se fossem vendidos separadamente, aproveitando o efeito que o desconto tem para garantir uma venda maior.

Programa de Pontos: fidelize seus clientes


Transformar o cliente em um amigo da marca pode gerar bons frutos para a empresa, como melhores interações e, consequentemente, resultados mais positivos nas vendas. Existem diversas formas de chegar nessa conquista, e uma delas é por meio de promoções, recurso comum utilizado por várias marcas para atrair clientes. Porém, para que as ações sejam eficazes, a sua plataforma de e-commerce deve oferecer condições de conversão. Como o Programa de Pontos da EZ, que permite ao cliente acumular pontos a cada compra e trocar por um produto que deseja no futuro. A função atrai a atenção dos clientes e faz com que eles comprem cada vez mais em sua loja virtual.

Análise de resultados com relatórios completos


Para finalizar a boa experiência do cliente com as suas promoções e descontos, é importante para empresa saber o resultado de todas as apostas. Por isso, a EZ oferece aos gestores informações detalhadas sobre a loja virtual, com um mapeamento completo da quantidade de pedidos por período, acessos por período, cadastro dos clientes, entre outras vantagens que ajudam a acompanhar a eficiência das suas campanhas promocionais. Contate a EZ e conheça as melhores opções para potencializar o motor que existe por trás da sua loja! Acesse www.ezcommerce.com.br

CTA

Ano novo, loja nova!

Post-blog-anonovo_lojanova


Sem setup e sem percentual sobre as vendas.


Iniciar um novo negócio ou migrar uma operação em andamento são decisões estratégicas que definem o sucesso da sua loja online.

Ainda em 2016, a EZ Commerce mudou seu formato de implantação e eliminou taxas de licença ou setup, agora o lojista contrata todos os serviços sob demanda e sem terceirização, somos responsáveis pela entrega do seu projeto.

Conheça os serviços em que nossos analistas de ativação auxiliam e na concorrência você é obrigado a contratar em outras empresas:

tabela-servicos


Mensalidades Fixas:


Após finalizar a implantação do projeto, continuamos com suporte total ao seu negócio e sem percentual sobre as vendas.

Na EZ Commerce você sabe exatamente o quanto vai pagar, pois são faixas pré-estabelecidas, sem surpresas no final do mês.

CTA


Conheça alguns dos nossos cases



logoge

logobibi

logopiccadilly


logotf

 

logocorpoideal



Opere seu e-commerce de forma fácil com sistemas integrados

Post-blog-Integração de sistemas facilita a operação

Para que o mercado de lojas virtuais funcione e os comerciantes sejam fortes competidores, é necessário o investimento em plataformas de e-commerce que ofereçam tudo aquilo que o negócio precisa. Além de abrigar os produtos e colocá-los à mostra para os consumidores, estas plataformas podem oferecer serviços fundamentais para embasar o crescimento e a gestão da marca, auxiliam o desenvolvimento logístico, as estratégias de conversão e os relatórios gerados nas áreas de finanças e contabilidade e ainda compactuam com uma infraestrutura que suporta grandes campanhas e trabalha com segurança de dados.

Essas possibilidades são potencializadas quando a ferramenta escolhida consegue unificar as funções e facilitar a operação da sua loja a partir da integração dos sistemas, como é o caso da EZ Commerce.  Para isso, o sistema precisa estar ligado a pontos de interação como os sistemas internos ERP e as API’s, que ajudam a gestão do e-commerce, além dos meios de pagamento, dos sistemas de análise de fraude e segurança do usuário e das redes sociais que, ao funcionarem em conjunto, otimizam o trabalho da equipe e aumentam as vendas.

Como a EZ pode ajudar você


Com uma plataforma flexível, que permite a expansão do seu negócio, é possível a conquista dos mais diversos consumidores. Por isso, priorize na hora do planejamento a escolha de uma ferramenta que seja a chave para o sucesso da sua marca, ou seja, aquela que facilita a operação do e-commerce e oferece as melhores condições de trabalho.

No caso da EZ, existem formas eficientes de integração que compõem a operação do e-commerce. A troca de informações do sistema interno para a plataforma, por exemplo, pode acontecer em diferentes fluxos, com o envio das informações do ERP para a plataforma ou, no sentido oposto, com as informações sendo enviadas da plataforma para o ERP. Com a integração via API, é possível ter todas as informações centralizadas no seu ERP, o que evita o desperdício de tempo em certas funções, como o cadastro dos dados de um mesmo produto.

Isso também auxilia na maneira de exercer as tarefas diárias de um e-commerce como alterar preços de roupas ou verificar os estoques e organizar o seu negócio, reduzindo o tempo de execução dos processos internos da loja. Portanto, opte pelo que de melhor o mercado oferece em termos de infraestrutura e saiba que você estará em vantagem com uma plataforma que permite a personalização de acordo com o perfil da empresa.

Automatização de tarefas gera produtividade


Com a integração entre ERP e e-commerce, os processamentos de informações durante o período de compra ficam mais ágeis e a equipe não precisa mais realizar atividades repetitivas e demoradas. Sim, isso vale para todo o processo de compra, ou seja, desde o pedido até o momento da entrega na casa do cliente (influenciando diretamente – e positivamente – na geração de relatórios). O trabalho é otimizado e os problemas que surgirem durante o percurso, como uma falha na hora do pagamento, podem ser resolvidos rapidamente sem que o cliente perca o interesse pelo negócio.

Pedidos organizados convertem vendas


Um e-commerce integrado permite maior organização por parte do lojista que convive diariamente com diversos pedidos de produtos e chamados. Dependendo da ocasião, artigos que estavam parados no estoque podem ser procurados e ter a sua demanda aumentada. Neste caso, é importante que o sistema integrado de estoque da sua plataforma contabilize essas movimentações, permitindo a organização de todos os seus pedidos, produtos e seções a qualquer momento.

Com a EZ você pode fazer isso ou integrar com o seu próprio software de back office por meio das APIs da plataforma, recebendo os pedidos diretamente no seu software de gestão de estoque e, com tudo organizado e automatizado, aquele pedido que foi realizado no site aparece automaticamente no ERP. O único trabalho é clicar e confirmar as etapas.

A plataforma deve ser preparada para receber milhares de acessos, sem quedas, para que nenhum cliente fique na mão durante o processo de compra. Por isso, a EZ oferece a função de monitoramento dos servidores, garantindo total conectividade e backup dos seus dados, fazendo com que as alterações fiquem salvas na plataforma. Assim, é possível manter a loja em ordem, ter a segurança de que todos os procedimentos e modificações ao longo da jornada de trabalho não se percam e auxiliar na conversão de vendas.

Meios de pagamento: seu cliente à vontade para escolher


Escolha dar liberdade ao cliente na hora da finalização da compra e não desperdice todo seu engajamento com a marca.  Nesse momento, é importante deixa-lo à vontade para escolher a melhor forma de pagamento, pois ele só sairá satisfeito se efetivamente conseguir adquirir o produto desejado. Pensando nisso, a plataforma da EZ é integrada com gateways e intermediadores de pagamento, o que possibilita transações diretamente com bancos e operadores de cartão de crédito e facilita tanto o trabalho dos lojistas quanto dos consumidores.

Redes sociais: venda socialmente


Assim como a plataforma da EZ, que oferece soluções responsivas para o seu e-commerce e fica disponível a qualquer momento nos mobiles das pessoas, é interessante que a sua loja esteja conectada às redes de comunicação mais movimentadas do mundo. A EZ, por exemplo, permite que as redes sociais da marca estejam integradas à plataforma, trabalhando com o Facebook, Google+, Twitter, Pinterest, entre outras mídias digitais. Essa medida, além de aproximar a marca ainda mais dos clientes presentes nessas redes mundiais de relacionamento, consegue transformar os consumidores do seu negócio em divulgadores em potencial.

