12% dos sites brasileiros tem pagamento online

Fonte: E-commerce news

Dentre todos os web sites existentes no Brasil, apenas 12% permitem a realização de pagamento /conclusão de transações de compra, sendo este o recurso menos visado por empresas ao construírem sua plataforma on-line, segundo um estudo realizado pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br). O percentual se manteve inalterado, quando se leva em conta a edição anterior da pesquisa.

Proporcionalmente, as empresas da região Centro-Oeste são as que mais disponibilizam este recurso, com 16%, seguido pelas companhias das regiões Norte + Nordeste e Sudeste (ambas com 12%) e região Sul (10%). Ainda assim, a região Sul (e a região Centro-Oeste ) possui a maior proporção de empreendimentos com operação de comércio eletrônico, com 13%, à frente da média do país que é de 12 pontos percentuais.

Os maiores objetivos das empresas ao projetarem seus web sites são incluir informações sobre a empresa – institucional, contato, endereço, mapas (93%), catálogos de produtos e listas de preços (49%), fornecer suporte pós-venda (33%), personalização ou customização de produtos para clientes (29%) e sistema de pedidos ou reserva / carrinho de compras. No caso deste último, embora seja considerado um recurso de comércio eletrônico, parte do volume de transação / pagamento é realizado em plataformas externas ou através de métodos off-line, como o pagamento na entrega, por exemplo.

O estudo também mostra que as empresas brasileiras estão se conscientizando sobre o potencial de manter um canal on-line, com 6 em cada 10 companhias revelando possuir um web site. Entre as regiões com maior proporção de empreendimentos dispondo de uma plataforma, a região Sul lidera com 65%, seguido pela região Sudeste ( 63%) e Centro-Oeste (56%). A região Norte aparece em último lugar neste quesito, com apenas 42%.

No entanto, a probabilidade de que uma empresa possua um web site está mais relacionada ao seu porte do que sua localização: 91% das empresas com mais de 250 colaboradores afirmam ter construído uma plataforma digital, enquanto apenas 50% das companhias com 10 a 49 funcionários dizem o mesmo.

Dentre as empresas que possuem este canal on-line, a maioria (87%) afirma alojá-los em domínios com extensão .com.br, seguido por .com (6%) e outras extensões .br (5%).