6 tendências para Gestão de E-Commerce em 2015 [5/6]

Web

O aumento da competição entre os operadores logísticos voltados para o e-commerce no Brasil, somado à evolução e investimento dos Correios, podem e devem trazer benefícios para os varejistas online que tiverem capacidade de administrar este processo.

Incorporar mais de um parceiro logístico pode significar um custo menor em determinadas encomendas, para determinadas faixas de CEP e, passa a ser uma decisão do lojista, repassar este valor ao cliente, aumentando a competitividade frente à concorrência ou incorporando esta diferença na margem do produto/pedido.

Entretanto, não podemos esquecer que o E-Commerce é um business de entrega, e para adotar esta tratativa, é imprescindível que o administrador controle diariamente o nível de serviço de cada transportadora, no mínimo por cada estado, e estabeleça metas de desempenho, para garantir que o valor mais vantajoso cobrado por uma outra transportadora, não comprometa o percentual de pedidos entregues no prazo.

Se a Transportadora A, para determinada faixa de CEP cobra 5% mais caro, mas entrega 99% dos pedidos no prazo e a Transportadora B é 5% mais barata, mas entrega 85% dos pedidos no prazo, convém manter a Transportadora A.

Web