Análise de risco: evite fraudes


Além de todos os benefícios que a EZ oferece ao comerciante (e, consequentemente, ao consumidor), a plataforma é integrada com as principais ferramentas de análise de risco, como ClearSale e FControl. Contando com esses serviços, é possível reduzir ainda mais a chance de fraude nas compras e facilitar o trabalho da equipe, que estará por dentro dos melhores indicadores do mercado.

Agilidade na análise de relatórios


A integração entre ERP e e-commerce traz mais agilidade na hora de analisar os resultados do negócio. Com todas as informações unificadas e organizadas em tempo real, disponíveis no momento que a empresa precisa, é possível tomar qualquer decisão com mais propriedade e de forma mais assertiva. Na EZ, por exemplo, os relatórios são construídos com informações consolidadas e detalhadas, com dados e estatísticas que ajudam a gerar insights e aprendizados sobre o andamento do seu negócio, como quantidade de pedidos por período, cadastro dos clientes, estoque, produtos com estoque baixo, acessos por período e cruzamento de dados.

A integração pode ajudar de diversas formas a sua loja, por isso contate a EZ e priorize um trabalho organizado que otimiza o tempo de gestão do seu negócio. Entre em contato conosco e saiba mais sobre a plataforma! Acesse www.ezcommerce.com.br

CTA

Relatórios precisam ser fáceis e acessíveis

Post-blog-Relatório fácil e acessível gera insights positivos para a marca

Relatório fácil e acessível gera insights positivos para a marca


Para acompanhar o andamento de um e-commerce e ter uma visão geral do que acontece na sua e-loja é necessário apostar em plataformas com recursos completos e avançados no quesito gerenciamento. As informações e dados que a empresa gera não podem ser esquecidos ou deixados de lado. Eles demonstram todo o engajamento da equipe de atendimento, mostram se as ações planejadas realmente foram eficazes e revelam se a empresa atingiu o objetivo de captar clientes fieis a marca. Por isso, relatórios eficientes, acessíveis e fáceis de serem compreendidos devem fazer parte da plataforma de e-commerce escolhida para efetivamente auxiliar nas estratégias de venda do seu negócio.

As estatísticas não podem ser encaradas apenas como números. O controle de cada um dos setores e o registro das atividades realizadas ajudam você a gerir a loja da melhor maneira e a gerar insights positivos para a empresa, como conhecer a fundo os clientes, saber o que está funcionando de acordo com o planejamento inicial (e o que pode ou deve ser modificado) e entender a maneira como a sua loja se comporta no mercado. Dessa forma, o que foi feito não se perde e a empresa pode realizar novas ações a partir dos resultados obtidos nos relatórios.

O que a plataforma precisa ter para manter o cliente ativo e gerar bons relatórios


Técnicas avançadas de pesquisa: Para que o cliente não desista da compra e os relatórios reportem o nível de engajamento esperado do consumidor com a marca, invista em técnicas avançadas de pesquisa. Quando o consumidor acessa o seu e-commerce, não é interessante para a sua loja que ele encontre obstáculos até chegar ao produto desejado. Por isso, ao usar a ferramenta de busca, ele deve encontrar facilmente o que procura.

Pensando em ajudar o cliente na jornada de compra, as opções de busca dos produtos precisam deixar ela à vontade, com recursos como pesquisa fonética que corrige rapidamente a palavra escrita pelo cliente e uma pesquisa com sugestões instantâneas que possibilita ao consumidor encontrar o que procura sem precisar terminar a digitação. Outra característica desejável é a opção de o cliente filtrar a busca para encontrar os produtos por cor, tamanho, marca e outros atributos, simplificando o processo de escolha, além de ter os artigos, preços e estoque sincronizados, com clusters de pesquisas totalmente integrados com a plataforma, como acontece com a EZ Commerce.

Integrar a plataforma a um sistema de gestão (ERP): O objetivo é reduzir as chances de erro nos relatórios. Para isso, a empresa funciona de maneira organizada e tem todas as informações em um único software. Com um sistema de planejamento de recursos da empresa (um ERP integrado à plataforma), é possível centralizar o acompanhamento de todos os processos envolvidos na gestão da sua loja virtual, facilitando a hora de gerar os resultados da empresa.

Principais vantagens dos relatórios completos


Relacionamento entre cliente e empresa: Com relatórios completos, acessíveis e fáceis de serem manuseados dentro da plataforma, é possível otimizar a gestão do relacionamento entre cliente e empresa. De acordo com dados do primeiro semestre de 2016 divulgados pelo 34º WebShoppers, relatório especializado em informações do comércio eletrônico no Brasil, houve aumento de 31% em consumidores virtuais ativos, que realizaram pelo menos uma compra no período. Ou seja, somente no primeiro semestre deste ano, cresceu o número de pessoas trafegando pelo comércio online em busca de produtos podendo conhecer a sua loja e se tornar um cliente da marca.

Mas para saber quem são esses consumidores, quais são as suas intenções de compra e em qual segmento eles se encaixam, é preciso trabalhar com relatórios como o da EZ, que fornecem ao dono do e-commerce a quantidade de pedidos por período (dia, mês e ano), armazena o cadastro dos clientes, tem o controle do estoque e dos produtos que estão com estoque baixo, do número de acessos por período (dia, mês e ano) e de realizar o cruzamento de dados fazendo a relação entre acesso e pedido. Assim, aquele consumidor, cada vez mais engajado no processo de compra, passa a fazer parte das estratégias do seu plano de negócio e o que poderia ser apenas um apanhado de dados, agora faz sentido para a marca.

Registro de interações: O controle e o registro das interações dos clientes com a marca são muito importantes para que as empresas consigam avaliar os pontos positivos e negativos das ações, além de possibilitar o desenvolvimento de estratégias que facilitem o trabalho da equipe de atendimento, otimizando também a jornada de compra do consumidor, que pode ficar mais satisfeito com a sua marca.

Ao utilizar a plataforma da EZ, por exemplo, você conhece o comportamento dos clientes também pela análise de cliques e pedidos e, com isso, pode recomendar produtos de acordo com o histórico de cada um ao saber o que a pessoa comprou, o que ela viu dentro da sua loja, quais foram os produtos mais acessados, os mais vendidos, etc. O relatório faz todo esse registro e permite que você acompanhe o histórico de cada um, seja no processo de compra ou no atendimento solicitado. Com isso, é possível entender melhor o cliente e reconhecer os pontos críticos do seu negócio.

Segmentação: A partir do resultado dos relatórios, você pode segmentar os consumidores por perfil e público e desenvolver ações pontuais (e mais assertivas). Com o sistema de gestão ERP, por exemplo, é possível gerenciar melhor as campanhas segmentadas, como as de frete grátis por localidade ou aqueles descontos que ficam cada vez melhores à medida que o cliente compra mais de determinado produto, marca ou seção, que são possíveis quando se utiliza a plataforma da EZ, exigindo menos esforços e gerando maiores taxas de conversão. A interação entre ERP e e-commerce, então, oferece agilidade na hora de analisar os resultados dessas ações.

Identificação de compras não concluídas: Ao acompanhar os carrinhos de compras abandonados e identificar aqueles produtos que foram deixados para trás, é possível identificar quais são as falhas do planejamento de venda desses produtos e causas do abandono, como preço alto, serviço de pagamento oferecido pela plataforma, entre outros motivos. A partir disso, você pode pensar em mudanças estratégicas para o seu negócio.

Esses benefícios auxiliam tanto o seu e-commerce quanto o cliente, que terá uma melhor experiência de compra. Portanto, invista em uma plataforma como a da EZ, que oferece a chance para o seu negócio virtual sair na frente da concorrência sem muitos esforços, com relatórios completos, que geram insights positivos para a marca vender cada vez mais.

Quer saber mais? Acesse www.ezcommerce.com.br CTA

Entenda o que é o funil de vendas e a jornada do cliente

Post-blog-Entenda o que é o funil de vendas e a jornada do cliente

O avanço das soluções tecnológicas e a popularização do acesso à internet abriram inúmeras portas para quem deseja trabalhar com e-commerce. Hoje em dia, existem milhares de lojas on-line espalhadas na grande rede, algumas voltadas para um determinado segmento, outras, empresas que aglomeram vários itens e serviços em um mesmo espaço virtual.

Para que as empresas consigam ampliar sua presença na web, é indispensável que exista muito planejamento. Afinal, a concorrência é crescente, e é necessário superá-la, a fim de atrair mais clientes e conseguir bons resultados.

Por meio da ideia de funil de vendas e com o conceito de jornada do cliente, é possível fazer com que os e-consumidores se interessem cada vez mais pelos seus produtos, até se tornarem consumidores fiéis da marca. Quer saber o que é e como utilizar o funil de vendas e a jornada do cliente a seu favor? Então continue a leitura deste post!

O que é o funil de vendas?


Você quer mesmo bons resultados? Então deverá acompanhar o seu cliente durante todo o processo, desde o momento em que ele conhece o seu produto até o instante da compra. O funil de vendas é um modelo estratégico que faz parte do inbound marketing, pelo qual se pode identificar o ponto exato em que o consumidor está dentro do processo de relacionamento com a empresa e a compra do produto.

O sales pipeline, como também é conhecido em inglês, evidencia as etapas da venda de produtos para os clientes. Conhecendo as fases e o comportamento que as pessoas exibem em cada uma, fica muito mais fácil planejar a relação com elas e guiá-las até o fechamento do pedido.

O funil de vendas pode servir como suporte, um excelente auxílio para o usuário durante a compra. O processo bem elaborado deve fazer com que os consumidores sintam a facilidade e o contentamento de comprar os produtos na sua loja virtual.

Para entender exatamente como o modelo de funil de vendas trabalha, vale a pena considerar como funciona a jornada de compra.

O que é a jornada de compra do consumidor?


Antes do consumidor se decidir pela compra, ele passa pela chamada jornada do cliente. Essa trajetória consiste nos passos básicos pelos quais o cliente em potencial deve seguir, de forma que perceba a necessidade ou as vantagens na obtenção de um produto ou serviço para sua vida.

Ela funciona perfeitamente com um determinado perfil ou nicho de consumidores. Isso ocorre porque a tendência é que as pessoas possuam as mesmas características básicas nos instantes que antecedem uma compra.

A jornada do cliente é composta por 4 etapas:


Etapa 1: aprendizado e descoberta


Em um primeiro momento, o consumidor ainda não descobriu ou não enxergou a necessidade de um produto. Também pode não ter percebido uma oportunidade de negócio. Na primeira etapa da jornada, é preciso despertar, naquele consumidor, o interesse por determinado assunto. Dessa forma, será mais fácil guiá-lo até o produto final.

Etapa 2: reconhecimento do problema


Após algumas influências de aprendizado e descoberta, o consumidor percebe que ele precisa solucionar um problema que até então não sabia que era tão grande ou não compreendia que existia. Ele começa a perceber que aquela demanda possui algumas soluções simples. Nessa etapa, surge um interesse maior da parte do comprador em potencial, fazendo com que ele pesquise mais sobre o assunto.

Etapa 3: consideração da solução


Sabendo que ele possui um problema e precisa resolvê-lo, o consumidor começa a considerar a solução ideal para sua demanda. Depois de algumas pesquisas on-line, é natural ter se deparado com inúmeras soluções viáveis. É aqui que a empresa encerra a educação do cliente, mostrando que apresenta o melhor recurso para o problema.

Assim, a ideia é que, na terceira etapa, o consumidor já saiba que possui um problema e qual é a sua devida solução. Se não houver uma relação apropriada com ele, o consumidor não vai buscar o produto que você colocou no mercado e a história do seu potencial cliente vai acabar aqui.

Etapa 4: decisão de compra


Quando o consumidor chega à quarta etapa da jornada de compra, significa que está bastante interessado em adquirir a solução que a empresa apresenta. O ideal é mostrar as vantagens competitivas em relação ao mercado para conseguir conquistar esse consumidor.

Quais são as etapas do funil de vendas?


O funil de vendas é uma técnica valiosa para acompanhar os consumidores até a compra final. Conhecendo a jornada do cliente, esse processo fica muito mais intenso e verificável, de modo a permitir que os possíveis clientes se tornem mais qualificados e as chances de compra sejam potencializadas.

Em outras palavras: de nada adianta trabalhar o consumidor dentro de um funil de vendas se você ainda não conhece bem a sua jornada de compra.

Conhecendo a jornada do cliente no seu e-commerce, é hora de entender como funciona cada etapa do funil de vendas:

Topo do funil


O topo do funil é a parte em que os consumidores em potencial ainda não sabem que precisam dos seus produtos ou serviços. Essa etapa tem como termo-chave a ideia de “conscientização”.

Aqui, a pessoa ainda não é considerada um cliente. Afinal, nem reconhece que precisa dos seus produtos. A função dessa etapa do funil é fazer com que o consumidor tenha o seu interesse despertado sobre os seus negócios.

É no topo do funil que os e-commerces de sucesso conseguem atrair novos clientes futuros, ou seja, essa é a estratégia para gerar mais leads. Por esse motivo, trabalhe com o conteúdo e outras técnicas que despertem o interesse do seu futuro consumidor e que sirvam como ponte para seus produtos.

Meio no funil


Quando o consumidor acaba criando algum interesse pelo que é oferecido, ele avança para o meio do funil. Nessa etapa, é bem provável que ele já tenha percebido que tem um problema e que precisa de uma solução.

Esse é o momento em que ele fica na dúvida se compra ou não o produto. Quando não possui estímulos suficientes, acaba desistindo da compra e para de avançar ao longo do funil. Porém, quando recebe as informações adequadas, o desejo de comprar o produto aumenta.

Fundo do funil


É quando o consumidor tem o interesse real de comprar seu produto ou serviço, mas ainda pode escolher outra empresa que tenha o mesmo item à venda.

É importante, então, que você se utilize dos seus diferenciais competitivos para conseguir fisgar de vez a confiança desse consumidor e fazer com que, finalmente, ele concretize a aquisição — no seu e-commerce, e não na loja do concorrente.

Em resumo, as três etapas do funil de vendas fazem com que o consumidor tenha interesse pelos seus produtos ou serviços e efetivem a compra. Para que o método tenha êxito, é preciso trabalhar com seus leads qualificados.

Algumas dicas podem ajudar muito na hora de fisgar ainda mais a atenção dos seus clientes em potencial. Uma delas é o uso apropriado de CTAs. Sabe o que é isso? Entenda o que é CTA e como usá-lo para aumentar suas vendas clicando aqui!

CTA

Conheça 7 tendências do varejo on-line para 2017

Post-blog-Conheça 7 tendências do varejo on-line para 2017

O varejo on-line vem construindo um futuro promissor. Para se ter uma ideia das tendências para o próximo ano, considere que, somente no estado de São Paulo, o e-commerce registrou um faturamento real de R$ 3,4 bilhões no segundo trimestre de 2016! Esse resultado foi atingido em apenas 3 meses, em plena crise econômica e em apenas um estado da federação.

Com a conquista de cada vez mais espaço no faturamento total do mercado, novos empreendimentos on-line surgem diariamente, na expectativa de abocanhar uma fatia desse bolo. Para se manter competitivo, é essencial acompanhar e implementar com rapidez as tendências que referenciam e criam linhas de base para o varejo on-line como um todo. Novas tecnologias têm contribuído para que clientes tenham experiências mais ricas, e, varejistas, melhor rentabilidade.

Sendo assim, apresentamos sete tendências do varejo on-line para 2017, para você acompanhar de perto e sair na frente da concorrência. Confira!

1. Análises serão feitas em tempo real​


Análise em tempo real é uma das mais pertinentes tendências para 2017, pois fornece uma visão mais profunda e de maior alcance sobre conversões e comportamento do cliente.

Liderando as mudanças, há um nome que muitos varejistas on-line já conhecem: kissmetrics. Esse software permite rastrear todos os canais de vendas e fontes de conversão possíveis, seguindo-os da sua origem até o resultado final.

Por meio da análise em tempo real, você poderá acompanhar cada ponto de conversão possível, porque softwares como esse (e outras soluções afim, como Mixpanel e Hubspot) irão mantê-lo informado de cada interação.

Em seguida, você estará apto a usar essas informações para melhor entender o comportamento de compra dos seus clientes e realizar as alterações necessárias para gerar melhores conversões.

2. Atendimento ao cliente será live-action


Outra tendência muito discutida é a interação ao vivo com os clientes. Deve-se considerar, entretanto, que há clientes mais e menos engajados e dispostos a aprofundar o relacionamento com sua empresa e marca.

Obviamente, quanto mais engajado estiver o cliente, maiores são as chances de interagirem e realizarem compras. Ou seja, sua empresa e marca se beneficiam quanto mais interativa for sua relação com o consumidor. Para engajá-lo e aproveitar essa tendência, há certas ações que você pode realizar:

  • Citar nominalmente os clientes no seu blog para incentivar a repetição de visitas e a interação;

  • Responder às suas perguntas por meio de vídeos ou blog posts;

  • Atualizá-los por e-mail ou newsletter;

  • Postar conteúdos valiosos com frequência para mantê-los informados;

  • Otimizar a interação com o cliente nos seus projetos de e-commerce;

  • Priorizar os clientes mais fiéis na destinação de ofertas especiais.

Além disso, você poderá incorporar softwares de atendimento ao cliente, como o Zendesk. Por meio dessa solução, é possível envolver ativamente os clientes ao permitir que façam perguntas em um sistema que integra chat on-line, redes sociais, chamadas telefônicas, sms, etc.

Os relatórios criados permitirão à sua equipe de atendimento ao cliente responder em tempo real. Além disso, oferece suporte live-chat para qualquer cliente durante o processo de compra. Isso é muito útil para atender àquele consumidor que ainda não está acostumado ou se sinta inseguro ao realizar compras on-line.

3. O uso de dispositivos móveis atingirá novas alturas


Cada vez mais, as pessoas estão utilizando smartphones e tablets para efetuar compras on-line. Porém, todo o potencial que esse novo mercado abre, está, ainda, longe de ser explorado satisfatoriamente.

Os smartphones servirão de catalisadores para levar as empresas a uma nova era, na qual todo o foco estará voltado para a satisfação do cliente. Toda empresa que queira sobreviver no século XXI deverá investir em plataformas de e-commerce que estimulem a aproximação dos consumidores.

Já podemos ver, no dia a dia, os primeiros passos dessa transição, na qual a maioria das vendas – mesmo de lojas exclusivamente físicas – é processada digitalmente!

4. As compras on-line serão o novo status quo


À medida que varejistas on-line começam a perceber que os clientes gostam de visitar a loja física, mas desejam a conveniência e comodidade oferecidas pelas compras on-line, passarão a realizar ações no sentido de individualizar, cada vez mais, a experiência de compra nas suas lojas virtuais.

Além do suporte interativo, os clientes poderão se comunicar diretamente com assistentes de venda para terem suas dúvidas sanadas, além de obterem respostas em tempo real para suas dúvidas e comentários.

5. Vendas serão ancoradas nas redes sociais


Soluções como o Soldsie permitirão que você obtenha valiosas referências de alta conversão a partir de redes sociais, ajudando-o a melhorar suas taxas de CTR e ROI.

Outra solução que promete entrar cada vez mais no mercado brasileiro (competidor direto do Soldsie) é o Curalate. Ele permite aos usuários mensurar as conversões originadas a partir de plataformas mais visuais, como o Instagram e o Pinterest. Seus algoritmos são capazes de identificar as imagens e quantificar a presença da sua empresa nessas redes, além de poder descobrir quem são os usuários mais ativos e comparar seu desempenho com o dos concorrentes.

6. As entregas no mesmo dia da compra estabelecerão um novo padrão


Muitas empresas já perceberam que a maioria dos consumidores adoraria poder receber o produto que comprou on-line no mesmo dia, ainda que tenha que pagar um pouco mais por isso.

No entanto, vá com calma: analise seu público-alvo, suas demandas e a sua atual infraestrutura de entrega. Se for possível realizar um investimento para oferecer esse diferencial, realmente valerá a pena.

Caso contrário, considere realizar essa opção a longo prazo. Seja como for, certamente representará uma vantagem competitiva para sua empresa!

7. Big Data e Small Data serão tendências do varejo para estratégia


O Big Data é um conceito bastante difundido nos últimos anos e contribuiu de modo relevante para o desenvolvimento de novas maneiras de comercializar e se comunicar com clientes on-line. Isso é possível a partir da coleta de dados dos consumidores em larga escala, viabilizando a criação de uma abordagem mais eficiente. Seu foco é mais quantitativo e estabelece bases para o desenvolvimento de estratégias de alto impacto.

Já o Small Data concentra-se nos pequenos detalhes. É resultado do garimpo minucioso das informações do Big Data, com o objetivo de captar percepções dos clientes, entender como eles pensam e suas motivações intrínsecas. O foco do Small Data é qualitativo e visa obter insights que o Big Data por si só não é capaz, além de garantir às empresas que o colocarem em prática percepções únicas dos seus clientes, que nenhuma outra descobriu ainda.

Tudo isso deve ser levado em consideração para que sua empresa esteja sempre à altura de clientes cada vez mais bem informados e exigentes. Ao lado dessas 7 tendências do varejo on-line, não podemos esquecer aquela que é válida para todos os anos: a única constância em tecnologia (e na vida, de modo geral) é a mudança. Então, esteja sempre preparado para ela!

Se você gostou de conhecer as principais tendências para 2017 e deseja se inteirar das melhores soluções para o seu negócio, entre em contato conosco!

CTA

Marketing para e-commerce: saiba como criar e acompanhar ações online

Post-blog-Marketing para e-commerce saiba como criar e acompanhar ações online

A cada dia que passa, o comércio eletrônico se torna uma rotina na vida dos brasileiros. E não é para menos! Com a ampliação do acesso à internet somada à possibilidade de poder comprar quase qualquer tipo de produto e serviço no conforto de casa, com apenas poucos cliques, sem pegar trânsitos caóticos nem filas homéricas, o setor de e-commerce no Brasil foi um dos que mais cresceu nos últimos anos.

Entretanto, apesar da logística das compras virtuais ser extremamente benéfica tanto para quem vende quanto para quem compra, quem deseja se destacar como um empreendedor da área precisa ficar bastante atento a algumas questões essenciais, como a criação de ações on-line de marketing, por exemplo.

Com o aumento da concorrência no setor, os empresários que não investem em estratégias certeiras de marketing para e-commerce podem acabar amargando péssimos resultados, sendo praticamente “atropelados” por concorrentes mais preparados no assunto.

Por isso, é importante que seu e-commerce possua uma presença sólida dentro do mercado virtual, por meio da criação de ações de marketing eficientes, bem planejadas e acompanhadas ao longo do tempo. Quer saber como? Então continue a leitura deste post, pois é exatamente sobre esse assunto que trataremos em detalhes! Vamos lá?

As especificidades do marketing para e-commerce


A primeira coisa que você, empreendedor do ramo de e-commerce, deve ter em mente ao criar ações de marketing para o seu negócio é que o marketing para e-commerce possui algumas especificidades, bastante distintas do “marketing tradicional” utilizado por lojas físicas, por exemplo.

Em primeiro lugar, as ações de divulgação da sua loja virtual devem ser direcionadas adequadamente ao seu público, que por sua vez, deve ter sido previamente mapeado e delineado. Entenda que, na internet, campanhas de divulgação muito amplas e inespecíficas, como são os anúncios de TV, por exemplo, não costumam gerar bons resultados.

Além disso, antes mesmo da estruturação da sua plataforma on-line de vendas, é necessário pensar em estratégias que deem visibilidade ao seu negócio, dentro de um ambiente tão amplo como o da internet, certo? E isso é conquistado por meio da otimização de processos de SEO (Searching Engineering Optimization), que auxiliam na melhora do ranqueamento da sua loja virtual em motores de busca como o Google.

Da mesma maneira, o marketing voltado ao comércio on-line tem que ser estruturado sempre pensando em gerar leads (potenciais clientes) e, principalmente, em fidelizar os clientes após sua primeira compra. Isso porque o custo de manter um cliente fiel é comprovadamente menor do que o necessário para atrair novos.

Como fazer isso? Proporcionando um ambiente virtual agradável e descomplicado, investindo em ações que visam diminuir o abandono de carrinhos, entregando valor real ao cliente por meio de estratégias de marketing de conteúdo e e-mail marketing e divulgando seus produtos e serviços no local certo, da maneira correta.

Se você ficou um pouco perdido com todas essas especificidades do marketing para e-commerce, não se preocupe: abordaremos, de maneira mais aprofundada, cada uma das questões citadas acima. Confira!

O momento certo de investir no marketing


Muitos empreendedores do ramo de e-commerce pensam que somente depois de investirem na estruturação e na criação de uma plataforma on-line — onde possam oferecer seus produtos — é que se deve partir para os investimentos em marketing e a divulgação do comércio. Entretanto, essa é uma estratégia comprovadamente errônea!

As estratégias de marketing digital devem ser criadas e planejadas juntamente com os planos de nascimento da loja, antes mesmo de o empreendimento estar em plena atividade. Isso porque determinadas estratégias devem ser colocadas em prática no momento da criação do site — como o SEO, por exemplo.

É por meio da busca de palavras-chave pelas quais você gostaria que a sua loja on-line fosse encontrada nos motores de busca que determinados setores ou departamentos do seu site vão ser nomeados. Caso isso não seja feito durante a criação do site e a instalação da plataforma, você já sairá perdendo e terá que reformular o site depois.

E mesmo que você pense que não possui capital suficiente para investir em ações e estratégias de marketing antes mesmo de colocar seu e-commerce no ar, saiba que muitas dessas ações custam pouco, como a criação de um blog e de perfis nas principais redes sociais, por exemplo.

Além disso, o recomendado é que o orçamento do seu projeto de e-commerce divida-se em 30% para a construção da plataforma e 70% para marketing. Sim, isso mesmo! Mais da metade do seu orçamento inicial deve ser destinado à divulgação da sua loja, fazendo com que ela chegue até o seu potencial cliente.

Por isso, caso você esteja planejando entrar para o mundo do e-commerce como empreendedor, tenha isso muito claro em mente: o marketing deve estar presente nos passos iniciais do negócio, ok?

A segmentação do público-alvo


Com a entrada de gigantes do varejo no mundo do comércio on-line, os pequenos e médios empreendedores do ramo estão tendo que criar estratégias cada dia mais refinadas, a fim de manter seus negócios competitivos e sustentáveis no longo prazo. Uma das técnicas mais certeiras quando se fala nesse assunto é a segmentação adequada do público-alvo.

Você, como empreendedor, certamente já ouviu falar ou mesmo já tem construída uma persona para o seu e-commerce, certo? O delineamento correto da persona pode auxiliar sobremaneira na hora de gerar leads e alavancar as vendas do seu negócio.

Entretanto, se o seu objetivo é realmente utilizar o marketing como ferramenta estratégica para a sua empresa, deve ir mais a fundo nesse quesito, segmentando o seu público-alvo. Obviamente, isso só será possível após um certo tempo de atividade, visto que a segmentação é realizada por meio da análise de dados dos seus clientes.

Informações refinadas, referentes a histórico de compras, média salarial, porcentagem de e-mails marketing convertidos, dentre outras, permitirão que você consiga separar seus clientes em grupos ainda mais específicos do que a persona.

Ao fazer essa segmentação, você poderá criar campanhas, ofertas e conteúdos exclusivos e direcionados a cada grupo. O resultado? Taxas de conversão e fidelização ainda maiores!

A definição dos espaços de divulgação


Já mencionamos aqui que o marketing para e-commerce tem suas especificidades, certo? E dentre uma das principais está a definição certeira dos espaços de divulgação da sua loja, do seu produto ou do seu serviço. A compra de espaços publicitários em sites com grande tráfego de pessoas pode ser muito efetiva na atração de leads. Porém, de nada adianta investir grandes quantidades de dinheiro nisso se o alcance será mínimo e o retorno financeiro menor ainda, certo?

Dentro desse contexto, é imprescindível que você fique atento a algumas questões bastante importantes na hora de definir seus espaços de divulgação. A mais importante é saber onde o seu cliente está. No mundo da internet, isso significa estar por dentro de quais portais, sites, blogs e redes sociais seu público-alvo acessa com mais frequência.

Se você possui um e-commerce de artigos esportivos, por exemplo, comprar um espaço de divulgação em um site especializado em culinária ou automóveis não será uma ação muito eficiente, concorda? Por mais que o número de acessos ao site seja altíssimo, a chance dos seus leads estarem por lá é pequena.

A necessidade de automatizar tarefas


Por menor que seja o seu e-commerce ou por mais específico que seja seu nicho de atuação, uma coisa é certa: em determinado momento, você sentirá a necessidade de automatizar tarefas, especialmente quando se trata de campanhas de marketing digital.

Você até pode começar suas ações de maneira manual, mas isso se torna absolutamente inviável com o passar do tempo e com o aumento do número de clientes. Por isso, o ideal é que você automatize determinados processos o quanto antes.

Além de facilitar muito a sua vida, a automação do marketing permite que você meça, de maneira precisa, os resultados de cada campanha, o que faz com que você tenha mais tempo livre para se dedicar a outras questões importantes para o sucesso do seu e-commerce — e que não podem ser realizadas de maneira automática.

Estamos na era da informação e da tecnologia, então utilize isso a seu favor! Softwares de gestão de e-mails marketing são um excelente exemplo de como automatizar tarefas pode ser incrivelmente proveitoso para o seu negócio. Mas existem muitas outras. Busque as que mais se adaptam ao seu e-commerce e ao seu nicho e invista! Acredite, você não vai se arrepender.

4 ferramentas essenciais para alcançar resultados


Até aqui já foi possível ter uma boa noção da importância de criar ações bem estruturadas de marketing para e-commerce, certo? Nesse momento, você pode estar se perguntando o que utilizar, na prática, para realmente alcançar resultados efetivos, não é mesmo?

Para lhe ajudar nessa tarefa, listamos abaixo um grupo de 4 ferramentas que já pode ser considerado um clássico quando o assunto é divulgar estrategicamente seus produtos on-line. Confira:

Marketing de Busca: são as estratégias voltadas para a otimização do seu e-commerce nas principais ferramentas de busca. Referem-se a SEO, links patrocinados e plataformas de comparação de preços, como o Buscapé.

Marketing de Relacionamento: são, na prática, os principais canais de comunicação dos clientes com o seu e-commerce. Perfis em mídias sociais, como o Facebook, o Twitter, o LinkedIn e o Instagram se encaixam nessa categoria, e é essencial que sua empresa esteja presente naquelas mais relevantes para o seu negócio.

Marketing de Display: refere-se à divulgação dos seus produtos por meio de banners em sites, blogs e portais bastante acessados pelo seu público-alvo.

Marketing de Conteúdo: essa ferramenta está pautada na oferta de conteúdo relevante e de qualidade aos seus clientes, por meio de um blog e do compartilhamento em redes sociais.

O cálculo do retorno sobre o investimento


Como empreendedor no setor de e-commerce, você provavelmente já ouviu falar em ROI, certo? Em caso negativo, explicamos: o ROI — da sigla em inglês Return On Investment — nada mais é do que o cálculo feito para saber o retorno que determinado investimento trouxe para o seu negócio.

No caso do marketing, muitos tipos de ações e campanhas podem ter seu ROI calculado de maneira bem simples e direta. Digamos, por exemplo, que você investiu R$ 250 na divulgação da sua loja por meio de anúncios pagos, como o Google Ads, e que essa ação gerou, ao final, R$ 1 mil em vendas.

Ao dividirmos o valor total faturado pelo investimento realizado, chega-se ao ROI daquela campanha de marketing específica. No caso acima citado, o ROI seria 4. Nesse momento você pode estar pensando, esse é um valor bom ou ruim?

A resposta é: depende. Quando se fala em ROI, não existe um número mágico. Obviamente, quanto mais alto ele for, melhor, pois significa, na prática, que seu investimento inicial foi superado em muitas vezes pelo faturamento. Ou seja, ele é um ótimo indicativo para que você determine se está no caminho certo ou se deve rever suas estratégias de marketing.

Também é importante salientar que, apesar de ser uma ferramenta bastante poderosa na hora de medir os resultados de determinada ação de marketing, em alguns tipos de campanhas o cálculo do ROI se torna mais difícil e impreciso. Especialmente em ações de longo prazo, que visam um aumento do engajamento e a fidelização de clientes, saber com precisão o ROI de determinado investimento pode se tornar uma tarefa árdua.

Por exemplo: caso você tenha investido em uma campanha de links patrocinados, gerando, com essa ação específica, um ROI de 5, como medir o retorno do cliente que chegou até a sua loja por meio desse link, mas que já comprou 3 outras vezes depois disso e ainda indicou sua empresa a outros 4 amigos, que também compraram? Nesse caso, o ROI pode ser o dobro ou até mesmo o triplo do que se pode calcular com absoluta certeza. Por isso, esteja sempre atento a essa questão!

A geração de leads para a loja virtual


Para aqueles que buscam criar estratégias de marketing para e-commerce efetivas e que realmente gerem o retorno esperado, é imprescindível ter o foco direcionado a um ponto essencial: a geração de leads.

Leads nada mais são do que potenciais clientes. Aquelas pessoas que estão verdadeiramente dispostas a comprar produtos da sua loja virtual. São os leads, após virarem clientes, que farão seu e-commerce ser um sucesso.

Por isso, atrair e gerar leads para o seu negócio é tão importante. E como é possível fazer isso de maneira correta, indo direto ao ponto e não desperdiçando recursos e tempo em estratégias que não dão certo?

A geração de leads passa por muitos processos, e cada um serve como um “degrau” para o próximo, conduzindo o aspirante a lead por um caminho que foi previamente desenhado por você — o chamado funil de vendas. O final do funil de vendas e, obviamente, seu principal objetivo, é a conversão.

Assim, cada passo da estratégia de geração de leads deve ser cuidadosamente planejado, pois o erro em uma das etapas pode impedir ou diminuir o acesso à próxima. Em função disso, é necessário delinear desde estratégias de marketing de busca e SEO (para que os potenciais leads consigam encontrar seu e-commerce facilmente na internet, em meio a tantas opções), até o oferecimento de conteúdo de qualidade, landing pages bem estruturadas, campanhas de e-mail marketing certeiras e divulgação em canais que realmente gerem leads à sua plataforma.

E se isso tudo lhe parece muito trabalhoso à primeira vista, saiba que apostar em estratégias de geração de leads é extremamente vantajoso para qualquer empreendedor do ramo de e-commerces. Ao abordar diretamente clientes realmente dispostos a comprar seus produtos, seus custos de venda diminuem de maneira significativa, já que a taxa de conversão tende a subir consideravelmente, chegando, em alguns casos, a incríveis 70%!

O aumento contínuo da visibilidade


Como já diria o velho ditado, “quem não é visto, não é lembrado”. Essa máxima não poderia ser mais verdadeira, especialmente quando se fala do universo da internet. Para que você tenha sucesso com o seu e-commerce, é necessário que as pessoas o vejam e saibam que ele existe, não é mesmo?

Em função disso, é essencial que você invista em um aumento contínuo da visibilidade da sua empresa na internet. E quando se trata desse assunto, existem inúmeras maneiras de alcançar os resultados esperados: de curto, médio e longo prazos, baratas, caras, específicas, abrangentes, entre muitas outras.

Uma das maneiras mais eficazes e rápidas de aumentar a visibilidade da sua marca é investir em anúncios pagos, como o Google Ads ou o Facebook Ads, por exemplo. Porém, apesar de gerar resultados comprovados em pouco tempo, o investimento nesse tipo de ação costuma ser alto e dura somente o tempo que o anúncio está no ar.

Por outro lado, outras estratégias para aumentar a visibilidade, além de mais baratas, geram resultados contínuos e exponenciais, apesar dos efeitos só serem comprovados no médio e no longo prazo. É o caso do marketing de conteúdo, em que sua empresa oferece informação e conteúdo de qualidade aos leads por meio de um blog ou de perfis em redes sociais, por exemplo.

A grande sacada aqui, quando se trata do aumento da visibilidade da sua loja, é tentar mesclar as estratégias de curto e longo prazo, sempre levando em consideração as estratégias de SEO em toda e qualquer ação.

Se o seu negócio está começando, pode ser interessante investir em campanhas de anúncios pagos, mas sem deixar de lado as estratégias de longo prazo — mais efetivas quando o objetivo é fidelizar clientes, que acabam se tornando propagadores da sua marca. Entregar valor ao cliente é tão importante quando se fala de e-commerce que falaremos mais detalhadamente sobre o assunto no próximo tópico.

A necessidade de entregar valor ao cliente


A chegada da era da informação e a democratização do acesso à internet no mundo todo vêm mudando drasticamente a maneira como as pessoas consomem produtos e serviços. Mais bem informados e cientes da grande quantidade de opções disponíveis, os consumidores se tornaram mais exigentes, tanto no que se refere ao produto em si quanto à idoneidade da empresa, à qualidade no atendimento e no que ela entrega de valor.

Por isso, é essencial que você utilize o marketing não apenas como uma maneira de divulgar seus produtos e serviços ou alardear aos quatro ventos o quanto sua empresa é incrível. Você tem que, necessariamente, entregar algo de valor ao seu cliente. Do contrário, ele não pensará duas vezes antes de buscar uma empresa que o faça.

Por outro lado, ao fazer com que seu cliente se sinta especial — entregando algo de valor além de seus produtos —, ele se tornará um defensor ferrenho da sua marca, compartilhando seus conteúdos e falando maravilhas da sua empresa aos seus conhecidos e amigos. Ou seja, entregar valor ao cliente é um exemplo típico de uma estratégia ganha-ganha: você deixa seu cliente satisfeito, ele compra mais e ainda divulga a sua marca de graça!

E o que significa, na prática, entregar valor? Alimentar um blog com conteúdos relevantes para o seu cliente, ofertar e-books exclusivos e ricos, construir um relacionamento sólido com seus consumidores e atendendo de maneira rápida e ágil tanto os pedidos quanto as reclamações ou queixas que eventualmente possam surgir são exemplos perfeitos de entrega de valor.

O marketing para e-commerce é uma estratégia que não pode, de maneira alguma, ficar de fora do seu planejamento caso seu objetivo seja se consolidar como uma autoridade dentro do seu nicho de atuação. Entretanto, como você pode perceber ao longo deste post, criar e acompanhar ações de marketing on-line não são tarefas que podem ser feitas sem um mínimo de cuidado e visão estratégica.

Ter em mente o que, como, quando e por que cada ação será criada e divulgada aos seus clientes é essencial. Por isso, não perca mais tempo! Utilize as informações contidas neste artigo como um guia para que você possa criar campanhas realmente efetivas, que gerem visibilidade e lucro ao seu negócio, e colha os frutos dessas ações muito antes do que você imagina!

E se você gostou deste conteúdo e acha que ele foi útil, que tal curtir a nossa página no Facebook? Assim, você ficará por dentro de todos os conteúdos publicados no nosso blog em primeira mão!

CTA

Aprenda a segmentar seu público-alvo de forma eficiente

imagem_topo

Uma das primeiras perguntas a se fazer na hora de começar um novo negócio é: “quem seria o cliente perfeito para minha solução?”. Fazer a segmentação do público-alvo é imprescindível para acertar na resposta.

Uma vez que essa pergunta for respondida, é possível desenhar um plano e garantir que sua marca seja não apenas vista, mas também conquiste a confiança desse consumidor. Algumas empresas já têm anos de mercado, mas ainda não se deram conta da importância de compreender melhor seus consumidores.

Quando sua empresa sabe com quem está falando é possível economizar bastante com marketing, direcionando seus investimentos para a parcela do público realmente interessada nos seus produtos e serviços. Quer aprender como determinar sua audiência sem problemas? Siga estes 8 passos para uma segmentação de mercado eficiente!

PRIMEIRO PASSO: compreenda seus pontos fortes


Toda invenção cumpre uma necessidade e o que você oferece não pode ser diferente! Muitas empresas têm dificuldade de entender o diferencial por trás dos seus produtos e acabam lutando para articular quais problemas eles podem resolver e porque as pessoas deveriam comprá-los.

Antes de definir o público-alvo, será preciso compreender intimamente o que sua organização vende.

Descreva o que seu produto faz e em que tipo de situação de uso se encaixa, tentando resumir isso a duas ou três frases curtas. Liste os recursos da ferramenta e faça um brainstorming dos diferentes tipos de benefícios que cada um deles pode oferecer ao mercado.

Crie e defina exemplos de como tais vantagens podem ser aplicadas à rotina e, a partir daí, se pergunte quem enfrenta desafios similares com frequência.

SEGUNDO PASSO: conheça a audiência existente


Digamos que sua empresa não está começando agora e já tem um portfólio de clientes modesto. Compreender as características compartilhadas por esse público, seus padrões de compra e necessidades é o segundo passo para segmentar sua audiência.

Entre em contato com esses clientes e construa conhecimento a partir daí, percebendo quais diferenciais tornaram sua marca a escolha óbvia. Invista em CRM para gerenciar o relacionamento com o consumidor e compilar essas informações em um só lugar.

Existem alternativas específicas adequadas ao tamanho e perfil de cada empresa, que dispõem de recursos analíticos capazes de evidenciar a distribuição geográfica da carteira de clientes atual, sua faixa etária e hábitos de compra.

TERCEIRO PASSO: entenda seu público a fundo


Para cada cliente existem inúmeras variáveis a se considerar. Imagine que sua empresa é dona de uma loja para produtos de bebê.

O público-alvo “mães com filhos pequenos” talvez não seja específico o bastante para orientar todas as suas ações de marketing. Quanto mais afunilado for esse perfil, mais eficaz sua segmentação de clientes.

É preciso separar mães jovens e aquelas um pouco mais maduras, as que vivem em grandes centros das que moram em cidades médias e assim por diante. Cada uma delas procura coisas diferentes e quanto mais específicas forem suas ações, melhor!

Descubra tudo que puder sobre seus consumidores, tente entender que tipo de conteúdo consomem, quais revistas, sites e blogs os influenciam e reserve recursos para experimentar abordagens específicas para esses nichos.

Na hora da pesquisa, busque em redes sociais e veículos especializados a informação necessária para traçar esses perfis sem precisar investir alto.

QUARTO PASSO: desafie suposições


Não importa quanta experiência seus gestores têm ou o quão bem conhecem seus mercados. É preciso pensar fora da caixa e desafiar suposições quando o assunto é segmentação de público-alvo.

Compare a percepção da equipe de vendas com pesquisas feitas diretamente junto ao consumidor, a fim de identificar as diferenças entre o que sua equipe de marketing assume e a realidade.

Busque basear toda suposição em personagens reais e aja sempre sobre o feedback recebido, mesmo que isso entre em conflito com a ideia de negócio que você tinha originalmente.

Jamais siga uma hipótese defeituosa se puder aprender com o mercado.

QUINTO PASSO: observe a concorrência


Criar um produto completamente inovador, sem concorrentes diretos, pode ser uma faca de dois gumes. Ao mesmo tempo que sua solução tem o potencial de dominar o mercado, precisa desbravá-lo sozinha.

Boa parte das empresas, porém, surge para oferecer versões melhores (e mais incrementadas) de uma ideia já existente. Quando esse é o caso, convém conhecer tão bem seus concorrentes quanto a si mesmo.

Comece pela empresa que domina o mercado atualmente e tente entender de quais estratégias ela se vale na hora de fechar negócio.

Esses insights vão lhe ajudar a entender melhor o tipo de público que seu negócio precisa atingir e economizar tempo e dinheiro.

Faça uma lista dos seus principais competidores e aproveite para tentar encontrar um recorte de audiência que a competição ainda não capturou.

SEXTO PASSO: crie uma persona (ou várias!)


Buyer personas são ferramentas indispensáveis nas estratégias de marketing. Esses perfis semificcionais que representam seu consumidor ideal são uma ótima forma de consolidar tudo que você aprendeu sobre seu cliente até agora.

Boas personas contém informações demográficas e psicológicas. Descreva características como renda, sexo, idade, estado civil, status de trabalho e nível educacional, além de dados sobre o que motiva seu comprador ideal.

Inclua hobbies, comportamentos, valores e interesses que resumem de forma concisa os problemas e hábitos do seu público-alvo.

SÉTIMO PASSO: descubra onde seu público está


Para uma segmentação de público-alvo realmente eficaz é preciso identificar que locais seus possíveis clientes frequentam e onde buscam conteúdo. Na internet, isso significa compreender quais são seus canais de comunicação preferenciais e analisar de onde eles se originam.

Hora de ficar atento ao Analytics! Com a ferramenta é possível entender a origem de cada clique e quantificar os efeitos das suas campanhas de e-mail, posts nas redes sociais e publicidade pay per click.

Identifique os canais que funcionam melhor com seu nicho e saiba quando inovar. Novas mídias podem ser aliadas, mesmo que seu público ainda não esteja lá e consolidar sua presença antes dos concorrentes pode recompensar no futuro.

Faça muitos testes, experimente executar pequenas campanhas simultaneamente e compare com atenção o resultado de cada uma delas. Só assim será possível traçar perfis mais próximos da realidade de quem procura seus produtos e serviços.

OITAVO PASSO: esteja preparado para se adaptar


Marcas evoluem rapidamente nesse cenário de novas tecnologias e suas campanhas devem acompanhar o ritmo. A velocidade da informação tem efeito sobre a percepção do consumidor e passar muito tempo insistindo num canal que não traz os resultados esperados pode acabar com seu marketing on-line.

Tente não investir tempo demais em uma ideia, revise suas personas periodicamente e realize pelo menos uma atualização anual nos dados demográficos que orientam sua estratégia. Tente sempre imaginar seu produto e seu negócio em cinco anos e domine a linguagem e tecnologias disponíveis para se aproximar do consumidor.

Conforme o negócio evolui, não espere que o cliente fique parado no tempo. Caminhe junto com ele e esteja pronto para perceber suas novas necessidades, assim que se fizerem evidentes.

Gostou dessas dicas para arrasar na segmentação do público-alvo? Então curta a nossa página no Facebook e fique por dentro de outras dicas para obter sucesso com um negócio on-line!

CTA

SEGURANÇA ONLINE: 5 dicas para evitar fraudes em sua loja virtual

99

O comércio eletrônico vem crescendo em grandes proporções no Brasil, mas boa parte dos consumidores ainda têm receio de utilizar o e-commerce, por medo de ter os seus dados pessoais divulgados ou passarem por golpes e fraudes via web. Por isso, é importante que a loja virtual invista em ferramentas de segurança on-line para proteger a compra do cliente, e também se proteger contra cibercriminosos.

Para evitar dores de cabeça no seu negócio e trabalhar com um sistema totalmente seguro, preparamos 5 dicas para evitar fraudes na sua loja virtual. Confira:

1. Migrar para um servidor de maior qualidade


Para conseguir atender à demanda dos consumidores, sem perder no quesito segurança, é importante que a loja virtual faça a migração para um servidor de maior qualidade e que ofereça também uma maior flexibilidade e disponibilidade aos clientes. Afinal, nenhum deles vai insistir na compra em um site que vive travando e não atende às suas necessidades, correto?

Isso é importante para elevar a reputação da loja e atrair clientes honestos, além de fidelizar os antigos. Com um servidor de alta qualidade, é possível trabalhar com um banco de dados completo e atualizado, com as informações de cada consumidor, dos mais simples aos mais complexos, tais como:

  • E-mail do cliente

  • Hábitos de compra

  • Endereço IP

  • Frequência de visitas à sua loja virtual

  • Região onde o cliente reside

Todos esses dados, quando reunidos, ajudam o banco de dados do e-commerce a estabelecer qual o nível de risco de cada venda, o que minimiza as chances de fraudes e prejuízo para a loja, e também para os consumidores idôneos (especialmente no caso de compras com cartão clonado).

Como todas essas informações devem ser checadas rapidamente, é fundamental que o servidor da loja seja rápido e possa tratar todas as informações com rapidez e eficácia, para aprovar a compra sem demora e evitar desistências no meio do caminho.

2. Apostar na visibilidade de informações sobre a loja


Um ponto que costuma gerar grande receio por parte dos consumidores mais desconfiados, é quando eles entram em uma determinada loja virtual e não veem nenhum tipo de informações sobre a mesma.

Para ganhar a confiança desses clientes, o mais indicado é dar o máximo de visibilidade para as informações da sua loja, como a razão social, o Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ), telefones de contato e endereço. Isso implica em uma maior notoriedade da loja, e deixa os visitantes mais tranquilos e seguros em relação à seriedade do e-commerce.

Outra atitude que ajuda bastante a aumentar a visibilidade da loja e deixar os clientes interessados, é apostar no marketing: perfil em redes sociais, um Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC) eficiente e um chat em que ele possa se comunicar com a loja, e quaisquer outros canais de contato que você possa disponibilizar.

Assim, o consumidor sente maior confiança na sua loja e consegue fazer suas compras on-line sem medo!

3. Exibir certificações e selos de segurança no seu site


O selo de segurança garante ao cliente que o e-commerce com o qual ele está lidando, se trata de um site idôneo, no qual ele pode comprar sem medo de afetar a sua segurança on-line.

Alguns certificados são até mesmo obrigatórios para as lojas virtuais, tal como o SSL, que é essencial para que o e-commerce solicite e armazene informações pessoais de cada usuário.

Obviamente que essa segurança exige um investimento, mas também garante um aumento nas vendas, a diminuição de fraudes e o aumento da confiabilidade do cliente. Portanto, deixe o certificado de segurança bem visível no layout da sua página.

Apostar em um site blindado e com selos de qualidade, também contribui para aumentar a reputação da loja, já que atestam que ela é segura, o que deixa potenciais consumidores mais à vontade para realizar suas compras, sem medo do roubo das suas informações pessoais.

4. Investir em uma política de privacidade


Todo e-commerce deve ter uma política de privacidade adequada e visível a todos que acessam o site, de forma ampla e clara, para não gerar qualquer tipo de dúvida.

Quando o cliente entra na loja e vê a política de privacidade estampada, com o máximo de detalhes possível, ele sabe que a loja virtual leva em consideração a proteção dos dados do consumidor e a sua segurança on-line. Jamais deixe de utilizar esse recurso a seu favor!

Além disso, é importante que os seus colaboradores sejam treinados para oferecer aos clientes um atendimento diferenciado, deixando a política de privacidade clara, especialmente no que tange às regras para trocas e devoluções de produtos.

5. Contar com um meio de segurança on-line no pagamento


Muitas pessoas só efetuam uma compra em uma loja virtual se o método de pagamento for seguro. E a verdade é que essas pessoas têm razão de pensar assim, pois é justamente na hora de pagar que os criminosos agem e roubam os dados dos clientes.

Então, para garantir uma maior segurança on-line nessa etapa da compra, é preciso oferecer ao consumidor diversas opções de pagamento para que ele mesmo possa se decidir com mais tranquilidade.

Por isso, é importante que a loja on-line prefira optar por empresas que ofereçam uma plataforma completa, com medidas voltadas para a segurança on-line de lojistas e clientes, como certificados, camadas de autenticação, selos e opções seguras de pagamento.

A integração dessa plataforma com o seu e-commerce é importante para o lojista, que diminui a quantidade de fraudes na sua loja, e também para o cliente que percebe que se trata de uma loja virtual idônea, onde ele pode fazer as suas compras sem medo.

Enfim, todas as medidas que o lojista puder tomar para garantir a segurança on-line do seu negócio e com relação aos seus clientes, são válidas. Afinal, além de fidelizar seus clientes mais antigos, essas ferramentas acabam atraindo novos compradores para a sua loja, fortalecendo a sua marca!

E você, como tem lidado com a segurança on-line no seu comércio eletrônico? Tem alguma dúvida sobre o assunto? Então entre em contato no www.ezcommerce.com.br/contato e esclareça todas essas questões!

CTA